>

7 de ago. de 2022

[crônica] DIVÓRCIO FRUSTRADO - Pedro Luso de Carvalho

 

Otto Dix - 1899 / 1969       Obra: Os Pais




DIVÓRCIO FRUSTRADO –

- Pedro Luso de Carvalho



Certo dia, deparei-me com uma situação pouco comum, quando atendi no meu escritório um casal de idosos que ansiava pelo divórcio.

Antes de ouvir seus motivos para a drástica medida, pedi que a senhora falasse primeiro, cortesia que as mulheres merecem. Então, ela não se fez de rogada e logo disse que não dava mais para viverem juntos já que os filhos tinham suas vidas em suas casas e ela na sua, sequer podia ouvir a televisão nas duas refeições principais do casal.

Depois da fala da mulher, o marido disse que ela ouvia os noticiosos em volume muito alto para ele, que o deixava com dor de cabeça. A mulher atalhou para declarar a sua surdez, acrescentando que há muito tempo ele usava dois aparelhos nos ouvidos, sem os quais pouco ouvia.

Como se vê, nessas alturas da consulta eu já havia compreendido que a questão era de simples solução, como logo disse a eles, num tom amistoso de quem quer o bem de ambos.

Pelo que entendi, o seu marido reclama do alto volume da TV, e a senhora diz, por outro lado, que durante as notícias ele deveria tirar os aparelhos auditivos, sem os quais quase nada ouviria. Daí, minha senhora – disse eu, depreendo que a sua audição também não está boa.

Dito isso, sugeri a ela uma consulta ao otorrino, no que acabou aceitando o meu conselho, antes de decidir-se pelo divórcio.

Dias depois recebi no escritório duas garrafas de vinho, presente do casal, com um envelope que continha um singelo bilhete agradecendo por ter salvo o casamento deles, o qual terminava com a manifestação da mulher: o senhor tinha razão, pois estou me dando muito bem com o meu aparelho auditivo, e os noticiosos estão uma beleza!





_____________________//_____________________





26 comentários:

  1. Boa noite de domingo, amigo Pedro!
    Acontece... A pessoa raivosa acaba com a cumplicidade que todo casal precisa ter para uma relação harmoniosa e feliz.
    Embora eu tenha convivido em meio ao casal que até morrer só um viveu e o outro morro já estava em vida (meu pai amado), que foram infelizes para sempre, eu creio no Amor cúmplice e eterno.
    Você mostrou a ajuda do diálogo, como faz bem.
    Quando um não quer, dois não brigam.
    Tenha uma nova semana abençoada!
    Abraços fraternos de paz

    ResponderExcluir
  2. rssssssssssss...
    Muito legal e no consultório que bom que tudo assim fosse facilmente resolvido,não é?
    abraços, linda nova semana! chica

    ResponderExcluir
  3. Mais uma vez se confirma que um advogado não é apenas um profissional que trata de divórcios. Também é um terapeuta matrimonial! : )))
    Gostei de ler!

    ResponderExcluir
  4. Uy que bueno que siguieron juntos. Genial relato te mando un beso.

    ResponderExcluir
  5. Dois velhotes e um divórcio?
    Nos meus tempos de advocacia foi bem diferente.
    Uma cena de ciúmes, um amante!!!, uma cena de pancadaria entre os dois homens que mal se movimentavam.
    E um a dizer que o outro o matou com um tijolo que lhe atirou.
    Matou-o?? Mas como, se o senhor está aqui???
    Não me acertou o grande fdp!!!
    A gargalhada foi geral no escritório.
    Abraço, boa semana

    ResponderExcluir
  6. Un buen diálogo lo arregla todo...hay muchos problemas que tiene una sencilla soluciión.
    Que tengas una buena semana. Besos.

    ResponderExcluir
  7. Penso que a maioria dos divórcios acontecem mesmo por motivos bastantes fúteis e de fácil resolução.
    Uma crónica interessante, gostei de ler.
    Boa semana, caro amigo Pedro.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  8. Gostei bastante do seu texto!!
    -
    Procuro nas brechas do meu tempo

    Uma excelente semana. Beijos

    ResponderExcluir
  9. Olá Pedro, os decibéis lá se acertaram:)
    para facilitar a harmonia do casal
    muita gente resolve com mais custos, ou seja duas TV's em casa!
    boa semana

    ResponderExcluir
  10. Amei, Pedro! Um problema de convivência tão simples de ser resolvido e o foi no escritório do advogado, o que, sabemos, não é comum. Meu pai costumava dizer que os casamentos não mais duravam por razões muito pequenas. E isso, há muitos anos. Faltam tolerância e comunicação efetiva. O advogado, nesse caso, foi o conciliador. Parabéns!!!! Abraço.

