>

5 de mai de 2010

ROBERTO GOMES - A Filosofia Entre Nós




                  por  Pedro Luso de Carvalho


      Roberto Gomes é um dos poucos filósofos brasileiros que fizeram a abordagem do tema sobre a existência de filosofia brasileira (não confundir com filosofia escrita por filósofo brasileiro), questinando se a temos ou não, como discorre na sua obra CRÍTICA DA RAZÃO TUPINIQUIM, 8ª ed. editada pela Edições Criar, Curitiba, 1986, no seguinte trecho - pags. 55-57:

        “Creio que possamos admitir pacificamente a existência de filosofia no Brasil, clarificado o sentido deste termo. Há filosofia no Brasil porque ela aqui se encontra entre-nós, manifestando sua presença. Talvez um corpo estranho, mas presente. Não só contamos com documentos a respeito, documentos com data marcada, como encontramos revistas e livros que versam sobre seus temas. Aqui realizam-se congressos, encontros, debates, e nos currículos universitários a filosofia consta obviamente – cada vez menos, mas consta. Tudo isso indica que a filosofia está entre nós. Como um parente distante, uma tia talvez, que chega e vai ficando – mas, seja como for, entre nós.

        (...) Introjetou-se aqui – prossegue Gomes – a função do dependente: compreender as idéias alheias e, curiosamente, reduzir a história da filosofia no Brasil à narrativa de nossa “capacidade de assimilação”e de nosso “quociente de sensibilidade espiritual”, quando, numa adequada compreensão histórica, caberia, isto sim, extrair desta constatação o significado mais profundo: os modos de falsificação dos quais temos sido vítimas e co-autores. “O simples fato da questão (como ser original) – nota Antonio Candido – nunca ter sido proposta revela que, nas camadas profundas da criação (as que envolvem a escolha dos instrumentos expressivos) sempre reconhecemos como natural a nossa inevitável dependência”.

        Com a naturalidade com que esquecemos de ser originais – enfatiza Gomes - , deixamos de de observar que um pensamento alheio se enraíza e tem em mira uma situação histórica diversa daquela na qual nos encontramos. O que se evidencia pela preocupação de Luís W. Vita com nosso “grau de compreensão” do pensamento alheio. Esquecemos igualmente que idéias vitais para um europeu ou norte-americano poderão ser aqui meros ornamentos intelectuais, desfibrados e mambembes.

        Seja como for – ressalta Gomes -, há filosofia entre nós. Lembro, no entanto, que isso não esgota a problemática a respeito de uma filosofia brasileira, propondo, no mais das vezes, seu avesso: os sinais de seu esquecimento. Carentes de melhor distinção entre estas duas questões – "filosofia entre-nós" e "filosofia nossa" – encontramos em nossos historiadores de idéias uma marca constante: a quase totalidade do que se escreveu sobre o tema baseia-se num equívoco primário. Este: confundir o valor ou existência de livros de filosofia escritos por brasileiros, com o valor ou existência de uma filosofia brasileira”.

         Mencionei a 8ª edição de Crítica da Razão Tupiniquim, de 1986, por ser a que encontrei entre meus livros; depois dessa edição, houve outras reedições do livro. [Para conhecer um pouco mais da obra de Roberto Gomes, clique aqui.]


                                                              *  *  *  *  *  *

4 comentários:

  1. É claro que existe filosofia entre nós, mas o tema é complexo, visto que a filosofia visa ampliar o estudo das ideias conforme a realidade e a nossa realidade muda constantemente, quando não é distorcida. Ai então, as ideias se multiplicam, se confundem e as vezes até se perdem.
    Lembro que Filosofia na Faculadde era confusa, pois cada aluno tinha um modo de pensar conforme a sua realidade e não a realidade do mundo.
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela visita, Doroni.
      Essa 'confusão' a que você se refere, existe em todas as faculdades, não apenas pelo seu corpo docente como também pela juventude dos seus alunos, que começam a trilhar o caminho do conhecimento, que é tortuoso e que exige muito dos que o desafiam.
      Quanto à "filosofia entre nós", a que se refere Roberto Gomes no seu livro "Crítica da Razão Tupiniquim", ele está enfocando a filosofia que nasce aqui em nosso país, não a que para aqui é trazida de outros países, com as ideias próprias deles, como tem sido a regra, salvo as exceções.
      Abraços.

      Excluir
  2. Vim até aqui...
    para te trazer gentilezas...
    e beijos gentis...
    Leca

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Leca.
      Você sempre será bem-vinda neste espaço.
      Abraços.

      Excluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

PEDRO LUSO