>

30 de mar. de 2021

[poesia] PEDRO LUSO - O Novo Coronavírus

 



O NOVO CORONAVÍRUS

                           - Pedro Luso de Carvalho




Do velho coronavírus não lembro,

mas se presume que existiu,

certamente sem a fúria do novo

que contamina a muitos e mata.



O que sei é que o vírus veio em bando,

está o vírus aqui, ali, acolá,

invisível em todos os lugares,

na mão estendida, no abraço, no beijo.



Mas agora se tem mais fome e luto.

Com tanta morte não se tem descanso,

em especial com os tantos pobres,

pois riscos para ricos são menores.



Depois que esse vírus for derrotado

ficarão ecos das agônicas dores,

do denodado trabalho dos médicos,

enfermeiras – ciência e doação.





_________________________//_______________________






35 comentários:

  1. É verdade, os grandes heróis desta dura peleja são os médicos, enfermeiros e paramédicos.
    A minha irmã, por ter tido câncer recentemente é considerada 'de risco', trabalha na retanguarda, dando apoio por por vídeo-conferência, mail e até por telefone, aos doentes infetados que estão em tratamento nas suas residências.
    Anda extenuada...
    Foi muito bom ler no seu poema um louvor aos agentes de saúde.
    Dias bons e serenos. Beijos, amigo.
    ~~~~~~

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Completo: por cada contacto que faz, tem que elaborar um relatório que fica na ficha do paciente e é enviado a outros departamentos.

      Excluir
  2. Um poema muito bom. Amei :))
    -
    Beijos e uma excelente noite!

    ResponderExcluir
  3. Bah,Pedro! Esse vírus já deu o que tinha que dar . Credo! Inspiração bem atual! Tomara acabe tudo isso! abração, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  4. Boa noite de saúde almejada, amigo Pedro!
    Hoje cedo a fila de teste PCR estava imensa na ala de campanha em frente a UPA.
    Soube que, por aqui, ele está perverso.
    Rezo pelos médicos e paramédicos que aprecio muito o trabalho prestativo e dedicado.
    Dores agônicas de luto pelos que se foram é cruel.
    Tomara isso tenha um freio surpreendente pelo ar assim como ele veio. Eu creio.
    Tenha uma Santa Semana extensiva aos seus familiares.
    Abraços fraternos de paz e bem

    ResponderExcluir
  5. Um louvor merecido, mas que por aqui não parece ser de todo notado.
    Vi hoje nos noticiários reclamações de profissionais de saúde de hospitais do Governo que não foram até hoje vacinados. Um absurdo! Boa noite

    ResponderExcluir
  6. Un poema precioso recordando la actualidad que nos acecha por todo el mundo y parece que seguirá por un tiempo, y después como bien apuntas, quedarán impresas todas las consecuencias producidas y sus cicatrices. Mientras, disfrutemos lo que nos quede.
    Un gusto volver a leerte Pedro.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  7. Una pandemia violenta, che ha sconvolto il mondo intero, e che avrà strascichi gravi per molto tempo...
    Auguri per una serena Pasqua, Pedro,silvia

    ResponderExcluir
  8. Aparentemente árido, de cerne e cepas difíceis, falta-nos vacina para dar um tiro e cuspi-lo fora. Não será o suficiente para desbancá-lo, mas o deixaríamos sob controle, é o que dizem os especialistas. Mas...
    O poema retrata com crueza a dura realidade que se vive dentro e fora do país!
    Um grande abraço, meu amigo Pedro!

    ResponderExcluir
  9. Poema muito lindo mas isto vai demorar muito tempo temos que aprender a lidar com este vírus é merecido tudo aos profissionais só que ficam muito esquecidos falando com experiência própria um dos meus filhos está na linha da frente teve o vírus e teve que pagar os testes á conta dele enfim é o que temos...um beijinho e resto de uma boa semana.

