>

2 de nov. de 2021

[conto] TALENTO PERDIDO / Pedro Luso de Carvalho

Lyonel Feiniguer / The Man of Potin - 1921


 TALENTO PERDIDO

                -  Pedro Luso de Carvalho



Como vem se repetindo há anos, sempre que os políticos se mexem para escolher os seus candidatos à presidência da República vem-me à lembrança o feito daquele amigo extrovertido e carismático, que meteu na cabeça que poderia voar.

Em pouco tempo, ele me convenceu de que o seu projeto de voar daria certo. Eu e alguns amigos ficamos convencidos que ele realizaria a proeza de voar, com as asas que ele mesmo havia construído, e que pretendia patenteá-las.

Embora eu tivesse sido convencido, por força da sua capacidade de persuasão, de que não seria difícil para ele voar, arrisquei-me aconselhá-lo a candidatar-se a vereador. Ele argumentou que voar daria menos trabalho.

Certo dia, ele combinou encontrar-se comigo e mais três amigos para falar de seu voo. “Vai ser na próxima segunda-feira”, afirmou. Saltaria de um edifício de vinte andares, no centro da cidade. Nesse dia, lá estávamos para presenciar o feito do amigo.

Escolhemos um prédio alto, que ficava em frente ao edifício escolhido por ele para empreender o seu voo. Ficamos, meus amigos e eu, no terraço, acima do vigésimo andar, ao lado das duas caixas de água do prédio.

De repente nosso amigo surgiu no terraço do prédio em frente ao que estávamos, também acima do vigésimo andar, com duas asas enormes presas nos seus braços, estampando no rosto avermelhado um largo sorriso. Então acenou para nós, numa espécie de aviso de que voaria, e depois foi até os fundos do terraço, de onde voltou correndo até a beira do prédio e saltou com as asas abertas para o voo, quando vimos seu corpo projetar-se no espaço vazio.

Eu fiquei ali, no alto do edifício, com meus três amigos, com medo de olhar lá para baixo. Lembro-me apenas de ter dito a eles que o nosso falecido amigo bem que poderia ter escolhido a política, pois para isso talento não lhe faltava.




________________________//______________________





30 comentários:

  1. E há tantos políticos talentosos a esbandalhar-se no chão!!!!
    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Bah! Quanta inspiração,Pedro! Esse voo não deu certo, mas se político teria convencido,rs...abração,chica

    ResponderExcluir
  3. Un articolo molto interessante, e di grande realtà di vita
    Un caro saluto,Pedro,silvia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É sempre com alegria que recebo a visita e o comentário da talentosa poeta italiana.
      Atodos, recomento visitas ao blog da Silvia.
      Bjs.

      Excluir
  4. Lo malo es que no se estrllan ellos, además nos arrastrán en su caída...de ellos dependen la economía del país. Se dedican a saquear los bolsillos del contribuyente y ellos ni siquiera tienen reducciones fiscales en su elevadísimos sueldos.y por si fuera goza de buenos privlegios, que no lo tiene cualquiera.

    Besos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para os que admiram a arte fotográfica, recomendo o bog Ventana de Fotos.
      Boa semana, Antonia.
      Beijo.

      Excluir
  5. Un perfecto símil amigo Pedro, para conforme está el ambiente político y sobre todo la propia casta política, esos que, serían incapaces de encontrar un puesto de trabajo en la sociedad fuera de la política. Así nos va a los ciudadanos del mundo.
    Un gran abrazo y buena semana amigo mío desde Alicante-España.

    ResponderExcluir
  6. Brillante relato y con gran semejanza a la realidad política que tenemos.
    Ha sido muy interesante leerte.
    Un beso, Pedro.
    Te deseo una semana feliz.

    ResponderExcluir
  7. É, sem dúvida mais um equívoco do homem e sua vontade de liberdade. Há maior liberdade do que nos pássaros?
    Bem, o que me levou a pensar nesse teu criativo e muito bem construído conto, foi o fato de quem deveria voar, realmente, tentar essa liberdade tão almejada, seriam nossos políticos! Cada um com sua asinha verde-amarela, pelos céus dessa imensidão que se chama Brasil...
    Beijinho daqui do lado.

    ResponderExcluir
  8. Olá, amigo Pedro.
    Um texto muito interessante. A vontade do homem voar já vem de longe. Sempre foi um sonho de muitos ao longos dos séculos. Mas nos dias de hoje, quem devia fazer esse exercício de voar, devia ser o Bolsonaro. Era um grande favor que fazia ao povo do Brasil e à humanidade.
    Parabéns!

    Continuação de boa semana!
    Abraço amigo.

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Interessante racconto che mette in luce che non tutti sono capaci di capire ciò che possono e non sono in grado di fare. Sarebbe giusto saper discernere. Costui se fosse rimasto in vita, sarebbe stato, senzaltro un pessimo politico, che avrebbe azzardaro troppo a danno dei cittadini. Un racconto che ha una morale. Complimenti amico Pedro! Un caro saluto da Grazia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Grazia.
      É com satisfação que recebo sua visitan e seu amável comentário.
      Para os que apreciam a poesia, recomendo o blog da poeta Grazia Denaro.
      Meu abraço, Grazia

      Excluir
  10. Creo que tu amigo hubiera tenido un recorrido mas largo en política al ser capaz de convenceros en que volaría.

