>

22 de fev de 2018

[Poesia] PEDRO LUSO – No Decurso da Noite Longa




NO DECURSO DA NOITE LONGA
PEDRO LUSO DE CARVALHO




No decurso da noite longa
ouço o som
da fala do tempo
e o embate do vento
lacrimoso nas paredes da alma.

No decurso da noite longa
lembranças suspiram –
esperam reviver
momentos passados
no tempo, flecha solta do arco.

No decurso da noite longa
o remorso,
ferro em brasa
derretendo as beiras
da alma, em morte lenta.

No decurso da noite longa
sôfrego desejo
que eu tenho
de esquecer males e danos,
saldo de ímpetos incontidos.




*   *   *





48 comentários:

  1. Muito bonito. Parabéns.

    Hoje:- Silenciada nas águas do rio.
    .
    Bjos
    Votos de uma feliz Quinta-Feira.

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde Pedro,
    Um poema excelente!
    É à noite que tudo fica mais claro e a alma do poeta expande-se.
    Beijinhos,
    Ailime

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde!!
    Excelente poema!! Amei :)

    Beijo e um excelente dia

    ResponderExcluir
  4. Lindo poema e há coisas que valem mais no esquecimento!abração,chica

    ResponderExcluir
  5. Lindíssimo poema!
    Adorei!
    Beijo fraterno.
    Tenha um feliz dia!

    ResponderExcluir
  6. En las largas noches cuando el sueño no llega, da tiempo para analizar lo que se ha oído y se ha hecho. Eso más o menos entendí en tu bello poema que me ha sonado muy armonioso al leerlo.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  7. Nelle ore del buio, cerchiamo di dimenticare le cose che hanno fatto soffire e creato dei problemi
    Pensieri poetici che condivido, Pedro, un caro saluto,silvia

    ResponderExcluir
  8. Excelente Poema, meu caro amigo
    escultura fulgurante da alma do Poeta
    de encontro à noite!

    gostei muito

    forte abraço, meu amigo

    ResponderExcluir
  9. Olá Pedro gostei do poema, parabéns.
    grande abraço, Léah

    ResponderExcluir
  10. É durante a noite, quando a noite cai e o silêncio nos envolve, que os nossos demónios mais nos atormentem.
    Abraço

    ResponderExcluir
  11. En una larga noche, hay tiempo para repasar nuestra vida, mirar los problemas que nos aprisionan y tratar de encontrar la solución .

    Besos

    ResponderExcluir
  12. Don Pedrdo:
    as noites longas dan para mucho, se desespera uno viendo pasar el reloj y los recuerdos acuden como si fueran mosquitos, unos pican y otros dejan sonar su trompetilla.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  13. La noche da mucho tema a los poetas. Parece que tiene la magia de avivar los sentimientos.
    Un abrazo, Pedro.

    ResponderExcluir
  14. O poeta entra na noite e invoca tudo o que o inquieta, sentidamente. Um poema excelente, meu Amigo Pedro.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  15. Pedro,

    Você, como grande poeta e grande conhecedor da arte da poesia,
    sabe que aqui, este seu poema é uma obra de arte perfeita. Um
    poema que vai além da estrutura linguística excelente, da inspiração
    e também evoca o sentir da profundidade existencialista, com
    construções imagéticas belíssimas nos desfechos de cada estrofe
    do poema:
    "e o embate do vento lacrimoso nas paredes da alma."

    "momentos passados no tempo, flecha solta do arco."

    "derretendo as beiras da alma, em morte lenta."

    "de esquecer males e danos, saldo de ímpetos incontidos."

    Pedro, caro amigo, fiz este comentário diante da minha admiração
    pela arte poética, sem nenhuma pretensão de analista literária (
    longe disso...), sou apenas uma apreciadora sincera da
    arte da Poesia...
    Parabéns pela obra de arte deste seu poema.
    Um beijo.

