>

2 de mar de 2018

[Poesia] PEDRO LUSO – O Pedido de uma Mãe





O PEDIDO DE UMA MÃE
PEDRO LUSO DE CARVALHO




Mulher altiva, vaidade viva
ante de mim, vitrina do luxo,
as mãos asas em voo de pássaro.

Veio de minas de diamantes,
ou da escuridão do mar profundo,
ou de raio com trovão, a aflição?

Senti que dela nada ouviria.
Feito coração a boca pintada,
semiabertos os lábios mudos.

Pago pelo trabalho que peço,
moça, por amor deixei meu filho –
com amargura, falou a mulher.

A juventude tirou-me o tempo, 
fiquei com fugidias lembranças
do filho, que à justiça imploro.




  
 *   *   *





45 comentários:

  1. Pedro,

    Esse é o drama das mães que doam seus filhos, seja por dificuldades financeiras, seja por problema emocional, seja para viver um outro amor. À vida pouco interessa os motivos, um dia ela cobrará essa falha, e com muito sofrimento. É o que vi nesse teu belo poema, o desespero, o drama de uma mãe para resgatar o filho que deixara anos atrás. Que triste, que brutal dilema nessa altura de sua vida madura.
    Há um filho em jogo, já noutra família e já com outra vida. Como agirá a justiça tão implorada nessa hora?
    Se eu tivesse o poder da decisão em minhas mãos, não tocaria nesse filho, que seguisse com a família, que seguisse a vida sem mais nenhum trauma.

    Belo poema, porém triste e muito real.
    Beijinho daqui do lado.

    ResponderExcluir
  2. Bello siempre leerte Pedro, un poema en homenaje a la madurez del corazón, y todo lo que conlleva, un poema triste pero tan real como la vida misma.
    Feliz sábado.
    Un gran abrazo.

    ResponderExcluir
  3. Realidade para tantos bem trazida aos teus versos...Pena! O arrependimento chega e pode ser tarde... abraços, lindo fs! chica

    ResponderExcluir
  4. Eventi tristissimi della vita, che hai descritto in versi intensi, e molto raffinati
    Buon fine settimana, Pedro,silvia

    ResponderExcluir
  5. Bom dia. Que bonito! Adorei :))

    Hoje: - Ilusório Flagelo
    .
    Bjos
    Votos de Sábado Feliz.

    ResponderExcluir
  6. Bravo! Hai descritto in modo poetico una tragedia e lo strazio di una madre.
    Buona giornata, un abbraccio
    enrico

    ResponderExcluir
  7. Hermoso poema Pedro. El amor de madre es inolvidable.

    mariarosa

    ResponderExcluir
  8. Es muy difícil entender el sentido exacto de lo que se lee cuando la traducción no es clara, pero creo que tu poema habla de una madre a la que le quitaron el hijo, o lo dejó en adopción, y ahora reclama por medio de la justicia...
    De cualquier manera, tus letras trasmiten una triste realidad en cualquiera de los casos.
    Un abrazo y feliz fin de semana.

    ResponderExcluir
  9. Boa tarde!
    Simplesmente lindo!! Amei:

    Hoje: "Poetizando... " Mar e a lua, fiéis ao nosso amor. (...Poetizando...)

    Beijos. Bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  10. Dramático poema. Muy bueno.
    Un abrazo.
    Feliz fin de semana

    ResponderExcluir
  11. Sensível e comovente poema. Não há palavras que traduzam a perda de um filho... seja qual for a circunstância.

    Um abraço

    ResponderExcluir
  12. Boa noite amigo! Uma linda e profunda poesia, bem escrita e com uma forte reflexão. O pedido de uma mãe. Muito comovente. Parabéns boa noite!

    ResponderExcluir
  13. Oi,Pedro...não há como julgar o que se passa no coração de uma pessoa sem passar por suas vivências, mas a dura realidade de um momento não justifica interferir em outra história já estabelecida... a não ser que fosse para melhorá-la sem causar danos mas trazer solidariedade e afeto.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  14. Una buena forma de empezar el domingo con tu lectura, feliz domingo.

