>

25 de fev de 2017

[Crônica] PEDRO LUSO – Tiranos da Segunda Guerra Mundial




       PEDRO LUSO DE CARVALHO


A História mantém em seus registros atos incontáveis sobre a atração que a guerra exerce sobre o homem. Dentre todos esses registros históricos, nada pode ser comparado com os fatos ocorridos na Segunda Guerra Mundial, período no qual muitos líderes deram vazão ao prazer de matar e subjugar seus semelhantes, sendo que nenhum deles pode ser comparado a Hitler.
Na Alemanha, assassinatos foram praticados de forma cruel pelos Nazistas, sob o comando do celerado Adolf Hitler. O morticínio de cerca de 78 milhões de pessoas, na da Segunda Guerra Mundial, inclui civis indefesos – homens idosos, mulheres e crianças. Muitos dos civis alemães certamente não ignoravam as atrocidades cometidas contra o povo judeu, como também não ignoravam os planos de domínio da Alemanha, no âmbito mundial.
O propósito de Hitler era a dominação do mundo e a exterminação do povo judeu. Esse também era o propósito da Alemanha Nazista, que impôs ao povo judeu torturas cruéis e morte, nos seus campos de concentração. Submetia-os a trabalhos forçados e os matava nas suas câmaras de gás.
Em decorrência desses atos de ignomínia, a Alemanha tornou-se responsável por todos esses horrores. Foi responsável pelos crimes contra a Humanidade, praticados pelas suas forças armadas, e teve de pagar uma pesada dívida de guerra, depois de 1945, no Julgamento de Nuremberg. Hitler foi apenas o Chanceler da Alemanha, e foi em seu nome que tantos crimes foram cometidos pelos alemães.
Além desses crimes praticados pela Alemanha, sob o comando de Hitler, sabidamente psicopata, outros crimes foram cometidos durante a Segunda Guerra Mundial, no período de 1939 a 1945. Além desse país, outros, que foram também responsáveis por muitos crimes, praticado nesse conflito: a Itália, de Mussolini; O Japão, de Hirohito; os Estados Unidos, de Roosevelt e de Truman. (Deixo Stalin para uma estudo exclusivo.)
Harry Truman, presidente norte-americano, também deixou sua marca de crueldade na História, ao ordenar o lançamento de duas bombas atômicas contra as cidades de Hiroshima e Nagasaki, em seis e nove de agosto de 1945, cujos efeitos foram devastadores, com a destruição de 60% dessas duas cidades, e com a morte de milhares de seus habitantes, além de milhares de feridos.




    *    *    *


38 comentários:

  1. Como sempre, excelente texto!

    Beijo, bom fim de semana. Feliz Carnaval

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  2. Olá dr Pedro, tema triste, mas que não deve ser esquecido para que nunca mais se repita...tou lendo, paralelo ao que estou estudando no momento, A Menina Que Roubava Livros, cuja a história se passa na Alemanha nazista, é um belo livro e mostra que apesar do nacionalismo implantado por Hitler, muitos, muitos não se dobraram, alguns perdendo a própria vida.
    Tenho medo dos caminhos que o mundo segue hoje, ternho medo que surja alguém tão ou mais cruel para explodir o mundo.
    ps. Carinho respeito e abraço.

    ResponderExcluir
  3. Un magnifico recordatorio de esta guerra tan enorme que nunca se debiera olvidar, aunque en los tiempos que corren las guerras siguen por algunos países, y parece que nada han aprendido de los desastres de épocas pasadas...
    Un gusto pasar por tu relato.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  4. Conseguiste de um tema tão difícil, extrair esse maravilhoso texto,Pedro! Mais uma vez, aliás! abraços, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  5. Purtroppo la storia dimostra quanto una forte aggressività e crudeltà, sia racchiusa nell'animo umano, sempre pronto a commettere stragi inaudite nei confronti dei propri simili....
    Molto interessante, il tuo articolo Pedro, buon inizio di settimana e un saluto,silvia

    ResponderExcluir
  6. Fatos que não devem ser esquecidos, principalmente nos tempos que correm...tem-se que procurar nos paralelos da História para que ela não se repita nem como farsa.Ficar atentos aos sinais!
    um abraço

    ResponderExcluir
  7. Las guerras continúan igualmente a pesar de los adelantos y paso del tiempo, buena crónica.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  8. Ótimo texto amigo Pedro, esses fatos renderam inúmeros documentários, filmes, livros, estudos e ainda dão muito o que se pensar e repensar tudo isso e a conclusão é sempre a mesma, o homem é de guerra, o homem faz a guerra, o homem não muda muito, acho que precisarão milhares de anos ainda para que possam expurgar essa erva daninha que é o ódio, a intolerância racial e religiosa, enfim nem parece que tudo isso que você expõe aqui aconteceram pouco mais de meio século!
    Pois de fato o Holocausto ocorrido na Segunda Guerra Mundial marcou de forma a nos deixar cada vez mais descrente de que o homem possa se regenerar!
    Amei ler, abraços amigo Pedro!