    Saludos.

    ResponderExcluir
  11. Sem duvida que adorei a publicação! :))
    *
    Momentos indecisos...
    *
    Beijo, e uma boa noite!

    ResponderExcluir
  12. Muy interesante tu escrito Pedro, que he leído con avidez pensando que el vuelo le iba a salir perfecto. Los que si tenían que volar y perderse en las alturas para siempre, son muchos políticos que sobran sobre la faz de la tierra.
    Un abrazo Pedro y feliz semana.

    ResponderExcluir
  13. Pedro,
    Fiquei até o Último
    momento do texto
    acreditando que o personagem
    não faria o que fez.
    Mas fez.
    Somos assim em nossas
    Atitudes improváveis.
    Adorei ficar presa
    na leitura.
    Bjins
    CatiahoAlc.

    ResponderExcluir
  14. Que conto, meu Amigo Pedro. Se ao menos ele tivesse ido para a política não seria mau que se estatelasse no chão. O fascínio de ter asas é da natureza humana, mas não fomos dotados com elas... Gostei da sua criatividade.
    Muita saúde.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Graça.
      É sempre com alegria que recebo sua visita e seu comentário, como este, que aproveito para agradecer.
      Os amantes da poesia certamente gostarão de conhecer o blog da Graça Pires.
      Uma boa semana, Graça.
      Um beijo.

      Excluir
  15. todos nós trazemos as nossas asas! quem me dera que as minhas fossem de cera ...
    mas não! - são de barro! sou um "infeliz", desfazem-se logo em qualquer tentativa de voo. nem para vereador, nem para vereador, meu caro POeta e meu distinto amigo Pedro Luso...

    grande abraço

    ResponderExcluir
  16. Mas por um breve período de tempo, ele voou...

    ResponderExcluir
  17. Voejou para o céu e que descanse em paz, Pedro.
    Excelente o seu conto.
    Tenha um abençoado fim de semana.
    Um grande abraço.
    Verena.

    ResponderExcluir
  18. Olá, amigo Pedro.
    Passando por aqui, relendo este excelente e oportuno conto, e desejar um Feliz fim de semana com muita saúde.
    Abraço amigo.

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderExcluir
  19. Um voo certo para a eternidade.
    É melhor voar é com os pés em solo firme, menos arriscado.
    Boa noite e um feliz domingo.

    Um abraço amigo..

    ResponderExcluir
  20. O mundo seria muito melhor se a maioria dos políticos seguissem o exemplo desse seu amigo.
    Um abraço e bom Domingo.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    Livros-Autografados

    ResponderExcluir
  21. Oi Pedro, honrado o seu amigo em sua loucura...pelo menos tentou e deu a sua vida pelo que acreditava. Não era político, não comprou ninguém, não tirou vantagens nem criou artifícios... na frente de todos não produziu miragens...simplesmente tentou. Ficou na memória dos tristes.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  22. Sorrisos...
    Gostei de os ver visionários, sonhadores, algo patetas, mas sem conotações de interesseiros, gananciosos e oportunistas...
    Nem todos são indignos e precisamos deles, da sua coragem...
    Abraço, amigo Pedro. Beijo.
    ~~~

    ResponderExcluir
  23. Um conto fantástico, sempre pensei que ele não saltava. Concordo com o Francisco, teríamos um mundo bem melhor se grande parte dos políticos fizesse como o seu amigo, ou lutassem realmente por concretizar o que apregoavam, ou se estatelassem definitivamente no chão e assim não fizessem mais mal a ninguém.
    Bom domingo
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  24. boa noite Pedro. Com um rasante para eternidade perdemos um politico. Muitos se acham Ícaro e voam no vazio de suas vidas. Talvez nossos políticos sabotaram as asas dele, pois o feito angaria votos.
    Uma boa semana com paz e emoções renovadas.
    Meu abraço amigo

    ResponderExcluir
  25. Olá, amigo Pedro.
    Passando por aqui, relendo este excelente texto que muito apreciei, e desejar uma excelente semana com muita saúde.
    Abraço amigo!

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderExcluir
  26. Bem... seu amigo, tentou seu próprio sonho... e por escassos segundos de alguma forma, realizou seu sonho, sem prejudicar mais ninguém...
    Já certos políticos... encetam seus vôos, e no processo enterram outros sem qualquer problema de consciência... tem um muito conhecido internacionalmente, que vive dizendo... todos temos de morrer um dia... para convencer melhor quem vai a caminho do precipício, sem nem ter podido sequer escolher alternativa, ao ali chegar...
    Um conto que dá que pensar... e que mantém a imprevisibilidade do desfecho, mesmo até ao fim! Adorei ler!
    Um beijinho! Votos de uma feliz semana, para todos aí desse lado!
    Ana

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

Pedro Luso de Carvalho