    ResponderExcluir
  15. Olá, Pedro.
    Quando a poesia se lê e se sente é PERFEITA!
    O desespero da mãe dos teus versos é real. Ela quer de volta o filho que trocou por um amor de juventude.
    (Não a julgo - quem sou eu - apenas compreendo a dor que sente. Amor de mãe é infinito!)
    Assunto sério este, Pedro. Trataste-o muito bem, num poema para ler, reler e reflectir.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  16. Pedro muitas vezes não podemos julgar,pois estaremos sendo incruéis!
    Há tantas mães que deixam seus filhos por motivos que não cabe a nós julgarmos,mas sabemos que existe esse pedido aflito de mãe,por quem sabe ter deixado seu filho nas mãos de outras pessoas.
    Adorei o poema.
    Bjs,obrigada pela visita e um ótimo domingo.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  17. Olá Pedro, por mais que o tempo tenha passado, para a mãe, nunca é tarde para se resgatar um filho. Aflições de muitas mães são retratadas nesse teu poema. Parabéns! Bjs

    ResponderExcluir
  18. Toda mãe deseja ter em seus braços o filho amado e nem o tempo apaga esse desejo tão querido e tão sonhado retratado com maestria o aflitivo pedido desta mãe. Deslumbrante poema, Pedro
    Um afetuoso abraço

    ResponderExcluir
  19. Um poema que aborda um tema polémico. Se por alguma razão uma mãe doa seu filho, tem direito a reclamá-lo mais tarde? Eu penso que não. Sofrerá decerto acredito. Mas imagina o sofrimento da criança que acredita que vive com seus pais e depois aparece uma estranha a reclamá-lo?
    Um abraço

    ResponderExcluir
  20. Pedro,

    É maravilhoso apreciar a poesia no contexto de obra de arte
    e cada vez mais ser surpreendida pela sua excelência em
    abordar temas profundos e incomuns, que exigem competência,
    esta espelhada neste belíssimo poema, com construções
    imagéticas deslumbrantes:
    "Veio de minas de diamantes,
    ou da escuridão do mar profundo,
    ou de raio com trovão, a aflição?"
    Parabéns, caro amigo Pedro.
    O amigo aqui traz o drama da mulher, o amor materno em
    universo (tão feminino...) na simbologia de amar na
    preservação e no elo eterno. Porém muito complexo, uma
    criança estruturada numa família acolhedora neste amor
    referencial, trazer este pedido desta mãe sem uma busca
    também pelo o filho que fora abandonado por ela...
    Muito grata por este momento de leitura aqui!!
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  21. Nem posso imaginar o desespero de uma mãe que tem que ficar sem o filho. O seu poema, meu Amigo Pedro, leva-nos até ao coração das mulheres a quem isso acontece. É um poema dramático e cheio de sentimento.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  22. Un poema que grita con fuerza el dolor de una madre. Impresionante por tu fuerza y su dolor.
    Abrazos

    ResponderExcluir
  23. Um poema que define a força, a fantasia e até a magia da mulher como m^se. Magistral.
    .
    * Chuva que acalma CORAÇÕES … secos pela desventura *
    .
    Cumprimentos poéticos
    Votos de um dia feliz

    ResponderExcluir
  24. Um poema que bem retrata a triste situação de daquela mãe que por algum motivo teve que doar o seu filho.
    Um abraço.
    Élys.

    ResponderExcluir
  25. No concibo dolor mayor que el de perder un hijo.
    Así que para verse obligada a entregarlo a otra persona, la tragedia que debe estar viviendo esa madre debe ser de proporciones homéricas. Como para vivir el resto de sus días en la desesperación de volver a encontrarlo.
    Saludos, Pedro.

    ResponderExcluir
  26. Caro Amigo é um poema que trata da dor, e que dor essa a de doar um filho!
    Seria para mim morrer sob tortura, uma situação impensada e desesperante...E depois querer recuperá-lo. Muito bom seu poema, trata de uma realidade dramática.
    Beijinhos, Léah

    ResponderExcluir
  27. gostei do estilo dramático, e infelizmente mto atual. um abraço

    ResponderExcluir
  28. drama e dor.
    muito comovente.
    beijinhos
    :)

    ResponderExcluir
  29. Sendo hoje DIA INTERNACIONAL DA MULHER, nada me impede de dizer que: "" Cada mulher que nasce é uma Estrela que brilha na Terra "" ...... A Sua publicação é de uma ternura e carinho exemplar.
    .
    * (Poetizando e Encantando) MULHER ... O Equilíbrio da Vida *
    .
    Votos de um dia feliz

    ResponderExcluir
  30. O drama e o sofrimento de uma mãe que perde o seu filho deve ser descomunal (embora haja excepções...).
    Parabéns pela excelência do seu poema, gostei imenso.
    Continuação de boa semana, caro Pedro.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  31. Em dia internacional da mulher, este é um grito de alma. Um poema que dilacera e faz oscilar os alicerces da sociedade.

