>

23 de mar de 2018

[Poesia] PEDRO LUSO – Vento de Outono



VENTO DE OUTONO
PEDRO LUSO DE CARVALHO



Sentado no banco, úmido ainda
pelo sereno, da noite lágrimas.
Outono pródigo em folhas secas,
ensinança da vida e do tempo.

Deixo que o vento sopre suave,
com as folhas faça redemoinhos,
para o inverno guarde suas forças
será ciclones e tempestades.

Imóvel no banco do jardim,
às minhas indagações retomo,
rosário interminável de dúvidas.
Para me iluminar, onde luz?

Fiz aquilo que pude fazer,
o percurso foi curto, bem sei.
Pouco visível o andar do tempo,
a deixar o seu rastro no espelho.




*  *  *




44 comentários:

  1. Um encanto de poema. :))

    Hoje:- Endiabrados, desejos que me atormentam

    Bjos
    Votos de uma boa Sexta-Feira

    ResponderExcluir
  2. O importante é termos a consciência que fizemos o que nos era possível ao longo da nossa caminhada.
    Maravilhoso poema
    Bom fim de semana
    Beijinhos
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco


    ResponderExcluir
  3. Tu encantas,Pedro! Linda demais! Adorei! Lindo fds! abraços, chica

    ResponderExcluir
  4. Olá, Pedro!
    No Outono, as reflexões vêm reforçadas em nosso coração pois a interiorização é altamente favorecida... é tempo de renovar folhas mortas em nós...
    Seja muito feliz e abençoada junto aos seus amados!
    Abraços fraternos de paz e bem

    ResponderExcluir
  5. El otoño es, para mí, una estación que invita a la melancolía.
    Sentarse en un banco, contemplar como el viento hace remolinos con las hojas, es un buen momento para reflexionar en lo que hemos hecho, en que quizás lo pudiéramos hacer mejor y en que todavía no es tarde para poder hacer mucho más.
    El cuadro de Renoir me encanta, has elegido muy bien para que acompañe a tu bonito poema.
    Cariños.
    Kasioles

    ResponderExcluir
  6. Ahora os toca a vosotros este tiempo precioso de colores, pero un tanto melancólico. Aquí la primavera ha llegado pero todavía no se nota.
    Un poema muy bonito de reflexión.
    Un abrazo y feliz otoño.

    ResponderExcluir
  7. Gostei de ler.
    Bom fds
    Abraço

    ResponderExcluir
  8. Aunque la ruta sea corta mientras se haya recorrido por el buen sendero es como si hubiese sido bien larga, un feliz fin de semana.

    ResponderExcluir
  9. È sempre bello leggere i tuoi versi.
    Buon weekend, un abbraccio
    enrico

    ResponderExcluir
  10. Se por aí chega o outono em forma de poesia, por aqui entra o inverno com aspeto de inverno!
    Um bom fim de semana meu amigo!
    Abraço

    Olhar d'Ouro - bLoG
    Olhar d'Ouro - fAcEbOOk

    ResponderExcluir
  11. Surpreendi-me com este vento outonal em tempo de Primavera. Depois percebi que na blogosfera cruzamos as estações e reduzimos o mundo. E, sentado no banco, pintas a vida e o tempo. A busca da luz é o desiderato do poeta.
    Belíssima imagem de Renoir.

    Beijinho, Pedro.

    ResponderExcluir
  12. Uno scenario autunnale intenso, e intinto in sipidi colori, che invita a pensieri malinconici, nella sua pacata osservazione.
    Sempre bello leggerti, Pedro, buon fine settimana e un saluto,silvia

    ResponderExcluir
  13. Boa tarde!
    Um encanto de poema!! Parabéns. Amei!! :)

    Especial : Paisagem...Um amor que não quero perder [ Poetizando...]

    Beijinhos. Bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  14. Belo e profundo! Adorei!

    Abraços eum ótimo final de semana pra ti e para os teus.

    Furtado

    ResponderExcluir
  15. Nesta caminhada da vida eu já estou no Outono e espero que ele não passe depressa.
    Um belo poema meu amigo, gosto bastante das pinturas de Renoir.
    Um abraço e Boa Páscoa.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    Livros-Autografados

    ResponderExcluir
  16. Uma reflexão Pedro!
    Aqui no Brasil está tudo diferente,entramos no Outono,parecendo Verão...
    Ficamos à espera.
    Adorei seu poema.
    Bjs e um ótimo final de semana.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  17. Vivimos también en Chile el impacto inicial del otoño, amigo Pedro.
    ¡Muy lindo poema!

    ResponderExcluir
  18. La mejor estación es el otoño... el otoño de la vida.

