>

13 de jul de 2019

[Poesia] PEDRO LUSO – Meu Cansaço




MEU CANSAÇO
PEDRO LUSO DE CARVALHO




Cansei de muitas coisas da vida,
como o penoso trabalho de ouvir
as queixas dos que sentem arqueados
os ombros, pelo peso que levam.

Agora terei ombros para meus pesos.
Que compartilhem suas alegrias,
que as terei como meu prêmio da vida
por tudo o que de bom eu tenho feito.

Então serão mais calmos os meus dias,
ouvirei o zunir do vento entre árvores,
verei as claras águas do riacho
a correr serenas rumo ao mar.

Neste inverno com generoso frio,
com suas manhãs brancas de geadas,
aguardo pela primavera em flor
com amarelos e roxos ipês.

Mas a vida segue como os ponteiros
do relógio, a marcar o nosso tempo.





   *   *   *





30 comentários:

  1. Pedro, esse teu poema me remeteu ao poema de Pablo Neruda "Não Te Quero"... "...Talvez consumirá a luz de Janeiro, seu raio cruel meu coração inteiro, roubando-me a chave do sossego, nesta história só eu me morro..."
    um abraço... E passei a lhe seguir.

    ResponderExcluir
  2. Resulta curioso ver cómo, al tener los climas cambiados, los pueblos anhelamos cosas ditinta; el viento fresco o el sol radiante.
    De todos modos, recibe mis mejores deseos.

    ResponderExcluir
  3. Qualche volta incontriamo persone sempre pronte a lamentarsi per ogni cosa, il tempo, la salute, la società, ma poi non fanno nulla e criticano chi si comporta come loro.
    Felice domenica, un abbraccio
    enrico

    ResponderExcluir
  4. Que lindo e a começar pela tela de Iberê, o cansaço bem expresso. Cansamos mesmo de tantas coisas e vamos ficando mais seletivos com nossos quereres pela vida afora. abraços, lindo domingo e semana! chica

    ResponderExcluir
  5. Gran verdad, amigo Pedro. Siempre confiamos en que "nuestro reloj" funcione sin necesidad de muchas reparaciones.

    Abrazo.

    ResponderExcluir
  6. Bom dia de domingo e eu aqui curtindo seus escritos, a tela linda que mostra bem o que é a vida!
    Querido amigo poeta Pedro, seus versos tocaram fundo em minha alma, pois sentir a vida é tudo o que há para se pode poetizar!
    Sempre quando estamos vivenciando o momento, nem sempre estamos totalmente nele!
    O frio e o calor, a primavera é a esperança das lindas cores na estação das flores, isso é sonhar, o que seria de nossas almas sem os sonhos!
    O tempo,ah, passa tão rápido quanto o vento!
    Amei imensamente ler aqui em seus versos poéticos muito bem inspirados!
    Abraços bem apertados!

    ResponderExcluir
  7. Precisamos do nosso tempo e dos nossos mimos para que a vida seja leve.

    Gostei muito, Pedro.

    Beijinho.

    ResponderExcluir
  8. Um texto fabuloso:))

    Hoje:- O coração não mente...

    Bjos
    Votos de uma óptima noite

    ResponderExcluir
  9. Boa noite amigo Pedro!
    Maravilhoso poema!
    É verdade que nos cansamos de muitas coisas da vida...!
    Amei ler. Apesar te tudo, a vida é uma bênção
    que recebemos do Senhor!...
    Beijo com carinho, de Paz e Bem!
    Feliz e abençoada semana!
    Obrigado por suas visitas....Felicidades.


    ResponderExcluir
  10. El influir de las estaciones son tan parecidas al caminar de la vida del hombre.
    La primavera siempre tan hermosa y divertida, y el invierno, calmado, ya todo fue hecho y se puede mirar la vida con serenidad.
    Muy bellos y ciertos tus versos Pedro. Me ha gustado mucho el fin de tu poema.

    Un abrazo y buena semana.

    ResponderExcluir
  11. Gostei do seu poema, meu Amigo Pedro eu lembrei-me do poema do nosso poeta José Gomes Ferreira " Viver sempre também cansa. […] Tudo é igual, mecânico e exacto. […] Ainda por cima os homens são os homens. Soluçam, bebem, riem e digerem sem imaginação.[…] Pois não era mais humano morrer por um bocadinho,de vez em quando,e recomeçar depois, achando tudo mais novo?"
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fiquei contente com o seu comentário poetisa.
      Também aprecio muito os seus poemas amiga Graça.
      Um beijo.
      Pedro

      Excluir
  12. Boa tarde de Nova semana, amigo Pedro!
    Seu nome era o do meu pai amado e e o do neto meu. Soa favorável ao meu coração. De paz e alegria ambos.
    Ja havia lido seu precioso poema pautado numa grande experiência de vida e autoconhecimento.
    Ontem e hoje a leitura dele me fez muitíssimo bem pois quando cuidamos de quem amamos umaBmboba energia e dispensada do nosso âmago.
    Sendo assim, e natural que tenhamos uma necessidade natural de autocuidados tambem
    Lindo ver tao bem expresso sentimentos pertinentes ao ser humano
    Tenha dias serenos!
    Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

    ResponderExcluir
  13. Um poema fabuloso que expressa bem o cansaço. Não conhecia a obra de Camargo que o acompanha no início mas também gostei muito. Uma boa semana para si!

