>

26 de mai de 2017

(Poesia) PEDRO LUSO – Acontece comigo






ACONTECE COMIGO
PEDRO LUSO DE CARVALHO


Alguma coisa acontece comigo
sem que possa explicar o que seja.
Minha vida tem sido assim
há sempre alguma bruma
há sempre alguma tristeza,
sem que possa explicar o que seja.

Alguma coisa acontece comigo
sem que possa explicar o que seja.
Esta dor em meu peito
a desgraça tão presente
o país que não se inveja,
sem que possa explicar o que seja.

Alguma coisa acontece comigo
sem que possa explicar o que seja.
O meu desejo de partir
para na distância viver
paz há quem anteveja,
sem que possa explicar o que seja.




*   *   *






38 comentários:

  1. Un bonito poema con esa sensación que repites como estribillo.
    Una hermosa inspiración que espero no forme parte de tu sentimiento...
    Un abrazo y buen fin de semana.

    ResponderExcluir
  2. Sensações de um viver...Linda inspiração e nesse nosso país temos várias delas...Umas naaaaaaaaaaaaaaaaaaada boas,rs... abração praiano!chica

    ResponderExcluir
  3. Por vezes acontece andar-mos assim. Lindo de ler. Obrigada


    Hoje o meu blogue está de parabéns.
    Venham beber um copo, :)

    Beijinhos e bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  4. Tanta coisa acontece comigo que nem sei explicar
    Kis :=}

    ResponderExcluir
  5. Tristes palavras amigo Pedro,mas muitas vezes acontece isso escrevemos quando vem a inspiração com alegria ou tristeza,porém alguns não entendem que o poeta deixa nas entrelinhas...Palavras fictícias ou verídicas,cabe a quem as lê decifrá-las como queiram.
    Bjs e um ótimo domingo.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  6. Sensazioni di disagio del profondo, che a volte acuiscono un desiderio
    di fuggire per altre mete....
    Versi apprezzati, buona domenica, Pedro,silvia

    ResponderExcluir
  7. Que poema lindo, que força deste na repetição dos versos “Alguma coisa acontece comigo”!
    Pois diria eu, e muitos que tem a consciência de como se encontra nosso país, que são tantas as coisas que não sabemos explicar a razão de nosso desapontamento. Um dia o sol nos sorri e no outro dia muitos enxergam o inferno em forma de gente, de safados e de irresponsáveis. E são soltos para continuarem a fazer o inferno nesse país.
    Teu poema é triste e nebuloso tanto quanto nossas perspectivas de futuro. Mas vamos em frente, o que nos resta senão torcer para que pior não fique?
    Beijinho daqui do lado...

    ResponderExcluir
  8. HAY SITUACIONES EN NUESTROS PAÍSES, QUE LA VERDAD, UNO NO SE EXPLICA POR QUÉ PASAN, Y UNO TAMPOCO SABE QUE NOS PASA.
    ABRAZOS

    ResponderExcluir
  9. Nem sempre conseguimos explicar o que nos acontece... mas isso não é dramático, pois não há mal que sempre dure...
    Excelente poema, gostei imenso.
    Bom fim de semana, caro Pedro.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  10. OI PEDRO!
    ESTAMOS VIVENDO ISSO, UM DESASSOSSEGO E VONTADE DE AQUI NÃO MAIS ESTAR, É DESILUSÃO MESMO E TOCASTE EM NOSSAS ALMAS COM TEUS VERSOS.
    BELO POETAR AMIGO.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Olá Pedro!
    É tão triste o teu poema...
    Amigo, tens ao teu lado uma fantástica companheira. Relê o comentário dela e "abastece" o teu coração de amor, força, coragem e esperança.
    Tira essa dor do peito, essa bruma que não te deixa vislumbrar o encanto de um Brasil renovado. Acabará por acontecer.
    É tão triste o teu poema... mas tão belo!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  12. A nostalgia do poeta a convocar um silêncio, tão propício à evasão...
    Um belo poema, Pedro meu Amigo.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  13. Sensaciones que sentimos por querir siempre una paz en el mundo.
    Un feliz domingo.

    ResponderExcluir
  14. Que belo poema, Pedro, que mostra como esse belo país anda a ser tão mal tratado e como deixa triste o seu povo!
    Por cá, felizmente, estamos no paraíso... bem... quase paraíso!
    Abraço

    ResponderExcluir
  15. Acontece consigo amigo Pedro e com todos aqueles que amam o seu país e o vêm ferido e despedaçado.
    A poesia é uma forma de evasão e de luta.

    Beijinho e boa semana

    O Toque do coração

    ResponderExcluir
  16. Oi, Pedro...essa eterna sensação de fim de mundo! todo brasileiro que se preza conhece essa tristeza...mas em contraste há sempre a sensação de que as coisas podem melhorar.... assim foi e assim será, eu penso que apesar de tudo temos que comemorar a indignação reinante. É melhor que sair e depois ficar ensimesmado tentando se justificar com saudade da pátria. Afinal é o nosso chão!
    um abraço

    ResponderExcluir
  17. Maravilhoso poema a brotar da lama e da alma.
    "Alguma coisa acontece comigo" E eu digo: ainda bem!
    Que a fuga se dê pelos caminhos da justiça e da prosperidade!

    Beijinho, Pedro.

    ResponderExcluir
  18. Pois...
    A poesia gosta de falar
    daquilo que não se pode explicar.
    Eu penso mesmo que, sem isso,
    a poesia nem existiria...
    Adorei a poesia.

