>

28 de nov. de 2021

POLÍTICOS PROFISSIONAIS – Pedro Luso de Carvalho


Antonio Portinari / Criança morta - 1944


   POLÍTICOS PROFISSIONAIS 

( Crônica )    


                            - Pedro Luso de Carvalho


No mundo da política profissional, não se espera que existam homens e mulheres que militem em prol da sociedade. Eles escolhem esse caminho para facilitar as suas próprias vidas, com seus elevados salários, se comparados com a maioria dos salários dos demais brasileiros.

São esses homens e essas mulheres – os políticos – que estão sempre atentos para a criação de fórmulas mágicas para, na penumbra das casas legislativas, aumentarem os seus vencimentos e, assim, engordarem mais ainda as suas contas bancárias.

Esses mesmos políticos não pensam nos aposentados, que veem murcharem os valores de suas aposentadorias ao longo do tempo. Sequer se preocupam com a injustiça do que lhes cobra o Imposto de Renda, como se fosse renda a aposentadoria.

Para que essas deformações e injustiças sociais deixem de existir faz-se necessário que seja abolida a reeleição para todos os cargos, de vereador a presidente da República. O mandato único dificultará a prática de atos ilícitos, com a apropriação do dinheiro público.

Como o ser humano é ávido, em grande parte, o mandato único limitará a ação desonesta dos políticos. A reeleição, ao contrário, presta-se para o uso indevido do dinheiro que é do povo; dinheiro que deve ser canalizado para saúde, segurança, educação.

Muitos homens e muitas mulheres poderão passar toda uma vida sem cometer quaisquer atos ilícitos, desde que, no poder do cargo público, fiquem longe das poderosas empresas privadas, que lhes poderá acenar com as famigeradas propinas, quando contratam grandes obras.

Não me iludo, no entanto, que fica no plano do ideal a mudança, pelos políticos, da Constituição da República, com novo regramento para um único mandato – sem possibilidade de reeleição - em todos os âmbitos. O certo é que, com reeleição, o nosso dinheiro sumirá.




___________________//___________________





30 comentários:

  1. Un articolo intenso, e molto dettagliato sulla mentalità dei politici, che sono di uguali vedute in tutto il mondo...
    Buona settimana, Pedro,silvia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Silvia!
      É sempre com alegria que recebo sua visita aqui no Veredas. Poetisa talentosa que você é, sempre deixa comentários alentadores, pelo que agradeço, minha amiga Silvia.
      Beijo.

      Excluir
  2. Neste momentos assiste-se ao oposto, a líderes que se perpetuam no pode.
    Tiranetes cleptómanos que se acham o centro do Universo.
    Abraço, bfds

    ResponderExcluir
  3. Infelizmente os políticos que vão para o governo não é para governar mas para se governarem.
    Uma boa semana com muita saúde.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para mim, Graça, é uma grande satisfação poder contribuir na divulgação do seu novo livro de poemas, “Antígona passou por aqui” , publicado no seu belo Portugal.
      Fico torcendo pelo êxito dessa sua nova obra, amiga e talentosa poeta.
      Um beijo.

      Excluir
  4. Perfeito,Pedro! Eles querem apenas ESTAR e CHEGAR lá!
    Há presidentes, 3 dias após assumir, já em campanha,afff.
    Que noje sinto dessa corja toda! Tens razão, só mesmo com impossibilidade de reeleição, um mandato e CHEGA!
    Para alguns, se mostram em menos de uma semana!
    abraços e obrigadao pelo carinho pelo niver! chica

    ResponderExcluir
  5. Bom dia Pedro!
    Linda crônica de uma triste realidade que vivemos, em nosso pais o que tem de santo na política é uma vergonha.

    Desejando-te uma excelente semana.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  6. Um texto complexo e muito interessante!:)
    -
    Sentimento fatal...
    -
    Beijo e uma excelente semana.

    ResponderExcluir
  7. Un escrito muy interesante y lleno de verdad.
    Sin duda, es una gran realidad.
    Lo has definido muy bien.
    Un abrazo. Feliz semana.

    ResponderExcluir
  8. Purtroppo caro Pedro, tutto il mondo è un paese, qui in Italia i politici sono nominati dai partiti, perciò è sempre la solita storia, vengono messi avanti dai partiti quelli più convenienti per loro, e la nostra società civile sta declinando anno per anno. Il tuo testo mette in luce la triste realtà che, anche noi viviamo. Ti auguro una serena settimana, Grazia.

