>

24 de ago. de 2018

[Poesia] PEDRO LUSO - Silenciar





SILENCIAR
- PEDRO LUSO DE CARVALHO




Silenciai,
há cânticos de pássaros
na praça ensolarada.

Silenciai,
há um som de guitarra
adormecendo as estrelas.

Silenciai,
há um choro de criança
no seu primeiro despertar.

Silenciai,
há uma alma serena
a navegar num mar de sonhos.

Silenciai,
há alguém a despedir-se
de uma vida que se finda.




* * *





33 comentários:

  1. Un cuadro hermoso, para un fino poema.
    Buen día Pedro.

    ResponderExcluir
  2. Silêncios... Cada um pode fazer ouvir!!!

    Adorei! abraços, lindo fds(será de sapos novamente aqui???)]
    chica

    ResponderExcluir
  3. Muito bom o seu poema!

    Beijos. Bom fim de semana

    ResponderExcluir
  4. Procuramos o lugar onde começa o silêncio para podermos ouvir os pássaros, a música, as crianças, a vida e a morte… Gostei muito deste seu poema, meu Amigo Pedro.
    Um bom fim de semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  5. Lindo:))

    Bjos
    Votos de uma óptima Sexta-Feira

    ResponderExcluir
  6. Lindo poema adorei como sempre!
    Beijo de Paz e Luz!
    Feliz final de semana~~

    ResponderExcluir
  7. Bom dia amigo Pedro!
    O silêncio faz parte da nossa vida para que possamos refletir!
    Adorei.
    Bjs e obrigada pela visita.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  8. Olá Pedro,

    Este seu poema é especial, uma inspiração encantadora!!...
    Além da melodia poética, das construções imagéticas belíssimas, tem
    uma estética perfeita, meu amigo.
    Podemos dizer que se trata de um poema poderoso, único na
    expressividade alcançada poeticamente. Um canto à vida que traz
    o silêncio como símbolo dos Mistérios enigmáticos e mágicos
    existenciais.
    Adorei!!
    Parabéns pelo magnífico poema, meu amigo Pedro.

    Feliz final de semana!
    Beijo.

    ResponderExcluir
  9. Um clamor cheio de significados. Parabéns.
    Uma construção poética bem bonita, Pedro.

    Abração/

    ResponderExcluir
  10. Silenciar porque todo lo que nos es ajeno, nos molesta. También es un peligro porque hay quien siempre prefiere el silencio a la vida y no digamos si ese ruido lo produce la más minima critíca.

    Me parece un pensamiento muy profundo expresado de una manera muy sencilla.
    Saludos cordiales y gracias por sus amables palabras.

    ResponderExcluir
  11. Pedrão, "si ficá milhó, inté nem si guenta di tão bão que fica!" - "Silenciai!... Há cânticos de pássaros na praça ensolarada." / E é ali na Praça do Quintana / O poeta de alma mais humana / Que todos humanistas em cambada. / A Praça da Alfandega é a pousada / Da alma do poeta soberana / Que a brisa ao beija-la a deixa panda / De suposta paixão imaginada. / A tua imagem e tua poesia /
    É a beleza em apologia / Ao sublime, meu querido amigo! / Bravo, poeta! Tu és senhor e guia / Para o leitor que de alma vazia / Se farta no teu sonho! Estou contigo! Parabéns, amigão! Abraços. Laerte.

    ResponderExcluir
  12. Cuando hay silencio se puede disfrutar de todos los sonidos, bonito poema, que pases un feliz fin de semana.

    ResponderExcluir
  13. Silenciar, que lindo título!
    É no silêncio que sentimos o andar de vida; é nele que refletimos o que nos vai bem ou como desviar das pedras do caminho. É no silêncio que observamos o primeiro sinal de vida ou seu último sopro. Triste, por vezes, mas só assim compreendemos o real sentido da vida. Mas lindo é poder ouvir a alegria dos pássaros nas praças e nas florestas, poder ver e escutar como é maravilhosa e grandiosa a natureza.

    Muito lindo e sensível poema, beijinho daqui do lado.

    ResponderExcluir
  14. O poder do silêncio para as coisas que não importam para apenas se ouvir as que realmente fazem o sentido maior...muito , muito expressivo e verdadeiro o seu poema!
    Um abraço

    ResponderExcluir
  15. Olá Pedro, bonito poema ouvir o silêncio,saber ouvir os pássaros,o vento as estrela...Linda inspiração emoldurada pela maravilhosa tela de Érico Santos.
    Abraços Léah

    ResponderExcluir
  16. Caro amigo, Pedro Luso

    um excelente poema a todos os títulos notável!
    sou sincero admirador do teu universo poético, elegante e sensível
    que projecta tua poesia para um nível superior de talento.

    caloroso abraço

    espero que continues a distinguir-me com tua presença e teus comentários no meu blog

    ResponderExcluir
  17. Maravilha de poesia! Devemos sempre silenciar para emocionar o nosso coração.
    Um grande abraço,]
    Élys

    ResponderExcluir
  18. Boa noite, Pedro
    belíssimo poema que clama pelo nosso silêncio, pois é no silêncio que podemos
    ouvir os mais sensíveis acontecimentos, podemos sentir e nos embriagar com tamanha beleza que Deus nos deu, a natureza. Excelente! Abraço.

