>

5 de set. de 2020

[Pesia] W. B. YEATS – Os Eruditos


 

             PEDRO LUSO DE CARVALHO

 

W. B. YEATS é o nome famoso, em parte abreviado, de William Butler Yeats, nascido num subúrbio de Dublin, Sandymount, no dia 13 de junho de 1865. Presume-se que seus antepassados chegaram à Irlanda junto com o exército de Cromwell. Eram quase todos eles comerciantes em Dublin. Seu avô e bisavô foram sacerdotes da Igreja da Irlanda.

O pai de Yeats, John Butler Yeats (1839-1922), teve uma formação jurídica. Deixou a advocacia para se dedicar à pintura, que lhe granjeou grande consideração. A mãe do poeta, Susan Pollexfen, descendia de uma família próspera; seu pai explorava os ramos de moinho e de navio.

Yeats começou a escrever poemas na juventude, ainda muito apegado ao romantismo; depois passou pelo simbolismo e, mais tarde, pelo modernismo, em parte pela influência do poeta Ezra Pound, que no seu tempo influenciou outros poetas além de Yeats, como, por exemplo, T. S. Eliot.

Com sua poesia, independentemente da escola ou do movimento literário a que esteve filiado, Yeats não esquecia os sérios problemas culturais, sociais e políticos de seu país. No afã de dar sua contribuição à Irlanda chegou a exercer o cargo de Senador.

Em janeiro de 1924 William Butler Yeats viaja para Estocolmo para receber o Prêmio Nobel de Literatura, que lhe fora conferido pela Academia Sueca.

Em 29 de janeiro de 1939 o poeta faleceu na França. William Butler Yeats foi sepultado em Roquebrune (França). Nove anos depois uma fragata levou seus mortais para a Irlanda, onde repousam eles no cemitério de Drumcliff de acordo com o expresso desejo do poeta. Na sepultura pode-se ler o epitáfio, que para isso escreveu Yeats.

O poema que escolhemos para esta edição, de W. B. Yeats intitula-se: Os Eruditos (in Poemas de W. B. Yeats. Tradução e introdução de Péricles Eugênio da Silva Ramos. São Paulo: Art Editora, 1987, p. 87):

 

OS ERUDITOS

W. B. Yeats

 

 

Cabeças calvas esquecidas dos pecados.

Calvas cabeças velhas, doutas, de respeito,

Editoram, com versos anotados,

Poemas que os jovens, estorcendo-se no leito,

Rimaram, a sofrer do amor a crueza,

Para incensar o ouvido ignaro da beleza.

 

Todos tossem em tinta; andam devagarinho;

Todos puem o tapete com o sapato;

Todos pensam igual aos outros sobre um fato;

Se alguém conhece alguém, conhece-o o seu vizinho.

Que diriam, Senhor, eles se enfim

Catulo, íntimo seu, vivesse assim?

 


 ________________________


Segue o poema he Scholars, de W. B. Yeats no idioma original (In obra citada acima, p. 86):

 

THE SCHOLARS

W. B. Yeats

 

 

Bald heads forgetful of their sins,

Old, learned, respectable bald heads

Edit and annotate the lines

That young men, tossing on their beds,

Rhymed out in love’s despair

To flatter beauty’s ignorant ear.

 

All shuffle there; all cough in ink;

All wear the carpet with their shoes;

All think what other people think;

All know the man their neighbour knows.

Lord, what would they say

Did Their Catullus walk that way?

 

 

________________________


 
 REFERÊNCIA:
Yeast, W. B. Poemas. Tradução e introdução de Péricles Eugênio da Silva Ramos. São Paulo: Art Editora, 1987, p. 7-49.


 

24 comentários:

  1. Foi tão bom encontrar aqui um poema de Yeats, um poeta que é dos meus preferidos.
    Gostei da ironia do poema sobre "os eruditos": "Todos pensam igual aos outros sobre um fato"...
    Muita saúde, meu Amigo pedro.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  2. Poemas fascinantes
    .
    Um domingo feliz

    ResponderExcluir
  3. Gostei da poesia que não conhecia! abraços e ótimo feriadão bom pra sapos,por aqui em Poa!rs...chica

    ResponderExcluir
  4. Simplesmente fantástico! :))
    *
    Existe um sol, que me seduz ...
    *
    Beijos, e um excelente Domingo.

    ResponderExcluir
  5. Hola, Pedro. Interesante perfil del poeta.
    De lo poco que conozco de Yeats, recuerdo un fragmento suyo:
    ... He tendido mis sueños a tus pies/
    pisa suavemente, pues caminas sobre mis sueños...

    ResponderExcluir
  6. Olá, Pedro, interessante poema compartilhado, não conhecia, foi um exercício que apreciei.
    Abraço e bom feriado!

    ResponderExcluir
  7. Pedro, mais uma publicação digna de aplausos. O poeta é merecedor de nossa admiração e respeito. O poema que escolheu me levou a uma outra colocação do autor :
    "Embora muitas sejam as folhas, a raiz é só uma;
    Ao longo dos enganadores dias da mocidade,
    Oscilaram ao sol minhas folhas, minhas flores;
    Agora posso murchar no coração da verdade."
    Ambos evidenciam a sabedoria.
    Gostei demais.