    ResponderExcluir
  10. Il vecchio coronavrus è esistito un secolo fa, ma non so, sinceramente se è stato così violento, la pandemia esiste in tutto il mondo e bisogna fare attenzione a non fare assembramenti, altrimenti ci saranno più infezioni e più morti, Certamente questo Covid sta distruggendo l'ecoomia mondiale, alla fine ci sarà più gente indigente e povera che non riuscirà a sbarcare il lunario, i ricchi avranno una scance in più per salvarsi e rimanere a galla. Purtroppo, tutto il mondo si trova in difficoltà e ognuno deve cercare di salvaguardare il proprio popolo. Un caro saluto Amico Pedro, cerchiamo di riguardarci e non ammalarci, a presto, Grazia.

    ResponderExcluir
  11. Parabéns amigo Pedro,
    Um poema que retrata a dura luta que todo o mundo está a travar contra o CORONAVÍRUS.
    Uma homenagem justa a todos que na linha da frente, se expõem para o combater.

    Um beijinho com o desejo que estejam bem!

    ResponderExcluir
  12. Tal como nos dices en tu poema los los grandes luchadores son los sanitarios, que durante el confinamiento se salía a los balcones a aplaudir pero termino y parece que se olvido. Lo del olvido lo digo porque a partir de que nos dejaron un poco libres parece que se había marchado el virus.

    Saludos.

    ResponderExcluir
  13. Boa noite, meu caso!

    Hoje venho expressamente, para lhe desejar BOA PÁSCOA, a si e aos seus!

    Cumprimentos meus.

    ResponderExcluir
  14. Gostei de ler um poema dedicado aqueles que no dia a dia sofrem a angústia da luta para salvar as vidas dos contaminados.
    Cuide-se amigo.
    Abraço e saúde

    ResponderExcluir
  15. Parece que se va a tardar, más de lo que se pensaba en tratar de erradicarlo.
    Espero que a pesas de los problemas que tenemos este año, tengas una Feliz Pascjua de Semana Santa.

    Besos

    ResponderExcluir
  16. Ficará em nossas memorias a dura luta pela vida, a doação dos profissionais de linha de frente e aquela voz embargada na garganta dos infectados em seu ultimo adeus aos familiares. Um vírus que virou o mundo de ponta cabeça Pedro. E ficará uma triste lembrança da falta de humanidade de quem deveria ser o primeiro a entrar na luta contra o inimigo invisível, que muito trabalho vem dando á toda ciência.
    Que possamos vencer esta nova onda Pedro e voltar a sorrir descoberto.
    Um bravo poema de sua poética e consciência.
    Meu abraço e Feliz Páscoa na família.

    ResponderExcluir
  17. Un gran poema muy real que refleja lo que estamos pasando y la gran lucha que vivimos debido a este sufrimiento.
    La situación se hace muy larga.
    Un beso. Feliz semana.

    ResponderExcluir
  18. Está difícil acabar com esta tragédia. Os profissionais de saúde merecem que os acarinhem. Boa Páscoa.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  19. Vai ser derrotado, sim!
    E tu Pedro, irás continuar a escrever belos poemas, livres dessa palavra maldita.
    Beijo meu amigo, uma Feliz e Santa Páscoa, em segurança.

    ResponderExcluir
  20. Es una batalla larga que se está cobrando muchas vidas.
    Tratamos de no perder la paciencia y mantener la esperanza, pero los días se pasan lentos y a una ola de muertes y contagios se sucede otra mayor.
    En España ya se han vacunado a todos los sanitarios y parte de la población, esperemos que haya vacunas suficientes y pronto podamos volver a la normalidad de nuestra vida anterior.
    Has hecho un precioso poema. Felicitaciones.
    Cariños.
    Kasioles

    ResponderExcluir
  21. "riscos para afortunados são menores", infelizmente, aos pobres caberá sempre a pior parte.
    Boa Páscoa!

