>

6 de jul. de 2022

[Poesia] A MOÇA SOLITÁRIA - Pedro Luso de Carvalho

 





   A MOÇA SOLITÁRIA

                            – Pedro Luso de Carvalho




No teatro, imitação da vida,

a moça ouve risos tantos

esperando por Werther.


São elas íntimas de Charlotte

a bela heroína de Massenet,

da ópera mágico criador.


Werther chega para libertar

das silenciosas amarras

a moça solitária.


Sabe a solitária moça, Werther

se apossou de alheio ninho –

da tragédia sente agouro.


E a morte de Werther acontece

desfazendo os sonhos todos

da triste moça solitária.


Depois de chorar com Charlotte

a morte de Werther, a ópera

na memória se aninha.


Na rua deserta, túnel da noite,

a moça solitária caminha

no ritmo do coração.





_____________________//____________________







24 comentários:

  1. Anônimo19:17

    Que poema triste, amigo Pedro Luso. Nem Wolfgang Goethe se lembraria de tanta tragédia num só dia... :(

    Um abraço.
    ( dias mais alegres lhe desejo.)

    ResponderExcluir
  2. Perdão...não me identifiquei porque o comentário nem me deu tempo...fugiu logo! O Anónimo sou eu, Janita.

    ResponderExcluir
  3. Bem no estílo das opéras, gostei do poema. Abços, boa noite

    ResponderExcluir
  4. E até Massenett aplaudiu o poema.
    Abraço

    ResponderExcluir
  5. Una historia triste y un poema hermoso.
    Un abrazo Pedro y buen día.

    ResponderExcluir
  6. Amigo, Pedro, buena expresión versada sobre esa increíble opera de Massenett. Un placer su lectura.
    Un gran abrazo y te deseo feliz resto de semana, amigo.

    ResponderExcluir
  7. Lindos versos e poema com ópera como inspiração! Só podia ser triste! abraços, chica

    ResponderExcluir
  8. Olá Pedro,
    Não conhecia, e fui em busca do enredo!
    gostei do poema, as palavras que nos despertam emoções e desejos de descoberta, então passei por aqui
    https://
    pt.wikipedia.org/wiki/Werther_(%C3%B3pera)

    ResponderExcluir
  9. Uma excelente proposta pedagógica entremeada de citações de pesquisa.
    Legal!

    ResponderExcluir
  10. Bela recreação de um momwnto alto do Romantismo
    acho que os covocaste todos, Ou náo?

    grande abraço, Poeta

    ResponderExcluir
  11. Caminhar ao ritmo do coração. Belíssimo poema, meu Amigo Pedro inspirado em Werther, um livro de Goethe.
    Muita saúde.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  12. A moça solitária... bem reflecte a fase que o mundo atravessa... embora este se apresente cada vez mais, com menos coração...
    Uma bela e realista inspiração! Aqui pela Europa, uma grande maioria já terá os sonhos arrumados na gaveta... embora se respire um clima de euforia no ar... própria dos que sabem dirigir-se para a tempestade perfeita!... Assim são os loucos anos 20... deste século e do anterior...
    Beijinhos! Bom fim de semana!
    Ana

    ResponderExcluir
  13. Olá, Pedro. Tudo se alinha na Arte. A ópera e os versos. Belíssimo e bem construído seu poema. E a solidão persiste.
    Bom final de semana. Grande abraço!

    ResponderExcluir
  14. Olá, amigo Pedro
    Belíssimo poema aqui nos presenteia. Onde o amor dança e ri, ao ritmo do coração.

    Gostei bastante.

    Votos de um excelente fim de semana, com muita saúde!
    Abraço amigo.

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Grande arte mestre Pedro.
    Trabalho lindo nesta turnê pela cultura com a moça solitária, que no fundo é triste, como tudo à sua volta.
    Gostei de ver esta construção/inspiração.
    Abraços e feliz fim de semana.

    ResponderExcluir
  16. Un bello poema con un final trágico que disfrute en su lectura.

    Saludos.

    ResponderExcluir
  17. Olá Pedro,
    Bela inspiração dessa peça teatra! A moça solitária e suas tristezas companheira de vida. Parabéns!
    Abraços e feliz final de semana.

    ResponderExcluir
  18. Uma rica construção, Pedro, onde a moça solitária recebeu de você um passeio de inspiração cultural. Meus aplausos! (Que esteja totalmente restabelecido). Abraço.

    ResponderExcluir
  19. O teatro também sabe exprimir tragédias que existem na vida real. Tal como a ópera e a poesia.
    E o seu poema traduz de uma maneira brilhante um ambiente onde o sonho se desfaz, deixando a solitária moça entregue ao seu pobre coração.
    Os meus aplausos para este seu excelente poema.
    Boa semana, caro Pedro
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  20. -
    Boa Tarde Pedro
    A moça solitária a procurar rumos e alegrias num mundo de encantar que nem sempre é a realidade.
    E depois, fica novamente a solidão como parceria.
    Um poema assertivo e a falar sobre a solidão, que nem sempre é procurada.
    Um poema muito bem escrito.
    Semana abençoada com muita saúde,
    Beijinhos
    :)

    ResponderExcluir
  21. Pedro,
    O Teatro foi parte da minha vida
    profissional por mais de 20 anos.
    Seu lindo poema muito bem
    traduz a beleza dessa vida.
    Muito bom ler e
    vivenciar.
    Grata por ler no Espelhando.
    Bjins de boa semana inteira
    CatiahoAlc.

    ResponderExcluir
  22. Goethe aqui no seu tom autobiográfico, referência do
    Romantismo, e que o meu amigo Poeta convida para falar
    da moça solitária, num acto em que a ficção imita a vida.
    Gostei muito, caro Pedro.
    Abraço
    Olinda

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

Pedro Luso de Carvalho