>

12 de abr de 2012

[Poesia] RAIMUNDO CORREIA - Último Porto




                          por  Pedro Luso de Carvalho


        RAIMUNDO CORREIA (Raimundo da Mota de Azevedo Correia), nasceu a 18 de maio de 1859, a bordo do navio San'Luiz, ancorado na baía de Mangunça, em águas maranhenses. Morreu em 13 de setembro de 1911, em Paris, ao lado da esposa e das três filhas.

         Raimundo Correia, poeta da fase parnasiana, é considerado com um dos mais importantes, dentre os poetas brasileiros, pela emoção grave e profunda, bem como pelo esmero da musicalidade e da linguagem.

          O poema Último Pôrto faz parte do livro Poesias, de Raimundo Correia, 6ª ed. publicado pela Livraria São José, São Paulo, 1958, p. 187.


                            


                             ÚLTIMO PORTO
                                                   (Raimundo Correia)  


Este o país ideal que em sonhos douro;
Aqui o estro das aves me arrebata,
E em flores, cachos e festões, desata
A Natureza o virginal tesouro;


Aqui, perpétuo dia ardente e louro
Fulgura; e, na torrente e na cascata,
A água alardeia toda a sua prata,
E os laranjais e o sol todo o seu ouro...


Aqui, de rosas e de luz tecida,
Leve mortalha envolva estes destroços
Do extinto amor, que inda me pesam tanto;


E a terra, a mãe comum, no fim da vida,
Para a nudeza me cobrir os ossos,
Rasgue alguns palmos do seu verde manto.



                                                               *  *  *  *  *  *



2 comentários:

  1. Raimundo Correia é imortal
    seus sonetos são sublimes.
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Gostei do seu blog, é interessante e didático.
    Um abraço.
    HD

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

PEDRO LUSO