>

5 de out. de 2019

[Poesia] PEDRO LUSO – Os Sonhos Perdidos (reedição)





OS SONHOS PERDIDOS
– PEDRO LUSO DE CARVALHO




No enigma da noite,
no nevoeiro intenso na cidade,
garimpa a mulher.

No coração mantém
da infância os tantos sonhos,
dourados sonhos.

Sabe ela dos sonhos,
sabe que os sonhos nada valem
para sobreviver.

Tem o corpo para exibir,
habituais clientes, bolsos cheios,
virão atraídos.

No facho de luz,
homem leva na mão o dinheiro –
o preço do prazer.





 *  *  *





32 comentários:

  1. Es una pena que los sueños, en muchas ocasiones, solamente se queden en eso: SUEÑOS.
    Las adversidades que pueden presentarse en la vida, pueden ser la causa de verse arrastrada al hoyo.
    Cariños.
    kasioles

    ResponderExcluir
  2. Um poema triste, meu Amigo Pedro. Quantas mulheres veem os seus sonhos traídos por toda a forma de carência e são feridas pela própria vida…
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  3. Triste sina dessa mulher que não sabe sonhar, mas sabe se vender!
    Linda poesia e foto do Felipe Daroit. abraços, linda semana e setembro! chica

    ResponderExcluir
  4. È sempre piacevole leggere i tuoi post, felice mese di settembre, un abbraccio.
    enrico

    ResponderExcluir
  5. Así es Pedro, los sueños no tienen cuerpo, no tienen bolsillos, ni la visión real de un paisaje, pero gracias a ellos la vida se hace más suave.
    Me encantó el poema y gusto he tenido en leerlo.
    Un abrazo y buena semana.

    ResponderExcluir
  6. Pocas palabras, profundos sentimientos, Pedro. Además, una foto que resume el alma de una gran ciudad.

    Que tengas una buena semana.

    ResponderExcluir
  7. Sembra che il vile denaro abbia sempre il sopravvento sui pensieri umani.
    Versi belli, buon settembre e un saluto, Pedro,silvia

    ResponderExcluir
  8. Bom dia de novo mes, amigo Pedro!
    Amor nao se vende...
    Elas, ouvi uma certa vez, tem tanto Amor no peito que conseguem negociar...
    Deixar de sonhar e um preco milionario que, na realidade, elas mesmas pagam... E nao os clientes...
    Uma poética muito reflexiva.
    Que nunca barganhemos nossos ideais!
    Tenha um Setembro feliz e abencoado!
    Abracos fraternos de paz e bem

    ResponderExcluir
  9. PEDRO,
    Que elementos temos para julgar essas mulheres de vida difícil, sem sonhos, sem objetivos, sem perspectivas? Não estão nessa vida por que querem, mas porque há algo de errado em suas estruturas. São dignas de compaixão.
    Poema sério, social, como gosto.
    Maravilhoso, aplausos!

    Beijinhos daqui do lado!

    ResponderExcluir
  10. "No coração mantém
    da infância os tantos sonhos,
    dourados sonhos..."

    vidas tão sofridas que o talento do Poeta redime.
    grato pela bela partilha

    abraço, caro amigo

    ResponderExcluir
  11. Sonhos que não foram concretizados e que a desmoralizaram.

    ResponderExcluir
  12. Da pena pensar que algunas mujeres tengan que vivir exponiendo su cuerpo.
    Los versos están muy bien logrados.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  13. Vidas difíceis, caminhos tortuosos que levam para longe os sonhos de outrora.
    Belíssimo poema
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir
  14. Anônimo19:26

    Um poema melancólico mas lindo...

    Um Abraço e boa semana
    :)

    ResponderExcluir
  15. Considero este assunto muito pertinente e choca-me ver pessoas a criticar estas mulheres; fico ainda mais furiosa vendo homens a fazê-lo, sabendo eu que muitos as procuram. Já comentei este tema na outra vez em que o aludiste e a minha posição é a mesma....eu faria o mesmo se visse os meus filhos com fome e vários " nãos " a pedidos de emprego e ajuda. Tu sabes que há muito preconceito com os ciganos e eu, passo a vida a defendê-los, porque todos os criticam, mas ninguém é capaz de lhes dar um emprego; eles só têm as vendas nas feiras ou então carregarem cartão ou trzficar droga. Tive algum contacto com esta raça enquanto fiz voluntariado na loja social; eles iam lá buscar alimentos, mandados pela assistente social e nunca tive problemas com eles, pois tratava-os com respeito: uma vez uma cigana disse " a sra acha que alguém me daria emprego, mesmos só para lavar escadas ou tratar de jardins ? " Não, respondi eu. Uma vez soube de um estudante universitário que, depois de terminado o curso, tentou arrumar emprego, mas, ao verem que era cigano as chances terminavam aí mesmo. Hoje, aqui em Portugal, eles são obrigados a mandarem os filhos à escola e já levam uma vida um pouco melhor, mas é preciso fazer muito mais; as novas gerações já pouco têm da sua cultura cigana, mas, mesmo assim, encontram entraves em todos os lados. Essas coisas chocam-me, Pedro, porque, tudo o que acontece de mal é culpa deles; às vezes eu respondo" se a culpa do aumento do tráfico ou assaltos fosse deles, estavamos muito bemm pois eles são uma minoria na nossa sociedade. E é assim...esta mania de nos acharmos melhores que as prostitutas, melhores que os ciganos e outras minorias tem de acabar, porque, se tivessemos a pouca sorte que eles têm na vida não teriamos as mesmas atitudes? É muito fácil " falar de barriga cheia ' amigo. Fizeste muito bem em voltares a este tema, pois há muito a fazer para que todos nos consideremos fazendo parte de uma única especie, a humana, Um beijinho, Pedro e desculpa ter aparecido tão poucas vezes, Boa noite
    Emilia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite, querida amiga Emília!
      Gostei muito dessa abordagem social no teu comentário. Também desaprovo o tratamento desumano dado às pessoas pobres e com futuro incerto. Entendo que devemos ajudá-las de alguma forma, por pouco que seja. Parabéns Emília pelo teu desprendimento e generosidade.
      Beijo.
      Pedro