    ResponderExcluir

  16. Gostei muito da repetição em cada verso "No decurso da noite longa". Acho que essa técnica dá força ao poema. Estou pensando como a noite é importante, tanto na festa da alma como na sua tristeza ou reflexões. Tudo de noite tem sentido, tem peso, bem diferente do dia onde fazemos parte do burburinho da vida... Parece que a noite dá maior dimensão à agonia.
    Belo poema, Pedro!
    Beijinho, daqui do lado...

    ResponderExcluir
  17. El encanto de la noche...
    Te dejo un abrazo envuelto en la belleza de tu poema.
    Feliz fin de semana.

    ResponderExcluir
  18. Olá Pedro, que maravilhosa poesia! Ela instiga o pensamento e nos dá formas e imagens poéticas que nos enleva pela noite. Adorei!! Aplausos Poeta!Bjs

    ResponderExcluir
  19. "No decurso da noite longa", relembro momentos do passado que alegram o meu presente.
    Lindo poema Pedro, muito lindo!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  20. Boa tarde, Pedro,
    fiquei um longo tempo admirando a obra de arte, a tela.Percebi todos os detalhes e fiquei imaginando onde iria o homem, em um caminho difícil, rodeado por corvos, encolhido pela vida. Seu poema nos mostra um pouco de tudo isto.Podemos fazer várias leituras, eu até imaginei que " no decurso da noite longa" poderia ser a noite da morte....
    Mas repensei, há tantas noites em que paramos para nos analisar, para interrogar a nossa consciência e a noite fica mais longa. Excelente seu poema. Bom final de semana!

    ResponderExcluir
  21. ¡Ay, los impulsos contenidos, Pedro! Sobre todo tras leer los diarios y ver los noticiarios.
    Lo que haríamos más de cuatro veces si la contención y el sentido común no estuvieran ahí para ponernos los pies en la tierra...

    ResponderExcluir
  22. La magia de la noche, en este hermoso poema.
    Feliz domingo Pedro.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  23. Pensamentos no emaranhado do tempo se digladiam em tormento no decurso da longa noite. Que poema espetacular Pedro
    Um abraço

    ResponderExcluir
  24. Nem todas as noites são claras
    Abraço

    ResponderExcluir
  25. Nas noites longas... as sombras, ahhh as sombras reveladoras. As noites longas nos aproximam da luz. Que belo poema.
    Estive ausente da blogosfera, Pedro. Aos poucos estou voltando.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  26. Magnífico poema, Pedro.
    La noche y el remordimiento, junto al hierro fundido derritiendo fronteras, me parece fascinante.
    Abrazos

    ResponderExcluir
  27. No decurso da noite longa
    ouço o som
    da fala do tempo
    e omembate do vento
    lacrimoso nas paredes da alma.

    Estos cinco primeros versos abren la mente, la llevan a un espacio de sufrimiento. Sin embargo, el poema sigue y no consigue superar el dolor sino mas bien, reafirmarlo. Interesante y emotiva situación del alma.

    Que la luz de la inspiración le acompañe siempre. Ha sido un placer la lectura que he creído entender. Saludos cordiales. Franziska

    ResponderExcluir
  28. Profonda e bella introspezione! Il silenzio della notte ci parla con la voce della nostra anima, ripropone gioie e mancanze e la luce spesso appare troppo lontana...Un caro saluto Pedro, e ancora complimenti!

    ResponderExcluir
  29. Magnífico poema, sensível, profundo e reflexivo!
    Abraços afetuosos!

    ResponderExcluir
  30. "No decurso da noite longa"
    bailan las sombras, el miedo,
    los recuerdos.

    Bello poema, Pedro
    Um abraço

    ResponderExcluir

  31. Hay noches que son eternas... noches amargas.

    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  32. " No decurso da noite longa " quando o sono teima em não vir, tornando-a mais longs ainda, tudo nos vem à mente, Pedro. São recordações, lamentos pelo que deixamos de fazer durante o dia mágoa por alguma ofensa feita ou recebida, enfim, um filme passa a correr pela nossa mente e so acaba quando prometemos que no dia seguinte tudo irá ser diferente,. Como por milagre, um sorriso aflora no nosso rosto e o sono vai chegando reconfortante. Não são boas as noites longas, mas são necessárias para refletirmos sobre a maneira como vivemos o nosso dia. Belo poema, amigo, parabéns. Beijinhos e tudo de bom.
    Emilia

