>

26 de abr. de 2021

[Poesia] – PEDRO LUSO – Uma voz na noite

 

Porto Alegre - RS / Brasil


UM CANTO NA NOITE

      - Pedro Luso de Carvalho




De onde vem essa voz,

canto de dor e tristeza,

doce voz de mulher,

noite sem a luz das estrelas.


De onde vem essa voz,

canto de dor e tristeza,

derradeiro canto na noite,

nas ruas vazias sem brilho.


De onde vem essa voz,

canto de dor e tristeza,

no peito feridas abertas,

voz de contralto a perder-se.


De onde vem essa voz,

canto de dor e tristeza,

raios tímidos de luz,

notas perdidas na aurora.




__________________//__________________






46 comentários:

  1. De onde vem, desconheço...mas que inspirou um belo poema, inspirou!

    Abraço e boa semana

    ResponderExcluir
  2. Esse poema está fantástico, adorei a cadência e a tristeza na noite, parte do dia mais comum a revelar as tristezas da vida.
    Aplausos, meu poeta!
    Beijinhos daqui do lado.

    ResponderExcluir
  3. De onde vem essa voz
    Tão suave, em esplendor
    Que chega até nós
    Tão bonita como uma flor
    .
    Uma semana feliz. Cumprimentos poéticos
    .
    Pensamentos e Devaneios Poéticos
    .

    ResponderExcluir
  4. En el silencio de la noche, esa voz perdida en el espacio resuena con intensidad, dejándonos el corazón sobrecogido, por ese lamento en su voz.

    Besos

    ResponderExcluir
  5. Esa voz que no se sabe su procedencia inspiro un poema de una belleza magnifica.

    Saludos.

    ResponderExcluir
  6. Una voce che forse viene dall'anima per dare forza e speranza che tutto vada bene per un futuro che, oggi non sappiamo come evolverà Intanto dà aiuto e conforto al viandante che nella notte cammina stranito. Versi armoniosi nel loro scorrere che creano splendide immagini. Complimenti amigo Pedro. Un saluto affettuoso , Grazia!

    ResponderExcluir
  7. Una voce tristissima, nella notte, che attira l'attenzione per la sua intensità.
    Versi belli, buongiorno Pedro,silvia

    ResponderExcluir
  8. Precioso poema Pedro, con esa repetición de versos le dan al poema mucha musicalidad, y suena tiernamente triste.
    "Una esquina en la noche", un título que es pura poesía. Me ha encantado.
    Un abrazo y buena semana.

    ResponderExcluir
  9. Excelente trabalho poético amigo Pedro, gostei bastante.
    Um abraço e boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    Livros-Autografados

    ResponderExcluir
  10. Olá Pedro!
    O teu poema é lindíssimo eu amei de coração que grande poeta...um beijinho e resto de uma boa semana.

    ResponderExcluir
  11. Uma voza ao longe ouvida, instigante,mas que bem te inspirou! Linda foto! abração, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  12. Bom dia Pedro,
    Um poema lindo!
    «De onde vem essa voz,
    canto de dor e tristeza»
    Uma voz dolorida que atravessa a noite na cidade e nos faz pensar nos dramas de tanta gente indefesa.
    Um beijinho e uma ótima semana.
    Ailime

    ResponderExcluir
  13. Olá Pedro,
    Uma linda poesia!
    Onde está aquela preciosa mulher
    Que o acompanha pela vida afora?
    Acho que sei: pertinho do seu coração
    Acertei?
    Abraços
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  14. Me ha gustado mucho tu poema.
    Es muy hermoso.
    Un beso.
    Feliz semana.

    ResponderExcluir
  15. Oi Pedro, belíssimo poema, parabéns!
    São tantas as dores escondidas nas madrugadas, mulheres (e não só mulheres) vulneráveis esperando por uma luz ao amanhecer, a espera de que as ouçam nas tristezas delas.
    Abraço, meu amigo!

    ResponderExcluir
  16. Uma voz sofrida que há noite ainda se torna mais sentida.
    Um poema sublime.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  17. Olá, amigo Pedro!
    Se uma contralto se cala, algo muito grave ocorreu.
    Na certa você definiu bem: canto de dor e tristeza...
    Gosto muito dos seus poemas, talento de poeta de alma.
    Tenha dias abençoados!
    Abraços fraternos de paz e bem

    ResponderExcluir
  18. oi, Pedro, tristeza infinita em seu poema...somente um poeta poderia escutar com a alma solerte um grito na noite e intuir o desconhecido.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  19. Buenos días, Pedro, en primer lugar, darte las gracias por pasar y quedarte por mi espacio donde intento hablar de jardinería y naturaleza tan fundamental y tan castigada hoy día.
    Tienes un precioso blog que desconocía y como amante de la poesía que también lo soy permíteme que, me quede por este bello espacio donde la palabra fluye al viento con aroma de amor y seducción.
    Tengo un pequeño blog de poesía abierto hace un par de años donde publico mis pequeños poemas, será también un placer seguirte por él, de esa forma tus publicaciones las tendré más controladas. Si te apetece visitar te dejo aquí su enlace. retazosmios.com será todo un placer recibir tu visita.
    Un abrazo y buen resto de semana desde Alicante-España/Brasil.

    ResponderExcluir
  20. Poema que instiga a nossa mente, convidando-a a procurar em cada beco, rua ou bela moradia, o sofrimento muitas vezes encoberto e que não vê a luz do dia...

    Abraço, Caro Pedro.
    Olinda

    ResponderExcluir
  21. Un placer amigo, gracias por tu visita y quedarte.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  22. Gostei muito deste poema.