    Parabéns, meu amigo.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  32. Gran expresión, estimado Pedro, de una realidad que agobia a muchos países.Dar un hijo, debe ser una de las peores situaciones por sufrir.

    Abrazo austral.

    ResponderExcluir
  33. A dureza da vida retratada num poema belo e pleno de sensibilidade.
    Um abraço
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderExcluir
  34. Dramático poema, que muestra la desesperación y el dolor de una madre.

    La vida es dura, para los que no tienen recursos.

    Besos

    ResponderExcluir
  35. Bom dia, Pedro,
    como admiro os poetas, pois com pequenos versos escrevem uma rica história, que acontece na vida. Triste mãe que chora pela ausência do filho, se diz culpada, por algum motivo, quem sabe doou por não poder criá-lo, mas no coração a ferida aberta sangra.Comovente. A imagem da tela, também impressionante. Abraços!

    ResponderExcluir
  36. Muy bello!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Cariños para ti.
    mar

    ResponderExcluir
  37. Maravilhoso poema! Excelente encontro de palavras!
    Abraço

    ResponderExcluir

  38. Impactante as tuas linhas, Pedro! E verdadeiras, oportunas.
    Beijinho e um bom domingo, amigo.

    ResponderExcluir
  39. Buenos días, Pedro... Lo he traducido para entenderlo y aunque la traducción pierda algo el ritmo, me ha parecido muy bonito. Buen domingo mi querido amigo.

    ResponderExcluir
  40. Boa tarde Pedro!
    Linda a sua poesia, adorei!
    Parabéns. Feliz Domingo, e uma ótima semana.
    Um fraterno abraço, amigo em Cristo.
    Josélia.

    ResponderExcluir
  41. Duras realidades... como será o abandono de um filho... de quem poderá não ter tido outra escolha... cada história aparentemente idêntica... poderá diferenciar-se a partir de uma série de contextos e condicionalismos... de que nunca se estará verdadeiramente a par...
    E esta mãe... deve ter vivido, toda a sua vida... condenando-se a si mesma... para tentar recuperar o filho... no entanto... uma coisa é certa... jamais se consegue recuperar o tempo perdido... e acima de tudo... deve estar o superior interesse do filho... que se for feliz na vida que conhece... não deveria ser premiado, com uma história pesada... que provavelmente, desconheceria... e que a nova família, decerto lhe quis poupar...
    Nem sempre será fácil... atender... ou negar tais pedidos...
    Um belíssimo poema... que foca uma situação... que certamente, nunca reunirá consensos... e que nos dá o que pensar...
    Abraço
    Ana

    ResponderExcluir
  42. Tristeza para mãe que por algum motivo chora a perda do filho, a mesma tristeza deve habitar no coração do filho por não ter a mãe para lhe proteger. O poema traz uma mensagem que faz parte da realidade do nosso dia a dia e que vem de muito tempo.Sempre escrevendo versos de pura beleza Pedro.
    Tenha um abençoado dia!
    Bjs no coração!

    ResponderExcluir
  43. Que bela criatividade meu amigo, poetizar um sentimento tão louco como este, há que ter arte e muita sabedoria e creio até que este é um destes poemas, que o escritor sofre, esmera-se pelo retrato fiel da situação e vem Deus e põe sua sobre a do escritor e temos esta arte coroada como este.
    Bravo Pedro!
    Abraços

    ResponderExcluir
  44. Boa noite Pedro .
    O poema é lindo e comovente. Mas eu penso o seguinte. Quem abandona um filho que não seja pensando no próprio, como em casos de não ter alimento ou por está em risco jamais deveria ter seu filho de volta. Se é que pode ser chamada de mãe. Deveria ser chamada de parideira pois mãe é um nome sagrado. É quem da a luz mas aquela que cria; que da educação, amor. Esse poema me vez lembrar uma história de uma mãe que abandonou dois filhos aos cuidados na avó materna. Os meninos cresceram aos cuidados da avó e tias. Quando estava entrando na adolescência essa mãe que era alcoólatra resolver buscar seus filhos como se fosse mercadorias. A avó não quis briga e infelizmente devolveu os filhos a essa criatura que não tinha amor e nem compaixão. Resultado destruiu essas duas vidas. Casos assim vemos dia a dia. Mulheres que dão seus filhos e depois vem de coitadinha. Coitados são os filhos rejeitados que carregam esse sentimento por resto da vida. Um feliz fds. Abraços

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

PEDRO LUSO