    ResponderExcluir
  11. Querido amigo Pedro, pois é, muitas vezes somente com uma boa conversa e esclarecimento se pode ver que nem tudo está perdido, tenho um bom casamento por termos sempre diálogos a ajudas mútuas, os dois envelhecem, seria pior se fosse só um, rsrs!
    Amei ler aqui, muito bom ser um bom advogado,nem todos teriam essa sensatez e ter podido ajudar, que bom isso!
    Abraços apertados e parabéns querido amigo que é um bom profissional!

    ResponderExcluir
  12. Olá, amigo Pedro,
    Crónica muito interessante, onde se reflete casos muito comuns do nosso quotidiano.
    Gostei muito de ler.
    Continuação de ótima semana, com muita saúde.
    Abraço amigo.

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Boa tarde Pedro.
    E assim se cancelou um divórcio, por um problema de fácil resolução.
    Gostei demais do texto.
    Boa semana com muita saúde.
    Um beijo
    :)

    ResponderExcluir
  14. Espero que todos casos de divorcio que se presenten en tu despacho se resuelvan como este o al menos de una forma no traumática.

    Saludos.

    ResponderExcluir
  15. Olá. Vim retribuir a sua visita ao meu blog e gostei também muito do seu. Conte com mais uma seguidora.
    Abraço.
    Coisas de Feltro

    ResponderExcluir
  16. Uma delícia de história e refleti aqui quando terminei a leitura que um advogado sábio, em seu escritório, pode também ser um mediador para casais que buscam uma separação. E o seu talento para contar histórias é inegável , Pedro. Gostei muito . Bom dia , e um abraço fraterno.

    ResponderExcluir
  17. Passei para ver as novidades.
    Aproveito para lhe desejar a continuação de uma boa semana, caro amigo Pedro.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  18. Nada melhor que um bom aparelho auditivo para resolver algumas situações complicadas.
    Gostei desta bela história.
    Um abraço e bom fim-de-semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    Livros-Autografados

    ResponderExcluir
  19. Disculpa la tardanza, amigo Pedro, el jardín en este mes de agosto me tiene bastante ocupado. Estamos viviendo unos momentos de sequía como hacía muchos años no se daba. Ya hay restricciones de agua por media España y encima faltaban los incendios.
    Los problemas muchas veces son de muy fácil solución si realmente somos capaces de dialogar e intentar comprender. Bravo por tu recomendación y tu buen hacer profesional.
    Un fuerte abrazo amigo y esa agua que tanto está recibiendo Brasil nos vendría muy bien un poco de ella. Te deseo un gran fin de semana, amigo Pedro.

    ResponderExcluir
  20. Saber ouvir, escutando. Dar valor aos pormenores.
    Uma arte. E assim muitos problemas seriam resolvidos
    sem litígios e , consequentemente, sem grandes custos.
    Gosto muito da forma como escreve, das histórias
    que conta, sempre com um fundo humano e, muitas vezes,
    com finais surpreendentes.
    Abraço, amigo Pedro.
    Abraço
    Olinda

    ResponderExcluir
  21. Boa noite, amigo Pedro,
    Passando por aqui, relendo esta excelente crónica que muito gostei, e desejar um feliz fim de semana, com muita saúde.
    Abraço amigo.

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderExcluir
  22. Maravilha de Post! Aprender a ouvir é um dos maiores segredos da harmonia.
    Assim parece, Amigo Pedro.


    Abraço
    SOL da Esteva

    ResponderExcluir
  23. Pedro meu amigo, hoje rapidinho para lhe deixar meu abraço de admiração desejando que seu dia especial tenha sido de muita paz e alegria com os seus.
    Um abração e feliz semana.

    ResponderExcluir
  24. Boa semana, caro amigo Pedro.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  25. Adorei esta história com um final feliz! E como o mundo precisa de situações assim... bem resolvidas, a contento de todas as partes envolvidas!
    Beijinhos
    Ana

    ResponderExcluir
  26. Querido Pedro,
    Uma solução simples e uma feliz "continuação"!
    Abraços
    Mariette

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

Pedro Luso de Carvalho