    Grata pela sua partilha!
    Votos de uma boa semana,
    Vanessa Casais

    https://primeirolimao.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  23. Amigo Pedro,
    Um poema que tão belo, mas triste. Quase um lamento.
    "De onde vem essa voz..."
    A voz vem de dentro, de um coração sofrido, pelo que os olhos alcançam.

    Abraço comovido.

    ResponderExcluir
  24. Un lamento que se escucha en la noche con voz de mujer.
    Triste poema que también encierra belleza.
    ¡Feliz semana!
    Cariños.
    kasioles

    ResponderExcluir
  25. Boa noite, caro Pedro.
    Muito Obrigado, pela visita e gentil comentário no meu cantinho.
    Gostei muito deste poema!

    Nas veredas escuras,
    das nossas emoções
    Se escondem à sucapa,
    doridas sensações.

    Gostei deste belo espaço de poesia.
    Voltarei mais vezes.

    Abraço, e ótima semana!

    ResponderExcluir
  26. Um canto dentro da noite que nos faz aguçar os ouvidos para sabermos de onde bem a voz. Cadência, musicalidade e ritmo nos ajudam a medir o tamanho da dor, deste canto carregado de tristeza.
    Um belo poema, meu caro Pedro.

    ResponderExcluir
  27. Apesar de ser um poema de dor e tédio, ainda se vislumbra uma doce voz de mulher, única nota discordante e amenizadora.
    Abraço amigo.
    Juvenal Nunes

    ResponderExcluir
  28. Pedro
    E na noite escreveu este poema que denota um certo desalento e tristeza, mas por vezes é assim no silèncio da noite que se ouve as vozes que são de outos ou serão nossas também?!
    A foto faz um bom suporte ao trabalho.
    Boa semana.
    :)

    ResponderExcluir
  29. Me alegro mucho saber que estás bien y espero que toda tu familia también lo esté.
    Tus versos también me han gustado mucho, siento una gran admiración por los que sabéis hacer poesía.
    Un fuerte abrazo querido amigo

    ResponderExcluir
  30. Perpassa no poema um sentimento pungente, mas contido e delicado...
    A repetição intensifica os sentimentos e cria uma cadência elegante.
    Um poema expressivo e belo na sua tristeza... Beijos, estimado amigo.
    ~~~~

    ResponderExcluir
  31. A Coruja de Minerva canta apenas depois de anoitecer, não é verdade, Pedro Luso?
    apenas depois de superadas a dor e a tristeza, "a tímida luz" e o "canto da ave"...

    e o novo dia, que nasce!

    poema fora de série.
    que amigavelmente te "invejo" rss

    forte abraço, meu amigo

    ResponderExcluir
  32. Há cantos assim, onde a dor e a tristeza invadem a noite. Mas não é nada que um pouco da luz do dia desvaneça.
    Excelente poema, os meus aplausos.
    Abraço, caro amigo Pedro.

    ResponderExcluir
  33. He leído tus versos con música de canción Pedro, son muy hermosos
    Un abrazo
    Carmen

    ResponderExcluir
  34. Ler um poema com essa qualidade é um privilégio, um prazer.
    Beijo e abraço.

    ResponderExcluir
  35. Uma voz em canto de dor e tristeza... Tão belo, tão triste!
    Muita saúde, meu Amigo Pedro.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  36. Pedro,
    Esse grito vem
    de sua poesia e
    de seus lindos versos!
    Encantada deixo
    Bjins de domingo
    CatiahoAlc.

    ResponderExcluir
  37. A voz da Terra... adormecendo mágoas... para enfrentar outro dia... junto com a inconsciência da grande maioria de quem nela habita...
    Um belíssimo poema, sobre este clima... de estação única... que o Homem decidiu para si mesmo...
    Beijinhos! Votos de um bom domingo, estimando que tudo esteja bem, aí desse lado!
    Ana

    ResponderExcluir
  38. Olá, Pedro!

    A voz que vem de diferente partes do mundo, ecoando perdas e tristezas.
    Que a luz do dia possa trazer novo alento e coragem, para que possamos transformar nossa voz em prece por dias melhores.

    Um bonito poema!

    Abraço
    Sônia

    ResponderExcluir
  39. Esta voz ecoa sob as marquises, viadutos e praças da cidade. Vem da dor escondida, dos seres invisíveis que habitam as noites frias e longas das grandes cidades. Quem é esta voz meu amigo, que canta tão triste samba enredo pela avenida iluminada para gente apagadas.
    Um forte poema com um grito para remexer nas feridas.
    Belo trabalho amigo.
    Abraços e uma semana de leveza.

    ResponderExcluir
  40. Boa tarde, Pedro.
    São vozes que ecoam dos quatro cantos do mundo, vozes que se mesclam aos gritos de dor,de solidão e ausência de amor.Vozes que continuaremos a a ouvir, com certeza, por muito tempo ainda.Vozes que pedem socorro e misericórdia.Que o bom Deus ouça todas estas vozes.Grande abraço!

    ResponderExcluir
  41. Pedro:
    ese canto de dolor viene de alguien que ha debido sufrir mucho y cuando uno está triste, las noches son aún más dolorosas.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  42. Ufff, tus versos me llegan ..¡cuanto dolor vibra en ellos
    un abrazo

    ResponderExcluir
  43. E a voz que escutamos quando o desejo seria de primavera à solta. Desta vez até as flores clamam.

    Belo e assertivo poema, meu amigo Pedro.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  44. Poema belo mas angustiante, com uma repetição de versos que bate no coração de quem o lê..
    "De onde vem essa voz"... eu fico imaginando.
    Beijo, querido amigo.

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

Pedro Luso de Carvalho