    ResponderExcluir
  19. Los sentimientos que se guardan en el fondo del corazón a veces son inexplicables para uno mismo, cuanto más para ser explicados mediante la palabra.
    Un saludo

    ResponderExcluir
  20. Um poema que mostra bem a sensação que se sente quando tudo parece ser diferente daquilo que desejaríamos que fosse. Creio que devemos manter em nosso coração a esperança que um dia tudo será diferente e que neste dia, conquistaremos em definitivo uma doce paz e uma permanente alegria.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  21. Profundo poema. Muy hermoso.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  22. Olá Pedro, é agora ficamos assim, sem saber o que fazer, para onde ir, a vontade de partir, mas pra onde? Aqui é nossa terra, aqui foi nossa alegria, nosso sonhar... Ficamos assim sem que se possa explicar.
    Bonito poema Pedro, mostra a tristeza de um brasileiro.
    abraço, Léah

    ResponderExcluir
  23. Dicho desde el respeto, entiendo que sí, que hay algo trascendental en el alma lusa que suele decantarse hacia la melancolía, y esa era una idea que también tenía mi madre, nieta de Oporto.
    Aunque en el caso de Brasil yo no lo había advertido, su país es bellísimo, lleno de posibilidades, y para mí siempre ha sido sinónimo de alegría. Y quiero pensar que así volverá a ser cuando pasen estos malos tiempos.
    El párrafo también es aplicable a España.

    Saludos.

    ResponderExcluir
  24. Difícil explicar el dolor de un corazón lleno de sentimientos.
    Un abrazo

    ResponderExcluir
  25. Boa tarde, depois da tempestade vem a bonança, é sempre assim, o Brasil vai vencer a crise com toda a certeza, a felicidade vai regressar ao seu povo.
    O poema é perfeito,
    AG

    ResponderExcluir
  26. Pois é amigo Pedro, a gente pensa e sofre e dá uma vontade de ser uma Avestruz e só voltar quando um dia todo medo cessar. Dizia o cantor de antes da dita, que quanto mais andava mais estrada ele via e que não plantaria em terra que fosse de queimada e por fim ele pediu o cipó de aroeira no lombo de quem não pode mandar.
    Estamos numa situação critica de decisões e uma angustia nos acomete e nos transforma em cada ato dos desafinados.
    Abraços mestre e que Deus nos proteja.

    ResponderExcluir
  27. Bem escrito, tão verdadeiro e real...

    Bjsss

    https://palavrandoels.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  28. Um poema sobremodo contristado, mas de uma construção admirável.
    A repetição acentua a sensação de choque e desnorte pela gravidade das
    situações inusitadas.
    Apesar de tudo, um poema contido em que o imenso desgosto se percebe nas entre-linhas.
    Muito bom, Amigo.
    ~~~ Abraço ~~~

    ResponderExcluir
  29. Pedro Luso
    Em sextilha, o poema é bem conseguido, já que nos debatemos com tantas a variada opiniões, sobre tudo e mais alguma coisa, que o recurso é formarmos a nossa própria opinião. Opinião apenas de assuntos que nos interessem ou nos digam respeito, como cidadãos.
    Abraços

    ResponderExcluir
  30. Aconteceres de la vida que debemos aprender a sobrellevar.

    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  31. Don Pedro:
    es una sensación que todos hemos sentido alguna vez. ¡No saber por qué estamos inquietos! Sin duda, es un sexto sentido que anticipa alguna sorpresa.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  32. Teu poema, além de belo, verdadeiro e bem construído, expressa o sentimento de insegurança que está em nosso coração, diante dessa realidade pela qual o Brasil passa. Abraços afetuosos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lucia, é com alegria que te recebo aqui no Veredas. Seja bem-vinda.
      Um abraço.

      Excluir
  33. E é assim mesmo que me sinto, em relação ao nosso país, sem perspectiva. Um desassossego diário.
    Os teus versos são oportunos e muito bem construídos!

    ResponderExcluir
  34. Olá Pedro, primeiro quero agradecer pela benfazeja visita e por seguir meu blog, um honra tê-lo por lá.
    Quanto aos seus versos, quase um clamor e que retratam o triste, inseguro e vergonhoso momento pelo qual nós brasileiros passamos, é de se lamentar que estejamos todos à mercê desses bandidos sem escrúpulos.

    Deixo uns versinhos como interação, desculpe a ousadia e singeleza, são versos sem a vogal "A".

    SEM DIREITOS

    Sem direitos,
    Sem vez nem voz,
    Com os olhos cegos
    Somos nós,
    Senhores do bem.

    Vivendo nesse mundo,
    Confusos e omissos
    Vestidos de silêncio
    Somos nós,
    Senhores do bem.

    Preteridos,
    Temendo, sofrendo
    Sem defensores.
    Somos nós,
    Senhores do bem.

    Consumidos,
    Escondidos
    Sem divertimento
    Vivemos nós
    Senhores do bem

    Sem o prometido,
    Desprovido de tudo,
    Sucumbido,
    Fiquemos nós
    Senhores do bem.

    dinapoetisadapaz

    UM GRANDE E FRATERNO ABRAÇO!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha amiga, gostei muito do seu poema, com versos sem a vogal "A", que chega a ser uma verdadeira proeza. O conteúdo do seu poema também é muito bom, e diz bem com a situação sociopolítica que vivemos neste ultrajado Brasil. Parabéns.
      Obrigado pela visita e pelo amável comentário (além do belo poema).
      Pedro

      Excluir
  35. De facto não deve ser nada fácil, conviver com a descrença permanente, em todos os valores e sectores, em permanente convulsão, que têm assolado o Brasil, nestes últimos tempos...
    Nem sei que mais diga... a não ser que o poema reflecte muito bem, uma vez mais os tempos actuais...
    Resta-nos a esperança... de que com igual rapidez, conforme esta situação caótica se instalou... também um dia o país, ache que chegou a hora de dizer basta, e se levante...
    Um grande abraço
    Ana

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

PEDRO LUSO