    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  19. Lindo poema de Outono, amigo Pedro!
    Adorei como sempre!
    Beijo de Paz... Feliz Domingo de Ramos.

    ResponderExcluir
  20. Pedro, é soberbo este poema!
    Uma real "ensinança da vida e do tempo".
    Que as folhas secas do Outono inspirem o poeta e o vento leve para longe dúvidas e medos.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  21. Um olho no Renoir e outro no encanto que o poema provoca com estes elementos de Outono, aqui belamente poetizada. O Outono tem um charme especial nesta mudança de cores, nesta sensação de aconchego. Inspiração bela Pedro.
    Uma semana boa para vocês.
    Meu terno abraço.

    ResponderExcluir
  22. Meu Amigo, Pedro, ao ler o seu poema lembrei-me de um livro que li há pouco tempo do Poeta e padre José Tolentino de Mendonça que diz assim: "visto do banco de um jardim, o mundo parece ganhar uma fisionomia diferente. Abraçamos as margens esquecidas da vida, escutamos zonas periféricas mas necessárias, olhamos o colorido de outras vozes. E percebemos que a alegria se aproxima de nós como uma folha trazida pelo vento"...
    O seu poema é melancolicamente belo como o outono.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Graça, pelo comentário no qual fazes referência ao poeta e padre José Tolentino de Mendonça, que possivelmente é de nacionalidade portuguesa. Quem sabe possa encontrar um livro dele aqui no Brasil, pois gostei do trecho por ti transcrito.
      Beijo.
      Pedro

      Excluir
  23. E a natureza se assemelha à vida, com os seus ciclos, com as suas estações e nesses entretantos lá estamos nós com os nossos devaneios e questionamentos; e são muitos esses questionametos , mas, para a maioria deles não encontramos respostas. Com o vosso outono chegou a nossa Primavera, recolhendo as vossas folhas espalhadas pelo chão e, cuidadosamente as recolocando nos galhos despidos das nossas árvores já tão cansadas dos rigores do nosso Inverno.Ainda não pude sentar-me no banco do jardim para observar a alegria das árvores de novo vestidas e nem as flores que, timidamente começam a abrir-se, procurando o sol. Procuram-no, mas ele não tem conseguido furar as nuvens pesadas que ainda escurecem o céu. Assim como elas, estão os nossos corações, ansiando pelo sol, pelo chilrear dos pássaros, pelo completo florir das flores do jardim. Mas.... mesmo assim podemos encher o peito com os ares de poesia que já se sente, quer seja no vosso outono quer seja na nossa Primevera e ainda aqui, neste pedacinho de papel lendo sempre belos poemas. Onde está a luz, perguntas tu, Pedro e eu, devo dizer-te que, apesar de todas as desilusões, desgraças e inquietações, temos sempre a poesia para iluminar e aquecer estes corações tantas vezes desalentados. Obrigada, Pedro, pela ppesia que encontramos nestas veredas. Beijinhos e uma boa Páscoa
    Emilia

    ResponderExcluir
  24. El otoño es mi estación favorita. Transmite nostalgia pero sus colores son muy bellos.
    Muy hermoso tu poema.
    Un beso.

    ResponderExcluir
  25. Pedro,

    Belíssimo, belíssimo poema e acompanhado da obra
    do Renoir no encantamento aos olhos da alma!...
    O poema obra de arte, este sentar no espaço-vida
    (o banco), a sentir, observar e compreender a
    vida- natureza- estações. Aqui retratada
    excelentemente a estação do Outono:
    "Sentado no banco, úmido ainda
    pelo sereno, de noite lágrimas.
    Outono pródigo em folhas secas,
    ensinança da vida e do tempo."
    Que magistral construção poética:
    "de noite lágrimas" !!
    Meu amigo, este desfecho brilhante:
    "Pouco visível o andar do tempo,
    a deixar o seu rastro no espelho."
    A sua expressividade poética sempre de
    parabéns, meu caro amigo Pedro.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  26. El poeta hizo lo que pudo hacer.

    Pero esta noche, húmeda de rocío y lágrimas,
    bajando la cremallera de su corazón,
    el poeta se pregunta:
    ¿De verdad hice "todo" lo que pude hacer"?

    Un saludo, Pedro.

    ResponderExcluir
  27. Que lindos versos, outono é uma linda estação climática de transição, sendo assim sua inspiração veio bem nos tocar, a mim tocou muito fundo, sentir a vida tem disso, tudo vem para nos fazer perceber que a natureza sempre sabe o que faz, a nossa natureza também, o tempo vai passando e as culpas, ah, essas sim que devem nos deixar viver e sermos felizes, que venham os ventos fortes do inverno, estamos preparados para isso, parabéns pelos versos perfeitos!
    Abraços apertados!

