>

18 de abr. de 2022

[Poesia] LIÇÕES DA NATUREZA – Pedro Luso de Carvalho





 LIÇÕES DA NATUREZA

                     – Pedro Luso de Carvalho



Sentei-me para escrever.

Queria dizer coisas boas

como na infância dizia,

mas nada escrevo,

pois este é outro tempo.


Levanto-me da cadeira

vou à janela

vejo nuvens escuras

na escura tarde,

vejo o vento forte

vindo do Norte,

na praça em frente,

vento nas árvores

açoites nas copas

folhas arrancadas

galhos quebrados,

firmes só os troncos.


De repente o sinal.

Somem as nuvens

brilha o sol

calor do sol

árvores aquecidas

no forte embate,

do vento e do sol –

o vento vencido.


Copas recompostas

folhas e galhos refeitos

cada um no seu lugar,

e vejo da janela

o vento agora calmo,

antes o vento forte,

a retornar para o Norte.




____________//____________





35 comentários:

  1. A natureza sempre a nos dar lição, só observando é que aprendemos.

    Tenha uma boa semana, amigo Pedro.

    Um abraço

    ResponderExcluir
  2. A tempestade e a bonança.
    A nossa vida também é assim.
    Prefiro pensar nos dias de sol.
    Abraço, boa semana

    ResponderExcluir
  3. Mutamenti repentini della nostra, che colpiscono il nostro sguardo e la nostra anima...
    Un saluto, Pedro,silvia

    ResponderExcluir
  4. Cada momento es único y cada tiempo requiere de nosotros nuevos cambios, que como el viento una veces azota on fuerza y nos desequilibra, y otras abe el sol de la esperanza. espero que estés en un momento lindo de recordar ma tarde
    Un abrazo

    ResponderExcluir
  5. A Natureza ensina-nos, mas somos tantas vezes maus alunos. Gostei deste poema tão visual que me pareceu estar a assistir a tudo.
    Tudo de bom para você meu Amigo Pedro.
    Muita saúde.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  6. Incrível como podemos aprender ao observar a natureza...
    Tudo muda de um ao outro momento!
    Linda poesia!
    abraços, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  7. Um poema ilustrativo, de que, como a natureza, também nós, o ser humano, temos tempos de tempestade e de bonança.

    Gostei muito desta analogia.

    Parabéns, amigo e poeta Pedro!

    Votos de uma excelente semana, com muita saúde.

    Abraço amigo.

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. La naturaleza siempre nos ofrece lealtad, nunca no engaña, el único que intenta engañar y controlar es el ser humano.
    Un bello canto a la naturaleza tan maltratada y olvidada.
    Te deseo un feliz resto de semana amigo Pedro con un gran abrazo de paz y amistad.

    ResponderExcluir
  9. La Naturaleza, da una buena lección al ser humano. Hay que cuidarla muy bien y reconocer los buenos beneficios que obtenemos de ella.

    Besos

    ResponderExcluir
  10. Caro amigo Pedro,
    Que ritmo (alentador enquanto criação poética) e denunciador enquanto natureza. São as lições que teimamos em não aprender. O que fazer?
    Gostei muitíssimo do poema. Um belo jogo com as palavras neste duro embate.
    Um grande abraço, meu amigo!

    ResponderExcluir
  11. Un hermoso poema Pedro, donde las sensaciones de la vista llegan a la mente para disfrutar lo que el día nos regala. Unos días revueltos como el propio ser humano, y otros días llenos de sol y calma.
    Muy bonita tu poesía.
    Un abrazo, y te deseo unos días llenos de sol y tranquilidad.

    ResponderExcluir
  12. Un bello poema querido amigo Pedro.
    La tempestad y la calma en la naturaleza, se funde con nuestra vida al unísono.
    Saludos.

    ResponderExcluir
  13. La bella naturaleza a la que deberíamos cuidar siempre con todo cariño.
    Un bellísimo poema.
    Feliz semana.
    Un beso.

    ResponderExcluir
  14. Nuestros antepasados gracias a la observación que hacían a la naturaleza la conocían mucho mejor que nosotros.

    Saludos.

    ResponderExcluir
  15. Pedro,
    Isso é viver e
    sempre seguir
    adiante com Alegria
    e Esperança.
    Adorei vir aqui nesse
    dia de feriado
    Obrigada
    💖😘Bjins
    CatiahoAlc.

    ResponderExcluir
  16. Me alegra saber de ti y sobre todo que estás bien. Esperemos que la pandemia vaya remitiendo y todos estemos a salvo.
    Me han gustado mucho tus versos hecho al viento,
    Un fuerte abrazo.

    ResponderExcluir
  17. A fúria e a calmaria da Natureza muito bem retratada, Pedro.
    Só de olhar para essas palmeiras me dá um arrepio na pele...

    Um abraço e tempo calmo e soalheiro, é o que desejo.

