>

30 de jan. de 2020

[Poesia] PEDRO LUSO – A Maldade





     A MALDADE

      - PEDRO LUSO DE CARVALHO




A maldade já vem pronta,
terá seu jeito aos poucos
em definitiva forma,
e estará à vista
dos que queiram ver.

A maldade já vem pronta,
vem nos olhos,
na boca,
no jeito de falar
com voz em falsete.

A maldade já vem pronta,
precisa tão só de espaço,
então se mostrará
e fará vítimas,
sem delas se condoer.

A maldade já vem pronta,
não se importará com a dor
da mão estendida
para o afago perdido,
sol que se apaga no peito.

A maldade já vem pronta,
descuido da genética,
não o sonho dos pais,
vem mansamente
ao nascer o ente maldoso.




*  *  *




34 comentários:

  1. Bom início de Domingo, amigo Pedro!
    Interessante o termo falsete muito usado no coral.
    A maldade é sorrateira, vem tão disfarçada que, quando tolos, caímos de patinho...
    Tem jeitinho de flor aparentemente e, se atentarmos bem, não passa de um cravo de defunto...
    Enfim, são tantos disfarces que não somos espertos o syfuvientes para nos livrarmos de suas garras ou venenos.
    Só posso, humildemente, na minha fé, pedir a Deus que nos livre de todo mal.
    Excelente abordagem poética, Pedro
    Tenha dias felizes!
    Abraços fraternos de paz e bem

    ResponderExcluir
  2. Caro Pedro,
    Em tempos idos, a maldade chegava a galopes... Hoje, ela aparece sem hora marcada... E numa paronomásia... "TRUMP", ela já está pronta!
    Gostei muito dos teus versos.
    Bom domingo para ti!!!

    ResponderExcluir
  3. Uma poesia de grande verdade.

    ResponderExcluir
  4. Il male, una pulsione devastante, racchiusa, in parte in ognuno di noi...
    Versi molto apprezzati.
    Buona domenica, Pedro,silvia

    ResponderExcluir
  5. Que dizer mais sobre a maldade, que as duas comentaristas que me antecederam já não tenham dito?
    Gostei do poema.
    Abraço e ótimo domingo

    ResponderExcluir
  6. El mal, amigo Pedro, está a la vuelta de la esquina. Hay que tratar de descubrirlo, antes que él nos descubra a nosotros.

    Abrazo austral.

    ResponderExcluir
  7. Muito bem trazido esse tema e infelizmente parece que ela cada vez se disfarça menos, está às claras,cada vez mais a podemos ver! abraços praianos, chica

    ResponderExcluir
  8. Versi belli e molto appropriati specialmente in questo periodo in cui si celebra il ricordo del GRANDE MALE che ha sconvolto il mondo provocando milioni di vittime innocenti durante la guerra.
    Buona domenica, un abbraccio.
    enrico

    ResponderExcluir
  9. "A maldade já vem pronta,
    descuido da genética,
    não o sonho dos pais,
    vem mansamente
    ao nascer o ente maldoso."
    Pedro, este poema é «coisa séria», para ler, reler e reflectir.
    Quero continuar a acreditar que todos nascemos bons!
    "DEUS LIVRAI-NOS DA MALDADE..."
    Beijo, bom domingo.

    ResponderExcluir
  10. Oi Pedro, as vezes ela se disfarça, as vezes nem isso...tenho visto e ouvido com frequencia nos últimos tempos de forma cínica e escancarada.Excelentes versos de verdade!
    Um abraço

    ResponderExcluir
  11. Quero continuar acreditando que todos nascemos bons e nas curvas do caminho apanha-se a maldade. Dela se enamora e a torna sua parceira, sua concubina e então disfarça-se de bondade e espalha o seu ignóbil veneno
    Uma temática que nos faz pensar e refletir
    Um feliz domingo amigo Pedro
    Beijinhos poéticos

    ResponderExcluir
  12. Tu poesía dice una verdad sobre el mal, tantas veces con un disfraz tan elegante que pasa desapercibida. Creo que todos nacemos con una parte buena y otra mala, la cuestión es cual se desarrolla por encima de la otra...
    Buena reflexión Pedro.
    Un abrazo y buen domingo.