    ResponderExcluir
  9. Boa noite Pedro.
    Triste relato de um fato mas triste ainda,onde pessoas morrerão como animais, foram abatidos como bichos. Estamos em tempos difíceis, sem saber se vamos ter uma intervenção militar ou o atual presidente nós fará viver uma situação ajnda não vividas por nós. Só Deus na causa. A Alemanha não vive também os seus melhores momentos. Adolescentes vivem aterrorizados. So apenas não é tão divulgado como a ruína do nosso Brasil. O sangue que corre na minha veia e alemão e brasileiro. Nenhum dos dois me orgulha agora. Meu irmão está no Brasil e diz que aqui é o paraíso, e eu ja estava pensando na possibilidade da Alemanha rsrs. Uma feliz semana. Abraços.

    ResponderExcluir
  10. Os tempos são outros e noutro formato a ignomínia continua
    Regenerar? Talvez nunca venha acontecer
    A cobiça e ganância são os estertores de uma guerra que parece nunca terá fim
    Um grande abraço amigo Pedro

    ResponderExcluir
  11. Vendo essas atrocidades, reportando às guerras passadas, não acredito na regeneração de seres tão doentios. Sempre surpreenderão pela maldade, pela crueldade sem limites, com requintes pouco divulgados. Acredito, sim, em seres que nascem providos de virtudes, de solidariedade, de amor. E assim será sempre, duas forças em duelo, numa luta permanente. Mas sempre foi assim, só que daqui para frente, com armas mais sofisticadas, com a evolução, o mal também evoluiu e se posicionou.
    Ótima crônica, também um alerta!
    Beijinho, querido!

    ResponderExcluir
  12. Uma crónica com um assunto muito sério, meu Amigo Pedro. O holocausto foi de uma crueldade que só de pensar arrepia. Mas o pior é que a humanidade nunca deixou de encontrar maneira perversas e cruéis de torturar os seus semelhantes. Não aprendemos nada com a História do passado?
    Uma boa semana.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  13. Boa tarde, não direi que o homem tem atracção pela guerra, digo sim que tem atracção pelo poder, é o consolidar do poder que causa a guerra,penso que hoje é diferente, não é fácil ser aprendiz de feiticeiro.
    AG

    ResponderExcluir
  14. Momentos em que a crueldade implantada em alguns seres trouxe para este planeta momentos horríveis de muita escuridão, de muita tristeza.
    Creio que um dia a fraternidade será implantada e a Terra será completamente iluminada.
    Um abraço.
    Élys.

    ResponderExcluir
  15. O poder destrói as pessoas... que bom seria se o mundo fosse mais comprometido com sua gente... gente honesta e de atitude...
    Um beijo

    ResponderExcluir
  16. A guerra é um ato primitivo.
    Quando falta a mediação simbólica, a mediação pela palavra o que impera é a pulsão de morte pelo delírio imaginário, que não é outra coisa que o narcisismo mortífero que não suporta o diferente, senão pela eliminação do Outro.
    Excelente texto!
    Obrigado pela visita ao meu blog.

    ResponderExcluir
  17. Há gente canalha em todas as estações
    mas também que a combata
    Abraço

    ResponderExcluir
  18. Um excelente texto, sobre uma das épocas mais negras da humanidade. As armas nucleares, os fornos crematórios, as câmaras de gás, fazem da segunda grande guerra a mãe de todas as guerras.
    Um abraço9

    ResponderExcluir
  19. A história com seus registros macabros sinalizando para gerações futuras o quanto há de perversidade no comportamento humano.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  20. Hitler me cambió la vida, Pedro.Nací en Alemania y a mis tres años llegué a Chile junto a mis padres que huían del terror.Por cierto tuvimos una suerte de la que carecieron millones.

    ResponderExcluir
  21. O livro "A Guerra Secreta de Stalin" ajudar-te-á a compreender ainda melhor quem foi este homem. Na África Negra, por todas essas décadas depois da Segunda Guerra, a Europa (mesmo a Europa Boazinha e a Europa Neutra em Guerras) promoveu o morticínio de tantos seres humanos quanto os que Hitler ou Stalin promoveu. Talvez até o que eles somados promoveram.
    Mas um morticínio secreto, desconhecido, não tocado, no substrato das nossas consciências indiferentes, prossegue em larga escala pelo mundo. Se Hitler terá induzido à morte 78 milhões de pessoas, lembro que são eliminados covardemente, por ano, nos Estados Unidos, 1,4 milhão de fetos, em abortos. No Brasil, são 800 mil sem legalizar, como era nos Estados Unidos até a década de 70. Se legalizar, passamos a 1,5 milhão, por ano. No mundo, são assassinados 46 milhões de fetos por ano. Em quatro anos, é a população inteira do Brasil! Os fetos são mortos por picotagem.
    Quem é mais cruel que quem? Meu amigo, já não sei.
    Grande abraço