    ResponderExcluir
  22. Está sendo muito problemático, conter um vírus, ignorado por demasiado tempo, que em breve se pode transmutar mais rápido do que a criação de vacinas... é esse o receio da OMS, agora quando fala sobre o Brasil... que o esforço de vacinar o mundo tenha sido em vão... pois ou nos salvamos todos... ou nos condenamos entre todos. Acho que Jair... será mesmo muito falado, pelo mundo inteiro em breve... se tal hipótese se vier a confirmar... mas certamente não pelos melhores motivos...
    Gostei imenso do seu poema bem realista, Pedro! Os profissionais de saúde, são mesmo os grandes heróis, deste processo, em que tanta gente sem noção, prejudica o que eles sabem fazer melhor... salvar!...
    Votos de uma Pascoa o melhor possível, com saúde! Tudo de bom!
    Ana

    ResponderExcluir
  23. Oi, Pedro! Quantas perguntas sem respostas...quantas lições a aprender.
    A humanidade colocada em seu lugar no mundo para um exame de consciência...Somente a união e solidariedade, somente a ciência e e o desprendimento de toda a soberba e preconceito; o amor e a caridade podem talvez mostrar a possibilidade de um caminho.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  24. Bom dia, Caro Pedro

    Um Poema e tanto! Gostei muito de ver tratado esse novo inquilino do nosso planeta de forma tão talentosa. Sim, que é feito do velho? Talvez tenha sido contido e faça parte do sistema de vacinação, já sem stress. Para lá chegarmos muito caminho a percorrer ainda. Os profissionais da Saúde são realmente os grandes heróis desta guerra sem quartel.

    Meu amigo, venho agora da Taís. Fui desejar-lhe Boa Páscoa e o mesmo lhe desejo, junto dos familiares, sendo possível.

    Grande abraço
    Olinda

    ResponderExcluir
  25. Pertinente, sentido e belo poema.
    Votos de um Feliz Domingo de Páscoa.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  26. O vírus era aos ricos
    Viajantes, mas agora,
    É aos pobres. Não minora.
    Aos ricos eram nanicos.
    Aos pobres chega aos picos
    Feito enorme gigante
    E está matando bastante,
    Sem recurso hospitalar.
    O pobre não tem azar
    É que é assistido distante.

    Belo poema e contundente, dando sua mensagem! Parabéns! Feliz Páscoa, amigo! Fiz citação tua e de Taís em minha postagem atual. Gratidão! Abraço cordial. Aviso aos navegantes: Tomei a segunda dose da chinesa ontem. Segundo más línguas, estou devidamente chipado e talvez registrado no Partidão! Abraços! Laerte.

    ResponderExcluir
  27. Tais te hará unas riquísimas torrijas, la receta es fácil y el resultado exquisito.
    Agradecida por tus letras.
    Cariños para compartir.
    Kasioles

    ResponderExcluir
  28. Feliz semana.
    Un beso y siempre gracias.

    ResponderExcluir
  29. Boa noite Pedro,
    Um poema magnífico que fala da triste realidade que o mundo atravessa.
    E os pobres são sempre os que mais sofrem.
    Que em breve possamos todos estar libertos desse malvado vírus.
    Um beijinho e saúde.
    Ailime

    ResponderExcluir
  30. Um tema que nos dilacera, mas tem de ser dito, esventrado. A poesia é desabafo e luta. Os da linha da frente continuam e, alguns, tombam em combate.
    Atravessamos um tempo absurdo, amigo Pedro. Excelente poema!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  31. Esperemos que este virus seja derrotado o mais depressa possível.
    Um abraço e continuação de uma boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderExcluir
  32. Caro poeta, Pedro Luso:

    è bem possível que também, no Mundo dss vírus, " seja necessário mudar alguma coisa para que tudo fique na mesma"

    estou tentado a dar-te razão.

    excelente, poema de finíssimo recorte.
    forte abraço

    ResponderExcluir
  33. Caro Poeta Pedro
    seu poema é um grito
    muito actual e real
    a sua inspiração estava em alta quando o escreveu
    meus parabéns de admiração pelo talento
    beijinhos
    :)

    ResponderExcluir
  34. Pedro:
    la pandemia acabará pasando.
    Como el ser humano no tiene mucha memoria, volveremos a caer en los mismos
    errores.
    Soy optimista en que esto pasará.
    ¡Salud!
    Abraços.

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

Pedro Luso de Carvalho