    ResponderExcluir
  13. Boa tarde Pedro,
    Um belíssimo poema que trata de um assunto que, infelizmente e cada vez mais, está em expansão.
    Difícil travá-lo quando essa maneira de ser já está enraizada no ser humano.
    Também acredito como Gracita que nascemos bons, mas que tantas vezes a sociedade nos molda não para o bem mas para o mal.
    Um beijinho e uma boa semana.
    Ailime

    ResponderExcluir
  14. Don Pedro:
    tiene usted mucha razón. La maldad viene pronto pero tarda mucho en irse, por desgracia.
    Bonita forma de decirlo en su poema.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  15. Para o que não tem solução, a maldade arraigada.
    Seres que se perderam pela longa travessia, vazios secam os olhos da bondade e disseminam toda ira na humanidade. A maldade em poema se reveste de cores fúnebres, ornadas de espinhos. Há uma contínua desagregação e o que vemos é sua fúria indomável amigo Pedro. Ilustração perfeita com Van.
    Um bom final de mês e feliz semana na paz.
    Meu terno abraço amigo.

    ResponderExcluir
  16. Há muita maldade, é verdade. E a pior vem disfarçada de bondade. Um poema cheio de motivos de reflexão, meu Amigo Pedro.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  17. Excelente poema! :)
    -
    Choram as nuvens...
    Beijo e uma excelente semana!

    ResponderExcluir
  18. ¡Hola, Pedro!

    En algo parecido a la vida y la muerte, esta última es nuestra sombra, va a nuestro lado siempre: y la maldad también va al lado de la bondad, por lo tanto, tengamos especial cuidado para no ser, en lo posible, víctimas de ellas.
    Un poema chapó, precioso. Un abrazo y mi gratitud.

    Bendiciones.

    ResponderExcluir
  19. Pedro,
    Acredito na genética, uns nascem bons, generosos, amorosos, lutadores enquanto outros trazem consigo, no seu DNA, as misérias do mundo. Sim, são heranças; se herdamos doenças cardíacas, diabetes, câncer e outras degenerações, como duvidar que não herdamos, também, doenças da mente, do caráter e comportamentais?
    Quantos filhos herdam dos pais e avós um comportamento exemplar, um coração de ouro, a generosidade e outros herdam a sovinice, o mau caráter, a mentira, a esquizofrenia e outras patologias de familiares diretos?
    Todos temos de aprender a reconhecer uma pessoa doente e a lidar com várias patologias, inclusive essa que faz parte de teu extraordinário poema: a maldade! Muito difícil, mas um aprendizado necessário ao ser humano.

    Beijinho daqui do lado.

    ResponderExcluir
  20. Estupendo mensaje en tu poema y mucha verdad.
    Hay que estar siempre alerta y, aún así, a veces no nos damos cuenta.
    Un beso.

    ResponderExcluir
  21. A maldade nasce pronta... o bem tem de ser trabalhado e requer atenção...

    Penso que todos temos em nós o bem e o mal.

    Abraço e boa semana,

    ResponderExcluir
  22. a maldade má a gente aguenta! ...
    o problema maior é quando a maldade vem vestida de virtude...

    e não faltam por aí "Tartufos" a tentarem fazer passar a maldade por virtude.

    gostei muito do Poema, amigo Pedro Luso
    parabéns!