    ResponderExcluir
  19. Los sonidos del silencio... en cada verso.

    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  20. Boa noite, Pedro!
    Gostei das diversas possilidades em cada dia renascido e na espera do nosso silêncio para percebermos e entrarmos no ciclo vital das diferentes realidades...
    Tenha dias felizes e abençoados!
    Abraços fraternos de paz e bem

    ResponderExcluir
  21. OI PEDRO!
    ACHEI LINDO TEU CHAMAMENTO AO SILÊNCIO EM RESPEITO A MOMENTOS QUE DEVEM SER SENTIDOS COM A ALMA POIS, PODEM SIGNIFICAR ALGO MUITO FORTE PARA ALGUÉM OU PARA NÓS MESMOS.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  22. Un bello poema.
    Excelente.
    Un beso.

    ResponderExcluir
  23. Silenciar tantas cosas, no tiene otra explicación, es que sirva este silencio total, para así poder escuchar, con toda claridad, esa voz que nos habla en nuestro interior.

    Besos

    ResponderExcluir
  24. Às vezes é preciso saber calar...
    Excelente poema, parabéns pelo talento das suas palavras.
    Caro Pedro, um bom fim de semana.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  25. On bellisimo poema Pablo, el silencio y los sueños de amor aderezan el poema, me alegra saludarte
    Un abrazo

    ResponderExcluir
  26. Que lindo e profundo! É no silêncio que encontramos Deus e a paz interior fica perceptível.
    Obrigada por teu carinho no aniversário do meu Ser Tão Poético, fiquei feliz com sua presença lá!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  27. Tão belo este poema!
    O silêncio nos ensina a melhor ouvir e ver.
    Beijinhos,
    Ailime

    ResponderExcluir
  28. Silencie, mas por favor não calem os poetas.
    Silencie, mas não escondas e nem corte o verso do poeta.
    Beleza de inspiração neste ato de captar do silencio todos os movimentos.
    Abraços Pedro e uma semana maravilhosa para vocês.

    ResponderExcluir
  29. Há tanto ruído ă nossa volta, tanto tumulto, tanto choro de fome, tanto grito de angústia, tanto desespero numa vida que para uns não faz qualquer sentido, embora eles continuem, com fé a correr atrás dela procurando simplesmente um abrigo que afafe um pouco o pior dos estrondos que, creio, é o de um coração que sangra feito cascata descendo serra abaixo. Conhecemos, sabemos, vemos, mas silenciamos; não nos diz respeito e calamos. Silenciar aqui é cobardia, por mais que saibamos que pouco ou nada podemos fazer No meio deste turbilhão de misérias que temos e devemos escutar, há necessidade, há o dever de, fazermos silêncio para agradecer à natureza, o canto dos pássaros, o barulho das águas cascata abaixo, as flores brotando a cada primavera, o gargalhar das crianças brincando no parque e tantas outras maravilhas postas à nossa disposição para nosso contentamento, para o enriquecimento do nosso interior, para , enfim, pelo menos por momentos, esquecermos as barbaridades deste nosso mundo tão desumano. Silenciei para te ler, Pedro, silenciei para pensar no quanto poderemos fazer para salvar todas estas belezas . Nem sempre fazemos tudo o que está ao nosso alcance e assim vamos deixando que todos estes ruidos perturbem a nossa sanidade mental. A poesia ajuda a " silenciar" No silencio o poeta escreve, no silencio lemos e refletimos. Foi isso o que fiz! Muito obrigada pelo belo momento e desejo que consigas abster-te de todos os tumultos que incomodem a tua alma. É fundamental! Beijinhos
    Emilia

    ResponderExcluir
  30. Olá, Pedro!
    Bem, não sei o que dizer...
    É lindo este teu poema, meu amigo. O fim, que eu não esperava de todo, é poderoso!
    Bem...
    Bem, vou reler e silenciar...
    Beijo, poeta.

    ResponderExcluir
  31. Este é o silêncio que não se veste de página branca porque diz mais do supõe a nossa vã filosofia!
    Um abraço, amigo Pedro!

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

PEDRO LUSO