    ResponderExcluir
  9. É mesmo uma honra estar aqui o anúncio do meu livro e um agradecimento enorme.
    Bem haja.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  10. Olá, amigo Pedro
    Não podia estar mais de acordo com este seu soberbo texto.
    É uma verdade nua a crua. Quem é político profissional, preocupa-se única e exclusivamente com os seus interesses, e não com o povo.

    Parabéns, amigo poeta!
    Votos de uma excelente semana, com muita saúde.
    Abraço amigo.

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Por lo que nos dices pensé que se trataban de los políticos españoles, pare parece que ese mal es tan grave como el covid.

    Saludos.

    ResponderExcluir
  12. Eso ocurre en su país y también en el mío. Hay países en Europa, que no funcionan así. Los políticos no tienen ningún privilegio y cobran como un trabajador cualificado.

    Besos

    ResponderExcluir
  13. Olá, Pedro!
    Relendo essa linda crônica, e desejar-lhe um feliz mês de Dezembro com muitas realizações.
    Um abraço e boa noite.

    ResponderExcluir
  14. Pedro,
    Acordei e fiquei pensando um pouco,depois o Par trouxe minha 1a
    xicara de café e vim ver
    e vim ver/ler a Tais em seguida Você.
    E é assim como Ela diz lá e Você diz aqui
    que Eu penso, e não há
    o que fazer senão viver um dia
    de cada vez. E aguardar para reaprender a sobreviver pois se Deus não nos ajudar, não serão
    eles que administram que ajudarão.
    Sou grata por ter Vc e a Taís e os demais amigos da Blogsfera pá te a ler e somar nesses dias difíceis
    e parece sempre piorarem.
    Ainda bem que temos a leitura,
    a Escrita e a Poesia.
    Bjins de afeto
    CatiahoAlc.

    ResponderExcluir
  15. O facto de se verificarem reeleições para os altos cargos faz com que essas personalidades comecem a fazer sua "a coisa pública", não distinguindo o que lhes pertence do que não é.

    E como essa possibilidade de continuarem no lugar vem na Constituição, acabamos por ser quase responsáveis por aquilo que nos acontece.

    Concordo com a sua sugestão. A familiarização com o poder não traz benefício aos governados. Antes pelo contrário.

    Apreciei imenso a sua Crónica, amigo Pedro Luso.
    Abraço
    Olinda

    ResponderExcluir
  16. Não temos políticos à altura. Penso que um mandato único não seria solução. Sabendo que só tinham um tempo limitado para se governarem (que é para isso que eles lutam para ser eleitos e não para nos governarem) as falcatruas seriam ainda piores.
    Abraço e saúde

    ResponderExcluir
  17. Realmente, Pedro Luso,
    Não há, nesse meio, santo
    "Tute bene", no entanto,
    "Tutti ladri". Fazem uso
    Do cargo para o confuso
    Dever desviado ao mal.
    O Erário e o seu capital
    É o caráter obtuso.

    Meu prezado, já estivemos pior! Esse é louco, faz vista grassa para o peixe miúdo comer, mas parece que não rouba. Vamos torcer para que surja um estadista, tipo Antonio Carlos Konder Reis, nosso conterrâneo que teve uma vida inteira dedicada à política e morreu pobre. Abraço fraterno. Laerte.

    ResponderExcluir
  18. Olá, amigo Pedro.
    Passando por aqui, relendo este excelente texto que muito apreciei, e desejar a continuação de ótima semana!
    Abraço amigo.

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderExcluir
  19. A democracia, não é um sistema perfeito!... Longe disso... mas a perpetuação no poder... causa-me calafrios.
    Um mandato único, também me parece que não seria solução... apenas remete o seu eleito... para o abuso de poder... quem o controla? quem fiscaliza? quem o questiona sobre algo menos bem?
    A democracia falha... principalmente quando o povo falha nas suas escolhas... e eleições seguintes, ainda vão permitindo corrigir algo, neste doloroso processo... a democracia falha... mas desde que funcione, ainda vai sendo passível de ter correcções... quando ela é interrompida... é o paraíso dos tiranos...
    Um texto curioso, sobre a classe política... e que tantas vezes... age com tão pouca classe...
    Beijinho! Votos de um excelente fim de semana!
    Ana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ana!
      Agradeço pela sua visita e comentário, minha amiga. O Blog Veredas não dispensa sua visita. Volte mais vezes.
      Uma ótima semana.
      Beijo.