    ResponderExcluir
  18. A natureza nos dá muitas lições, mostra suas várias facetas, tudo às claras, dias antes somos avisados de como se comportará, alguns de seus dias serão belos e ensolarados, outros com suas tempestades e terremotos! No entanto, os humanos não se mostram por inteiro, suas tempestades e terremotos, só vemos quando estão sobre nós, e pouco temos a fazer. Depois... arrumamos os estragos! Assim somos nós, escondidinhos!
    Belíssimo poema, com algumas interpretações. A minha é essa!
    Beijinho daqui do lado!

    ResponderExcluir
  19. POis, a Natureza supera-se: aprendamos as suas lições.

    Caro amigo, abraço com voto de bom final de semana ;)

    ResponderExcluir
  20. Creo que es un poema hermoso como una metáfora de nuestras circunstancias personales porque hay momentos que nos "sacude" la vida pero sus sacudidas son solo un aviso, enseguida se alejan sus fríos vientos. Feliz fin de semana y que siempre le alumbre el optimismo.

    ResponderExcluir
  21. Oi Pedro! o que nos conforta é saber que tudo passa e a natureza é a Mestra que nos ensina ...assim o tempo agindo vai trazendo suas mudanças quer nas estações assim como na vida. Saber entender nos traz alento!
    Um abraço

    ResponderExcluir
  22. OLÁ PEDRO
    Não preciso levantar-me da cadeira
    olho pela janela
    vejo nuvens escuras
    na escura tarde,
    oiço o vento forte
    assim está hoje o dia aqui.

    Belo poema, parabéns!

    Fiz 2 posts no dia do meu aniversário, convido-o para um deles,
    dou-lhe aqui o link para que possa espreitar:
    http://meusmomentosimples.blogspot.com/

    Porque este ano decidi "desafiar" dois amigos a fazerem um poema alusivo à minha pessoa e como eles tiveram a amabilidade de aceitar o desafio fiz um post sobre esses poemas
    Gostava que os visse!
    Bom fim de semana, bjs

    ResponderExcluir
  23. Olá, amigo Pedro,
    Passando por aqui, relendo este excelente poema que muito gostei, e desejar um Feliz fim de semana, com muita saúde.
    Abraço amigo.

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderExcluir
  24. As caras que a Natureza mostra a cada hora, são como a disposição do Poeta. Ora se evidencia na calmaria; ora se mostra na tempestade. Na conjunção, um glorioso Arco Íris.
    Parabéns, Amigo. Amei.



    Abraço
    SOL da Esteva

    ResponderExcluir
  25. Olá, amigo Pedro, boa tarde...
    quanto honra ter sua ilustre visita,
    no meu humilde "cantinho poético",
    fiquei super feliz!...
    Um grande abraço!!!

    ResponderExcluir
  26. Llego para desearte buen fin de semana
    Un abrazo

    ResponderExcluir
  27. A natureza e suas sábias lições ensinando-nos a cada olhar e inspirando magníficas poesias como essa pérola!
    Abraços fraternos!

    ResponderExcluir
  28. Olá, Pedro

    Uma leitura primorosa do que se passa ao nosso redor, com os elementos
    da Natureza a mostrarem a sua força. Depois da tempestade vem a bonança,
    diz-nos o povo, e vemos aqui esta máxima muito bem empregue neste belíssimo poema.
    Gostei muito, meu amigo.
    Abraço
    Olinda

    ResponderExcluir
  29. Boa tarde Pedro,
    Belíssimo poema versando sobre a natureza que nos rodeia e suas lições.
    Depois das intempéries o sol volta a brilhar e isso nos incentiva a mantermos sempre viva a esperança.
    Beijinhos e uma boa semana.
    Ailime

    ResponderExcluir
  30. A natureza quando quer mostra toda a sua força, todo o seu poder e toda a sua beleza.
    Um brilhante olhar poético.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  31. a Naturza tem seus caprichos,
    por vezes vem ao nosso estado de espírito
    gostei muiton do poema, caro Pedro Luso

    abraço

    ResponderExcluir
  32. Se o ser humano quisesse, tanto que podia aprender com a natureza.
    excelente poema gostei muito.
    Brisas doces *

    ResponderExcluir
  33. Olá, amigo Pedro,
    Passando por aqui, relendo este excelente poema que muito gostei, e desejar uma excelente semana, com muita saúde.

    Abraço amigo.

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderExcluir
  34. Não há tempestade que para sempre dure, felizmente... mas algumas demoram um pouco a passar... aqui pela Europa, de momento... ainda estamos vendo tudo bem negro... para os tempos mais próximos... tenhamos esperança, de que qualquer dia passe...
    Adorei o poema, que nos oferece uma analogia perfeita, com os períodos mais tempestuosos da vida... e respectivas bonanças...
    Beijinhos! Feliz semana!
    Ana

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

Pedro Luso de Carvalho