>

12 de jul de 2015

[Poesia] PEDRO LUSO - Naquela Noite no Bar



   

NAQUELA NOITE NO BAR             
– PEDRO LUSO DE CARVALHO



Luz difusa
sobre a mesa
do escuro bar.

Em torno do copo
vazio, estranhas figuras
avivam lembranças.

Silhuetas de casais –
sussurros
no escuro bar.

Fugazes encontros
eternizam prazer
e mágoas.

Ondulam sombras
nas paredes
do escuro bar.

Na tua ausência, eu ouço
a música sincopada
de Tom Jobim.

  
    *  *  *



15 comentários:

  1. lindo poema...me fez ficar nostálgica, no bom sentido...abraço

    ResponderExcluir
  2. Olá dr Pedro,belo poema...poderia ser eu a espera de ninguém, ou de meu eu perdido de mim (divaguei rs)...econômico, mas objetivo, melancolico com um prazer fulgás...uma história que poderia ter um final feliz ou triste, mas um final. O poder da poesia, nos faz viajar, sonhar e poder ver poéticamente os pesadelos que se apresentam no nosso dia a dia. Gosto das sombras, assim como gosto de vultos, e de música, muita música:
    sincopada de Jobim.
    ps. Meu carinho meu respeito e meu abraço.

    ResponderExcluir
  3. dejos de nostálgia
    bello blog
    felicidades

    usé el traductor on line, ( no hablo portugués)
    lamentablemente el traductor no es muy bueno, porque ocupa términos que no siempre encajan bien con el sentido y dirección del poema

    saludos desde Chile
    gracias por tu huella

    ResponderExcluir
  4. Muchos amores han nacido en una barra, son un bonito punto de encuentro.

    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  5. es un deleite siempre LEERTE

    ResponderExcluir
  6. Olá Pedro
    Grata pela visita feita à minha "Casa" a porta está sempre aberta para quem a queira visitar..:-))
    Nostalgico mas muito bonito este poema!
    Um beijinho
    Teresa

    ResponderExcluir
  7. Oi Pedro, muito obrigada por seguir o meu blog, fiquei muito feliz! :)
    Já estou te seguindo também, com muito prazer!
    Tenha uma excelente semana, abraços e fique com Deus!!!

    ResponderExcluir
  8. Boa noite Pedro Luso.
    Um poema belo , inspirado nos sentimentos de muitos. Um feliz final de semana para vocês. Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Olá, Pedro.
    Este seu poema traduz bem o que é um bar: o escuro, as sombras, o copo vazio, os encontros e desencontros com a vida.
    Não sou apreciadora de bares - para além do escuro, parece-me que têm sempre um "cheiro" de solidão desesperada.
    Gosto de bar de praia, daqueles que "cheiram" a alegria e a conversa destrancada.
    * a tela é bonita e bem escolhida.

    abç amg

    ResponderExcluir
  10. Um cenário apropriado para os que ali vão recordar com nostalgia seus amores que ficaram perdidos no labirinto da vida. Belo poema Pedro
    Um ótimo domingo
    Um grande abraço meu amigo

    ResponderExcluir
  11. Um belo poema, nostálgico e "à volta de um copo vazio".
    Gostei imenso.
    Pedro, tenha uma boa semana.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  12. Boa noite e um feliz fim de semana...
    A poesia apenas toma forma, ela sempre existiu na natureza das coisas já criadas... Francis Perot

    ResponderExcluir
  13. Oi amigo, vim lhe desejar uma excelente semana, abraços e fique com Deus!!

    ResponderExcluir
  14. La poesía y la música son la voz de las ausencias. Saludos.

    ResponderExcluir
  15. El bar.... los bares, y terrazas de bar, en mi tierra granadina son lugares de encuentro
    entre amigos y familia.
    Brindemos por nuestra amistad virtual con una copa de vino.
    Bello poema.

    Un abrazo.
    MA.
    El blog de MA.

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

PEDRO LUSO