    Luc

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradeço a sugestão do amigo. Caso ainda não tenha lido esse livro, vou comprá-lo para juntar a tantos outros livros que tenho sobre a ditadura mais dura que o mundo conheceu, a de Stalin. Quanto a "esse morticínio na África Negra", ao qual você faz referência, não o conheço na mesma proporção que conheço a vida de Hitler desde a sua chegada à Alemanha, sua participação como soldado (cabo, talvez) na Primeira Guerra Mundial, seus primeiros movimentos políticos, sua ascensão no partido, e, daí em diante, a invasão da Polônia, em parceria com a antiga União Soviética, a reunião dos judeus em guetos, depois a morte destes, em número de 3 milhões somente nesse país, e tudo o mais que se seguiu, como está nos muitos livros sobre esse monstro nazista, também em numerosos documentários (um grande número deles feitos pelos nazistas), que, para vê-los, basta acessar o You Tube. Por outro lado, tais crimes contra a Humanidade não podem ser absolvidos por morrerem milhões de pessoas no mundo por outros atos criminosos, como, por exemplo, pelo aborto, como você menciona (todos temos limites para nossas atividades intelectuais, ainda mais quando estas estão ligadas à atividade profissional, como é o caso da advocacia, e o de escrever sobre o Direito).
      Um abraço.

      Excluir
    2. Tens toda razão! Faço apenas o registro de que não foi minha intenção dar qualquer ideia de absolvição a Hitler ou a qualquer dos seres desumanos que destruíram e destroem vidas. Todos eles hão de se ver com a Justiça. Ainda ontem assisti novamente "O Pianista". Hitler e seus assassinos hão de pagar por aquilo. Grande abraço

      Excluir
  22. Pedro

    um tema muito sério e muito triste, esta crónica fala-nos da guerra que é feita pelos homens e não devia existir.

    excelente texto.

    beijo

    :)

    ResponderExcluir
  23. Pedro, nunca é demais dar relevância a tais atrocidades, até para não nos esquecermos como a guerra transforma os homens.
    Vejo com muita preocupação, novos ditadores nos países mais poderosos do mundo e actualmente a guerra ainda pode ser mais mortífera.

    Um beijinho

    ResponderExcluir
  24. Os alemães que cometeram esses crimes espalharam-se pelo mundo
    e, porque odiavam os Estados Unidos e a «Commonwealth», escolheram
    principalmente a América do Sul e África.
    Sendo assim, não me espanta que apareçam por aí pessoas tentando minimizar a criminalidade da II Guerra Mundial, que é o tema desta crónica.
    As bombas atómicas foram terríveis e horrorizaram o mundo, porém, foi a única maneira encontrada, na altura, para impedir a chacina perpetrada pelos japoneses no Oriente, mortandade que também não poupava nem crianças, nem as mulheres e idosos... A China foi o país que registou o maior número de mortos...
    Pelo menos, parece que uma lição ficou... que a humanidade corria o risco de extinção, se continuasse a usar a bomba atómica...
    É saudável dissertar sobre estes temas e é fundamental preservar a memória dos factos, motivos que tornam a sua crónica muito pertinente e assaz importante.
    ~~~ Abraço, amigo ~~~

    ResponderExcluir
  25. Pedro, en un momento como el que estamos viviendo, es muy útil recordar ese doloroso pasado, para estar muy alertas y que por nada nos vuelva a suceder algo así. Y aunque el señor Trump tiene todas las características de un loco sanguinario y lleno de odio, poder contenerlo será lo más importante en política exterior, por parte de todos los países. Confío en que el amor es más grande que el odio.
    Un abrazo muy grande.

    ResponderExcluir
  26. Excelente texto.

    Las guerras son terribles. Y muy crueles.

    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  27. Uma crónica de períodos negros da história, brilhantemente escrita, como sempre nos habituou.
    Um abraço
    Maria

    ResponderExcluir
  28. A história é mestra da vida, e que esses crimes não se repitam. Conheci um expedicionário brasileiro que participou da tomada do Monte Castelo e dizia: A melhor maneira de se defender é atacar porque o campo de batalha deve ser preferencialmente na casa do inimigo, não na nossa casa. Um país que é palco de guerra, torna-se uma zona de prostituição - ninguém respeita ninguém. Grade abraço. Laerte.