      Excluir
  16. Hoje, passo apenas para vos dizer, presente. Com calma, nos seguintes posts já deverá ser diferente! Agradeço a todos pela paciência que tiveram, em esperar por mim. OBRIGADA.
    -
    Estou de volta
    Beijos e um excelente dia!

    ResponderExcluir
  17. Um magnífico poema que aborda uma dura realidade, já que a maioria da prostituição é ditada pela necessidade económica.
    Gostei imenso, parabéns.
    Caro Pedro, um bom resto de semana.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  18. É triste demais a mulher que vive sem sonhos, vê-se arrancada sua dignidade em todos os sentidos e sem ânimo para continuar vivendo, pois viver sem sonhos, é não viver, é passar pela vida sem nenhum sentido. Parabéns pelo lindo e tocante poema!
    Beijos carinhosos!

    ResponderExcluir
  19. Después de un feliz verano en el que cierro mi blog y me voy de vacaciones, regreso en Septiembre de nuevo a visitar a mis amigos.
    Un poema duro, aunque lo suavicen tus bellas palabras. Es triste tener sueños y que no sirvan para sobrevivir.
    Un placer visitarte de nuevo.

    ResponderExcluir
  20. Oi, Pedro, uma realidade que se impõe por diversos motivos, alguns válidos, outros nem tanto.
    como saber ou avaliar a razão de cada um ?
    Seguindo nosso preceitos somente podemos lastimar sem julgar.
    Um poema para refletir !
    Um abraço

    /

    ResponderExcluir
  21. Vidas así no son vidas... los sueños son pesadillas.

    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  22. Uma dura realidade muito bem retratada neste magnifico poema meu amigo, gostei e aproveito para desejar um bom fim-de-semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    Livros-Autografados

    ResponderExcluir
  23. Um problema social sempre chocante. E muito bem abordado pelo poeta Pedro Luso.

    Abraço amigo.

    ResponderExcluir
  24. Boa noite PEDRO

    Gostei muito deste poema
    feito com sentimento
    Parabéns.

    Tantas coisas acontecem no enigma da noite,
    umas boas, outras nem por isso
    Aqui a mulher, como qualquer mulher
    No coração mantém sonhos, quantos sonhos!
    O problema é esse: sobreviver.
    Oh...o preço do prazer
    corta a Alma!

    Desejo um excelente domingo, com muita alegria e paz.

    Por aqui tenho 2 artigos novos
    se quiser ver, aqui:
    http://meusmomentosimples.blogspot.com/ 

    e, aqui:
    http://tempolivremundo.blogspot.com/

    beijinho da Tulipa

    ResponderExcluir
  25. Talvez os sonhos não tragam compensação financeira mas sem eles nossas vidas seria um deserto sem emoções. Sobreviver às custas do prazer?
    Um feliz domingo, Pedro
    Abraço

    ResponderExcluir
  26. Quando não houver mais ilusão,
    quando não houver mais sonhos.
    A vida vem e posiciona o canhão,
    tomba o ser em atos medonhos.
    Inspiração na difícil vida fácil mesmo.
    Abraços amigo.

    ResponderExcluir
  27. Los sueños y el despertar...la vida en tu poema.
    Un abrazo Pedro.

    ResponderExcluir
  28. Uma triste realidade que me faz doer a alma. Bonito poema meu amigo. Um abraço com carinho

    ResponderExcluir
  29. Profonda riflessione...spesso la povertà stimola il sogno di una vita migliore, e allora si usa ogni mezzo per realizzarlo, a un prezzo altissimo, il sonno della dignità...versi molto belli, complimenti!

    ResponderExcluir
  30. Il desiderio di una vita migliore stimola i sogni, intanto povere donne sono costrette a vendere il proprio corpo per un tozzo di pane. Una piaga sociale questa che mette in luce quanto la povertà degrada la dignità di chi ne è oberato. Una riflessione veritiera in questi versi che ho molto apprezzato. Buon pomeriggio Pedro. Grazia!

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

Pedro Luso de Carvalho