    ResponderExcluir
  14. Pedro,
    Quantas verdades nesse teu belo poema! Chega um certo momento que cansamos de carregar todos os problemas da sociedade, da família, dos clientes, dos amigos; chega um momento que queremos paz, sem incomodar ninguém e nem sermos incomodados; chegou o tempo de fugir das encrencas e ser solidário também com nosso coração e com nossa mente. Pelas estatísticas dadas, o Brasil aparece com o povo mais ansioso do mundo!
    Na verdade nós aceitamos carregar muito peso nos ombros! Pelas características do nosso povo isso tudo gera muito estresse e cansaço. Mas é pela conscientização que conseguiremos reverter nosso cansaço.
    Temos, segundo especialistas, que diminuir muito nossa carga emocional, deixar rolar e não permitir aquilo que não podemos mais carregar, temos obrigação de ter a alegria de viver! Descansar no percurso, será mais do que merecido!
    Ainda há tempo para mudanças. Nosso papo no café da manhã rendeu um belo poema, eu sabia...
    Beijinho aqui do lado.

    ResponderExcluir
  15. Uma imagem que fala amigo e o inspirou belamente neste poema sentido, que mergulha pelos porões dos sentimentos onde há dor, estafa e desanimo. O descrédito que faz esta apatia e o sonhar um pesadelo. Mas a vida não muda e se muda é só de lugar.
    Que a paz venha Pedro e que este sorriso amarelo possamos mudar.
    Uma boa semana com paz.
    Meu abraço.

    ResponderExcluir
  16. Pedro,
    Sempre é tempo de olhar
    pra nós mesmos.
    Lindos versos que me fazem
    parar e pensar.
    Bjins
    CatiahoAlc.

    ResponderExcluir
  17. como eu compreendo esse cansaço, meu amigo!
    o peso que outros suportam, também (nos) cansa, não é verdade?
    a tal ponto que, por vezes, desejamos refugiarmo-nos em nossos próprios cansaços - como lenitivo!

    gostei muuito deste teu poema, Pedro
    muito mesmo!

    abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bom saber que o poeta gostou do poema.
      Um abraço amigo Manuel.
      Pedro

      Excluir
  18. Relativizar e delegar é preciso... senão, passamos pelo tempo, sem jamais conseguir dar por ele... passando a vida a correr... para que o tempo... passe ainda mais rápido...
    Uma fantástica abordagem do tempo, neste inspirado poema, em tom de confissão e desabafo...
    Beijinho! Feliz semana!
    Ana

    ResponderExcluir
  19. Un inmenso y maravilloso poema.
    Me ha gustado mucho.
    Un beso. Felices días.

    ResponderExcluir
  20. Boa noite Pedro
    Belíssima imagem, e seu poema demostra sabedoria, no percurso da nossa existência temos que saber deixar algumas bagagem ao longo do caminho, para a vida não se tornar algo penoso, mas sim prazeroso. Um final de semana para vocês mais quentinho. Abraço carinhoso na querida Tais e outro para você.

    ResponderExcluir
  21. Pedro sempre me debruço sobre a ilustração, é um modo de ir tomando e alargando conhecimentos dos artistas e da pintura brasileira. Já que os seus poemas são outra forma de arte de que o presente é paradigma. Realmente o poema e um belo relato da situação climatérica, de momento, nessas paragens.
    Abraço

    ResponderExcluir
  22. Bom dia, Pedro,
    seu poema nos mostra através dos versos o quanto carregamos de peso pelos outros, dizem que a melhor caridade é doar nosso tempo e saber ouvir o nosso irmão,mas às vezes, o peso do outro nos faz mal, por isso é melhor pensarmos em nós, aliviar o nosso peso, pois precisamos amar a nós mesmos para depois amar e ouvir o próximo. termos tempo para apreciar as coisas da vida e sentir as mudanças que acontecem em tudo. A imagem é perfeita. Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você gostou do poema.
      Um abraço amiga Marli.
      Pedro

      Excluir
  23. Amigo, tem um mimo floral e um pensamento para Voce aqui:

    http://espiritual-amizade.blogspot.com/2019/07/o-balsamo-da-amizade-fiel.html

    Tenha um dia feliz!
    Abracos fraternos de paz e bem

    ResponderExcluir
  24. Feliz domingo.
    Un beso.

    ResponderExcluir
  25. Excelente a poesia e a imagem que a inspirou.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  26. Revi-me neste seu poema.
    Abraço

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

PEDRO LUSO