    ResponderExcluir
  8. Interessante conhecer os grandes poetas além do nosso jardim. Comprova a unidade da alma humana em todas as suas nuances.Obrigada!
    Um abraço

    ResponderExcluir
  9. Molto speciale, e interessante, questo valido articolo, che mi ha fatto conoscere un altro autore del passato.
    Cari saluti,silvia

    ResponderExcluir
  10. Hoy en día sigue habiendo "cabeças calvas".
    Siempre un placer visitar tu blog, Pedro.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  11. Un gran recuerdo para este poeta.
    Gracias por tu buena información.
    Un beso.

    ResponderExcluir
  12. Semore é bomm conhecermos a historia de algum poeta, Gosto muito...
    Um abraço.
    Élys.

    ResponderExcluir
  13. "incensar o ouvido ignaro da beleza" dá que pensar a qualquer careca.
    será que a beleza os escuta?

    grande Yeats! grande poema.

    e excelente trabalho o teu, meu distinto amigo, Pedro Luso,
    na divulgação de grandes poemas. e grandes poetas !

    forte abraço

    ResponderExcluir
  14. Pedro,
    o que estás te propondo nessa quarentena em que estamos em casa isolados socialmente devido à pandemia, lendo e escrevendo, é trazer a vida dos grandes poetas e seus grandes poemas; é trazer conhecimento e cultura. É dar-nos a oportunidade de alargar nossos horizontes. Isso tudo suaviza essa triste fase que estamos passando. Esse poema 'Os Eruditos', é belo e intrigante.
    Beijinho daqui do lado!

    ResponderExcluir
  15. Muito bom Pedro o que você tem feito por nós com este belo trabalho a nos fazer conhecer escritores famosos e para muitos de nós desconhecidos. Com uma influência de Pound soube bem aproveitar e criar um espaço neste dileto grupo. Só temos a lhe agradecer amigo. Agora é pesquisar mais sobre ele. Grato e que a semana flua belamente para vocês.
    Meu terno abraço nobre escritor.

    ResponderExcluir
  16. Olá, amigo Pedro!
    Mais um escritor nobre que nos dá a conhecer.
    "Todos pensam igual aos outros sobre um fato"...
    Chamou-me a atenção o verso acima.
    Afinal, seres humanos são parecidos em muitos quesitos.
    Muito obrigada pelo enriquecimento.
    Tenha um ótimo final de semana abençoado!
    Abraços fraternos

    ResponderExcluir
  17. Bom dia, Pedro

    Yeats apenas entrevisto, por mim, em um ou outro poema. Por isso, gostei muito de o encontrar aqui com a sua biografia e um Poema que mostra bem a crítica que faz à sociedade. Lembra Catulo, estético e controverso, cuja poesia foi exemplo para outros grandes nomes.

    Muito obrigada, meu amigo, pelo seu belo trabalho de trazer até nós estes autores de renome, enriquecendo-nos culturalmente.

    Abraço

    Olinda

    ResponderExcluir
  18. Olá Pedro querido


    Sempre que visito seu blog aprendendo um pouquinho mais...


    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
  19. Olá Pedro tudo bem aí pelo sul?
    Achei muito interessante o poema, mordaz e crítico.
    Como se pode observar é uma boa característica dos poetas.
    Parabéns pela escolha.
    Abração, saúde
    Léah

    ResponderExcluir
  20. Pido disculpas por mi larga ausencia en los comentarios. .estuve un tiempo con el ordenador averiado y eso hizo que manipulara el blog a través de mi móvil. Tuve un pequeño despiste y me desaparecieron de golpe todos los blogs agregados del lateral derecho, He ido metiéndolo de nuevo de uno en uno. El tuyo me falta y voy ahora a incluirlo de nuevo.

    Besos

    ResponderExcluir
  21. Olá meu amigo! Bom saber mais desse grande poeta!
    Passa lá no blog para conferir as novidades.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  22. Boa tarde, Pedro, gratidão pela partilha extremamente interessante, William Butler Yeats merece todos os nossos aplausos.O poema"OS ERUDITOS" além de belo em seu estilo traz um vocabulário muito interessante e rico. Fantástica a comparação entre os demais poetas. Parabéns, abraço!

    ResponderExcluir
  23. Grande Pedro nesta pandemia você tem nos presenteado com belas biografias, que lhe rende um esforço compensador em trazer grandes personalidades das palavras. Observa-se a independência dos escritores desta época, como já vimos Eliot e agora com Yeats, que também receberam influencias de Pound. Muito bonito o trabalho e a escolha de um poema marcante social para ilustrar.
    Só temos que agradecer amigo por esta generosa partilha e assim poder buscar ler mais e saber mais destas personalidades do que gostamos de ler.
    Grato amigo e bom domingo de uma feliz semana.
    Meu terno abraço mestre e minha admiração.

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

Pedro Luso de Carvalho