>

10 de jul de 2011

[Poesia] W. B. YEATS / Quando Fores Velha


         




            por Pedro Luso de Carvalho


        WILLIAM BUTLER YEATS nasceu num subúrbio de Dublim, Sandymount, Irlanda, em 13 de junho de 1865. (...) Yeats morreu em 29 de janeiro de 1939 e foi sepultado em Roquebrune (França). Nove anos depois uma fragata levou seus restos para a Irlanda; repousam eles hoje no cemitério de Drumcliff, de acordo com o expresso desejo do poeta, em sepultura onde se lê o epitáfio que para isso ele escreveu.

        Segue um trecho da Introdução do livro: "Em 1886, dizia John O'Leary que um dos muitos infortúnios da Irlanda era o de nunca ter produzido um grande poeta. E confiava em que Deus houvesse reservado para os irlandenses tal dádiva. A essa altura, já vinha ensaiando versos, fazia poucos anos, William Butler Yeats, o qual tinha então 21 anos e começava a escrever poesia aos dezessete". 

        (...) Em janeiro de 1924 Yeats viajou para Estocolmo a fim de receber o Prêmio Nobel, que lhe fora conferido.

       “Quando Fores Velha” é um dos poemas que compõe o livro “Poemas de W. B. Yeats", traduzido por Péricles Eugênio da Silva Ramos, São Paulo: Art Editora, 1987, p. 56-57. O tradutor diz que “O texto que seguimos para a nossa tradução é o constante de W. B. Yeats – The Poems edited by Richard J. Finneran, Macmillan, London, 1984.

Irlanda
        


                             [ESPAÇO DA POESIA]


                           QUANDO FORES VELHA

                                                           (por W. B. Yeats)


       Quando já fores velha, e grisalha, e com sono,
        Pega este livro: junto ao fogo, a cabecear,
        Lê com calma; e com os olhos de profundas sombras
        Sonha, sonha com o teu antigo e suave olhar.

        Muitos amaram-te horas de alegria e graça,
        Com amor sincero ou falso amaram-te a beleza;
        Só um, amando-te a alma peregrina em ti,
        De teu rosto a mudar amou cada tristeza.

        E curvando-te junto à grade incandescente,
        Murmura com amargura como o amor fugiu
        E caminhou montanha acima, a subir sempre,
        E o rosto em multidão de estrelas encobriu.



                                        *  *  *

                                                             
        Abaixo, o poema no idioma inglês (original):

                             
                        WHEN YOU ARE OLD
                                          
                                        (by W. B. Yeats)
                               

        When you are old and grey and full of sleep,
        And nodding by the fire, take down this book,
        And slowly read, and dream of the soft look
        Your eyes had once, and of their shadows deep.

        How many loved your moments of glad grace,
        And loved your beauty with love false or true,
        But one man loved the pilgrim soul in you,
        And loved the sorrows of your changing face;

        And bending down beside the glowing bars,
        Murmur, a little sadly, how Love fled
        And paced upon the mountains overhead
        And hid his face amid a crowd of stars.


                                    
                                                         *     *     *

3 comentários:

  1. Claro que não conhecia este precoce poeta Irlandês...
    Adorei o poema....
    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Envelhecer com um bom livro por perto ajuda a embelezar a vida, mostra que ficaram coisas boas como as palavras, as recordações, a companhia da leitura...

    Sempre bom passar aqui.
    Um abraço
    oa.s

    ResponderExcluir
  3. Um bonito poema e uma história motivadora.
    Um abraço.

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

PEDRO LUSO