    ResponderExcluir
  28. belo poema...o outono na vida e nas estações é tempo de reflexão. da doçura do que foi e que do que ainda pode ser...um alegro moderato!
    um abraço

    ResponderExcluir
  29. Suave, mas muito bem elaborada a comparação do Outono, estação terretre e o Outono da vida...
    «Pouco visível o andar do tempo
    a deixar o seu rastro no espelho»
    Quando chegar o inverno, nem nos conhecemos, Pedro...
    Grata pela leitura de um poema que exigia perspicácia.
    Abraço, Amigo.
    ~~~

    ResponderExcluir
  30. Caro Pedro: Sempre tememos a chegada do inverno e achamos que poderíamos fazer mais, que o tempo é curto para tantos planos, sonhos...
    Bonita poesia, faz-nos refletir.
    Parabéns, Abraço
    Léah

    ResponderExcluir
  31. El tiempo de eotoño, es un tiempo nostálgico. Creo que el cambio tan brusco que se produce con la estación anterior, provoca en el organismo esa nostalgia, que hace ver todo tan diferente.

    Besos

    ResponderExcluir
  32. É chegado outono, e junto vem a páscoa tb, outono; morte das folhas e breve renascer, Páscoa ressurreição de Cristo, então duplo renascimento, é a vida e seus ciclos.
    Bonito poema Pedro, e não é novidade vc esbanjar talento amigo!
    Tenha um dia azul , feliz e abençoado.
    Feliz e santa Páscoa!
    Bjs no coração!
    SE
    puder visite E DEIXE SUAS IMPRESSÕES: http://eucontoparavoce.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  33. Uma estação do ano, que por norma associamos à introspecção, muitíssimo bem ilustrada, através das suas inspiradas palavras, Pedro!
    Gostei imenso do poema! Um grande abraço! Votos de continuação de uma óptima semana...
    Ana

    ResponderExcluir
  34. Pedro,
    O outono, por ser uma estação intermediária que nos afasta do brilhante verão, com sua calmaria, luminosidade e alegria, de repente nos conduz a dias sombrios, ventos fortes e imprevistos. Esse mesmo outono nos levará a dias ainda mais sombrios, chuvosos e tétricos. E assim é a vida, na medida que nos dá a infância e a juventude, vai nos mostrando que nem tudo são flores. No caminhar, é preciso saber escolher as estradas, desviar dos pedregulhos, proteger-se das tempestades e saber viver com menos luz. A vida nos presenteou com bons anos para que aprendessemos sobre todas as estradas...Uns apreendem, outros jamais.
    Belíssimo poema, mas também algo triste para quem se propõe a refletir.

    Beijinho daqui do lado!

    ResponderExcluir
  35. Pedro passei especialmente para desejar uma Páscoa muito Feliz
    Beijinhos
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderExcluir
  36. Olá. Visitando, vendo, lendo, admirando, e gostando muito das suas publicações. A sua poesia é maravilhosa.
    .
    * Amor: a Incompreensão dos sentimentos *
    .
    Votos de uma Páscoa muito feliz,
    repleta de amêndoas feitas amor
    .

    ResponderExcluir
  37. gostei muito do poema, Caro Poeta
    a serena aceitação da vida, sem exuberância excessiva nas alegrias
    nem lamentações nas horas infaustas, dizem-(nos) velhos mestres ser o caminho da "Vida Boa" (que não da boa vida)

    votos de Boa Páscoa para ti e família.

    abraço

    ResponderExcluir
  38. Don Pedro:
    el otoño siempre es triste.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  39. Independentemente da publicação, que gostei:
    O Brincando com as palavras DESEJA-VOS: UMA SANTA E FELIZ PÁSCOA, EXTENSIVO AOS VOSSOS FAMILIARES E AMIGOS.
    .
    Bjos com carinho e estima.

    ResponderExcluir
  40. Olá Pedro, o Outono da nossa vida será sempre um mar de incertezas. Cabe-nos palmilhar devagar sem a pressa de chegar e andar depressa sem a pressa de partir. Amei demais o poema. Boa Páscoa amigo e beijos com carinho

    ResponderExcluir
  41. Meu amigo Pedro, hoje aqui para desejar Uma Feliz Páscoa de muito amor e paz na família e que o renovar seja constante e possamos fazer renascer a esperança de um mundo melhor de pessoas melhores.
    Meu terno abraço de paz e luz amigo.
    Um bom domingo para vocês.

    ResponderExcluir
  42. Olá querido Pedro.
    Poesia muito linda, mostrando que há tempo para tudo. As estação do ano, nós ensinam também que há tempo de florescer e morrer. Um lindo abril meu amigo.Um abraço carinhoso e outro na Tais.

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

PEDRO LUSO