    abraço

    ResponderExcluir
  23. Se a maldade já vem pronta?... Algo que não sei responder... uma parte poderá vir da genética... outra parte poderá ser o resultado da resposta do nosso carácter perante as circunstâncias, o meio em que vivemos... e dependendo das circunstâncias... quem sabe como reagirá numa situação limite?... Todos nos temos na conta, de boas pessoas... e contudo... quem garante, que numa situação limite, não comete uma qualquer loucura?...
    Bem... houve um líder de um país... do qual o ex-secretário da cultura brasileiro seria muito fã... que tentou implementar a raça perfeita... ainda hoje tal ideia, tem bastantes adeptos... o que só prova, que o mundo continua recheado de mentecaptos maldosos... e hoje em dia, já nos aventuramos em algumas experiências genéticas... transgénicos na alimentação (cujos verdadeiros efeitos só daqui a décadas serão realmente conhecidas)... armas químicas... por isso de vez em quando um vírus estranho surge do nada... sobressaltando o mundo... afinal, tem de ser testado... mas bem menos se investe no estudo da genética, para acabar com tantas doenças, pelo mundo fora...
    Se a maldade vem pronta... eu acho que quem a pratica, a mantém dia a dia, ainda mais aperfeiçoada!... Creio bem, que esteja em constante aperfeiçoamento!...
    Um belíssimo poema, com uma temática bem interessante e inquietante, que nos faz reflectir, em muitas vertentes...
    Uma coisa é certa... a maldade, também não depende da cultura... temos médicos e cientistas sem ética... políticos sem consciência, religiosos sem moral, polícia que afinal é bandido, empresários e banqueiros que se revelam puros ladrões... e por aí fora... uma temática riquíssima, esta da maldade!... Cabe um mundo... dentro dela!... Adorei esta publicação, Pedro!
    Beijinho!
    Ana

    ResponderExcluir
  24. Meu amigo, infelizmente, a maldade anda por todo o lado e muitas vezes tão disfarçada, que só damos por ela, quando nos fere o coração e alma.
    Belíssimo poema.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  25. A maldade deveria ser erradicada do mundo em que vivemos. Não acrescenta nada. É triste tropeçar nela.

    Beijos, amigo Pedro.

    ResponderExcluir
  26. A maldade já vem pronta uma triste realidade meu amigo.
    Continuação de uma boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderExcluir
  27. Huyamos de los seres tóxicos, de los frustradores profesionales (a los que en breve dedicaré una entrada), tipos que aprovechan cualquier resquicio para intentar dañarnos.
    El mundo está lleno de gente de ley, de luz. Vayamos hacia ellos, amigo Pedro.

    ResponderExcluir
  28. A maldade é coisa fácil e muito em voga...
    Excelente poema, gostei muito.
    caro Pedro, um bom resto de semana.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  29. Caro Pedro Luso

    Neste seu poema trata um tema preocupante: a Maldade. Donde virá? Nascemos com ela prontinha a ganhar vida? Há pessoas más, há pessoas boas, isso sabemos. O que não sabemos é como a coisa se processa dentro de nós. Há quem diga que trazemos o bem e o mal dentro de nós. O preocupante é quando vemos que a parte má ganha força e a parte boa soçobra. Genética ou ambiente? Não resta dúvida nenhuma: somos seres muito complexos.

    Gostei muito, meu amigo. É importante juntarmo-nos assim e pensarmos nesse lado da vida e das nossas personalidades. E o Pedro deu o tom. Obrigada.

    Abraço

    Olinda

    ResponderExcluir
  30. Los caminos del bien y del mal están repartidos por toda la tierra. Cada uno elije libremente, el camino que quiere seguir.

    Besos

    ResponderExcluir
  31. Achei este conteúdo interessante e compartilhei em meu facebook.
    Bismaxon gravacoes

    ResponderExcluir
  32. Pedro,
    Vim aqui reler e
    me calmar para levar com
    alegria o mes de fevereiro.
    Acabei de postar no Espelhando.
    Bjins
    CatiahoAlc./Reflexod'Alma
    entre sonhos e delírios

    ResponderExcluir
  33. Oi Pedro,
    A maldade fez uma menina linda de 4 anos até os dezoito quando resolveu se casa, nada adiantou carreguei essa maldade pela vida.
    Demorou, mas aos 45 anos encontrei a felicidade.
    Agora, estou no ápice da minha vida a dor da carne é terrível(herança maldita), Mas felizmente tive muito amor do meu tio quem me criou e tudo que ele tinha deixou pra mim. Não precisava, pois sempre tive bons trabalhos em cidades grandes, mas ele me amava( Quantas saudade sinto).
    Fiquei viúva com um filho adotivo de 3 anos. Voltei e aos 45 anos casei-me novamente, ele cuida de mim e eu o amo muito, poi ama meu filho também.
    Boa sorte para o casal
    Abraços
    Lua Singular

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

Pedro Luso de Carvalho