    ResponderExcluir
  33. No decurso da noite longa, é quando nos assaltam os nossos "fantasmas" ou apenas a memória de tudo em nossa vida.
    Que recordemos o bom e que amenizemos o menos bom .
    Poema reflexivo.
    beijinhos
    :)

    ResponderExcluir
  34. Olá Pedro, parece que a noite convida a insônia e a mesma vem acompanhada de inquietações, e ai o sono não vem, as horas não passam, raia o dia e bola pra frente.
    Grande postado!
    Abração!

    ResponderExcluir
  35. No decurso da noite quantas memórias, tristezas, saudades e magoas, vêm à alma.
    Sentido e belo poema
    Um abraço
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderExcluir
  36. Excelente poema meu amigo de que gostei bastante e o quadro que o ilustra é fantástico.
    Um abraço e continuação de boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderExcluir
  37. Uma bela paisagem poética o seu poema. Gostei!

    ResponderExcluir
  38. A veces traduzco tus poemas, la mayoría de ellas los leo en voz alta y me dejo llevar por la musicalidad del lenguaje, aunque existan fragmentos en los que me pierda,,,pero el sentido y el alma de la poesía permanecen.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  39. No cabe duda de que eres un gran poeta, de principio al fin me ha encantado el poema que has escrito para esta entrada, yo creo que es uno de los mejores que te he leído.
    En el transcurso de esas largas noches, cuando el insomnio se instala en nuestra cama, las horas se hacen lentas y tenemos tiempo suficiente para que afloren los recuerdos que torturan nuestra alma.
    Me ha encantado la primera estrofa de tu poema, " oigo el sonido, el habla del tiempo y el choque lloroso del viento en las paredes del alma" ¡Qué bonito!
    Felicitaciones y cariños.
    kasioles

    ResponderExcluir
  40. Fabulosa pintura! O caminhante perscruta a vida e seus rigores. E o poeta alonga-se na pele da noite. É um andarilho da palavra.

    Parabéns, amigo.
    Beijinho.

    ResponderExcluir
  41. De esas largas noches convertida en poesía es uno de tus fragmentos que nos dejas para disfrutar un rato en tu hogar, un abrazo.

    ResponderExcluir
  42. Linda inspiração nos dá o decurso da noite longa, encontro com nossa alma, caímos no verdadeiro encontro conosco mesmo!
    Amei ler!
    Abraços amigo Pedro!

    ResponderExcluir
  43. OI PEDRO!
    NO DECURSO DA NOITE LONGA, NOS BUSCAMOS, TENTANDO EXORCIZAR NOSSOS MORCEGOS INTERIORES.
    MUITO LINDO TEU VERSEJAR.
    ABRÇS
    -http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  44. Pedro, ainda que na noite longa, o poeta com um belo poema de acuidade, tem o condão de a tornar suave, como fica patente.
    Abraço

    ResponderExcluir
  45. Todos en algunos momentos de nuestra vida entramos en esa noche larga, en la que todo es tristeza y dolor. Y hay que atravesarla, única forma de superar el dolor.

    Precioso poema, Pedro.

    Um abraço

    ResponderExcluir
  46. É impressionante... como uma vida inteira... pode caber numa noite de insónias... quantas e quantas vezes...
    Um belo poema, que tão bem aborda as inquietações da alma... e o seu verdadeiro estado lunar... literalmente!...
    Abraço
    Ana

    ResponderExcluir
  47. Sim Pedro, no silencio mais profundo da noite afundam nossos sentimentos mais estranhos e a noite alonga-se infinitamente. Fez me lembrar da longa jornada noite a dentro um pouco com outros sentimentos.
    Belo trabalho Pedro sua arte é muito bela.
    Um abração.

    ResponderExcluir
  48. Boa noite Pedro
    No decurso da noite longa que a noite se torna mas longa e inquietante, pois os sentimentos ficam mas forte. Um lindo poema. Abraços.

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

PEDRO LUSO