      Excluir
  20. Thanks for sharing

    visit our website

    ittelkom jakarta

    ResponderExcluir
  21. oi Pedro, uma reflexão deveras complexa...sou contra a ditadura e completamente a favor da democracia. Mas mesmo a favor das liberdades individuais penso que devemos calibrá-las num sistema de harmônicos poderes como deveriam ser as democracias que se prezem. Só esquecemos que os sistemas são operacionalizados por pessoas e manipulados pelas qualidades e ou defeitos morais da nação. Um caldo cultural que propiciou um nível muito grande de desigualdade econômica que acabou deformando a moral social, Somente uma profunda reforma estrutural onde a Educação forme novas gerações e novos valores de justiça poderemos alcançar um ideal de nação que não nos envergonhe.

    ResponderExcluir
  22. oi Pedro, colocou o dedo na ferida...fiquei empolgada e esqueci de mandar um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Guaraciaba!
      É sempre com satisfação que recebo sua visita e o seu comentário, que sempre o faz com a sensibilidade de talentosa poeta, que és.
      Uma ótima semana.
      Um a

      Excluir
  23. Aplaudindo aqui a sua crônica, Pedro
    Você disse tudo.
    Tenha um excelente fim de semana.
    Um grande abraço
    Verena.

    ResponderExcluir
  24. E " as lágrimas não secam " e continuarão a escorrer rosto abaixo de mulheres, crianças e homens que veem a sua vida a andar sempre para trás; não têm emprego, o pão falta na mesa e as suas criança sofrem todo o tipo de privações . Como não chorar? Como podemos nós reclamar,tendo tudo, apesar da " roubalheira" dos nossos politicos, dos grandes banqueiros e outros tantos poderosos que, fugindo à sua obrigação de pagar impostos, contribuem para a desgraça de tanta gente.? Não devemos reclamar, mas, sim ir às urnas e deixar o nosso voto naqueles que, pensamos , servirão melhor o povo. Aqui o voto não é obrigatório e a abstenção é sempre muito grande; lutámos tanto para que tivessemos direito a escolher os nossos representantes e, agora que o temos, não o usamos, sabendo nós que essa é a única arma para combater esse mal que assola a classe politica. Está certo que as opções são muito poucas; os verdadeiros líderes politicos desapareceram e muitos deles foram assassinados porque não convinham aos poderosos que só ambicionam os grandes lucros em detrimento da dignidade das pessoas. É preciso " uma lupa " para encontrar um lider que se interesse pelo bem-estar do seu povo e isso é a principal causa da grande abstenção. Votar para quê, se nenhum reúne as minimas condições para que neles confiemos? Esta é a pergunta que muitos fazem, mas acho que, apesar de terem razão, devem votar; se não der certo, haverá as próximas eleições, com uma nova oportunidade para corrigirmos o erro. Um mandato ou dois? Nem sei o que te responder, Pedro.... O que seria necessário era uma mudança de mentalidades, tanto nos politicos quanto no povo; vivemos numa época em que falta ética , respeito e responsabilidade em todos os quadrantes da nossa sociedade e sendo daqui que saem os nossos dirigentes, como queremos nós que eles tenham todas estas qualidades? Já alguém dizia," para um bom produto é preciso uma matéria-prima de qualidade e onde está ela na nossa sociedade ?" Será uma utopia querermos mudanças, mas o que seria de nós sem essa Utopia? Precisamos dela para continuarmos com uma boa sanidade mental. Texto pertinente e assertivo, Pedro! Gostei muito! Obrigada e que tenhas sempre saúde para continuares com os teus " desabafos " ora em prosa ora em verso, que nos alertam para os graves problemas do nosso dia a dia e da sociedade em geral. Beijinhos, querido Amigo e para a Tais também.
    Emilia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Emília!
      Pois é, querida amiga, quem conhece a tua sensibilidade certamente não se surpreende com o teor deste teu comentário. E também não preciso dizer-te que estas coberta de razão em tudo que disseste com a tua costumeira sinceridade e teu senso de justiça.
      Agradeço, pois, Emília, por tua atenção ao que escrevi sobre políticos, assunto que nem sempre agrada a todos.
      Desejo a ti e à tua bela família uma ótima semana.
      Um beijo.

      Excluir
  25. A lo que cuentas y que suscribo totalmente, añadiría una alerta para no caer en la inocencia que nos hace tan vulnerables. Esa que, cuando se conoce un escándalo importante, no tarda mucho en aparecer otro mayor, y otro, y otro, para que no tengamos tiempo de analizar el último.
    Recuerdo una serie, creo que inglesa, donde al aparecer en la prensa un hecho gravísimo que involucraba a la Presidenta, ésta se ponía a gritarle a su Primer Ministro: ¡Rápido, hay que hacer que descarrile un tren, o que se reviente el muro de un pantano, o que suframos un ataque desconocido, algo en lo que haya muchas víctimas, para poder tapar esto!

    La imaginación es libre, Pedro.

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

Pedro Luso de Carvalho