    ResponderExcluir
  29. Boa noite, Pedro. Um tema lamentável que nem deveria ter existido tamanha atrocidade em seus atos.
    Muito triste recordar a violência vinda de dentro do homem por crer, em seu desatino ,
    que seria a melhor solução.
    Hitler, um sanguinário que tinha prazer no massacre.
    Creio que o homem está longe de ser humano,
    Hoje em dia vemos guerras, não no formato de outrora, contudo, repletas de maldade em todos os lugares do mundo.
    Assim, segue o homem para seu próprio abismo.
    Parabéns pela clareza e riqueza de detalhes do texto.
    Grata pelo carinho.
    Tudo de bom.
    Beijos na alma.

    ResponderExcluir
  30. Nunca é demais relembrar a história para que ela não se repita na sua faceta mais negra e vergonhosa.
    Um abraço e bom fim-de-semana.
    Andarilhar || Dedais de Francisco e Idalisa || Livros-Autografados

    ResponderExcluir
  31. Ojalá pasen a la historia las guerras, todas.

    ResponderExcluir
  32. Subscrevo inteiramente seu texto.

    Só acrescento que , além dos judeus, os ciganos também estavam nos planos de extinção de Hitler , que tencionava assassinar oitenta por cento dos polacos, reduzindo os restantes vinte por cento a escravos.

    Aqui deixo minha homenagem a TODAS as vítimas.

    Bom final de semana

    ResponderExcluir
  33. Al leer su texto me da por pensar que la Historia nos ha premiado con un montón de primates que no llegaron al poder por casualidad. Quienes los pusieron allí sabían perfectamente cuál era su verdadera personalidad y hacia dónde se encaminarían sus actos.
    Lo que no sé es si debo hablar en pasado, en presente o futuro, porque una ve y oye cada parlamento presidencial…
    Un saludo.

    ResponderExcluir
  34. ESA GUERRA FUE UNA VERDADERA LOCURA. UN DESASTRE PARA LA HISTORIA DE LA HUMANIDAD.
    ABRAZOS

    ResponderExcluir
  35. A historia está sempre manchada por estas páginas infelizes
    e cruéis por seres humanos contra os seus semelhantes, seja
    por guerra ou por algum tipo de intolerância. Os horrores da
    Segunda Guerra e em particular de Hitler não se apagarão e estarão
    sempre lembrados em nome dos que foram aniquilados.Hoje quando leio
    sobre seguidores deste ditador aloprado fico indignado com a mente destes seguidores e o risco que os alvos corre por isso.
    Um bom grito amigo e que esteja na memória de todos.
    Meu abraço e que Deus nos proteja.
    Boa semana para vocês.















    ResponderExcluir
  36. E no entanto... nada se aprende com o passado...
    A guerra continua a fazer parte do nosso café da manhã, a cada dia que passa, com acontecimentos trágicos, quando abrimos os jornais, ou espreitamos a Net... que não parecem do nosso mundo... porque ocorrem longe...
    Em Aleppo, por exemplo, no ano que passou, mais de 600 crianças foram vitimas de guerra... as que estão vivas, orfãs e que foram capturadas... são recrutadas à força, para serem carne para aparar bala, na frente de combate, todos os dias...
    Os tiranos continuam... só que uns usam armas... os outros vendem-nas, ou venderam-as. A guerra de hoje... começou na década de 90 do século passado a desenhar-se... uns fazem a guerra... outros deixaram-na acontecer... a tirania... nunca deixou de acontecer no mundo... Somália, Etiópia, Ruanda... imensos países do continente africano, continuam até hoje debaixo de regimes tiranos... nunca ninguém fez nada por essas pessoas, que morrem por falta de tudo há décadas e décadas, e na falta de tudo, metem-se em bandos, em cima de qualquer coisa que flutue, que os leve para outro lado, actualmente...
    Somos todos tiranos quando compactuamos na compra de produtos, que são feitos em países, que assentam na exploração pura e simples de quem trabalha... estou-me a lembrar de uns quantos países asiáticos...
    A tirania, a crueldade... é intrínseca a natureza humana... porque sempre se tira partido dela, das mais variadas formas... e por isso, sempre esteve e estará presente, em todas as épocas da história...
    E não prevejo nada de muito diferente no futuro, infelizmente... a avaliar pelas posições extremistas que se vêem a ganhar força em muitos países europeus, por exemplo... e que nos encaminham a passos largos, para uma época de tensão... como a que aconteceu por ocasião da Segunda Guerra, graças aos actuais e imparáveis fluxos migratórios... para os quais ninguém tem solução...
    Um excelente texto, Pedro, que abordou brilhantemente, as épocas mais negras da história da humanidade.... mas que não se ficaram por aí... com a tirania e a crueldade chegando em várias frentes, até aos dias de hoje... já ultrapassando quaisquer fronteiras...
    Abraço! Continuação de uma óptima semana!
    Ana

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

PEDRO LUSO