>

7 de abr de 2017

[Crônica] PEDRO LUSO - Quem tem medo de poesia?






QUEM TEM MEDO DE POESIA?
- PEDRO LUSO DE CARVALHO


Ao pensarmos nos livros que vamos encontrar nas prateleiras das livrarias da nossa cidade vem-nos logo à mente: romance, conto, crônica, artigo, crítica, filosofia, autoajuda, infantil e os livros técnicos. O livro de poesia, que procurarmos, nem sempre será encontrado. Os poetas sabem que os seus livros não irão para a lista dos mais vendidos.
Esse distanciamento da poesia no Brasil não é dos tempos modernos da Internet, tem no mínimo a idade da nossa República. Embora aqui sejam mencionados muitos nomes de nossos poetas, não se pode dizer que temos o hábito da leitura de poemas. No meu entender, os poetas são admirados pelos nomes que construíram ao longo do tempo, embora sua poesia tenha cedido lugar para outros gêneros da literatura.
O que afirmei sobre um quase endeusamento de poetas brasileiros de renome e o fato de a poesia desses homens e mulheres serem praticamente desconhecidas, não é inverossímil. O mesmo se dá com a música de um Bach, de um Mozart. Seus nomes são conhecidos por muitos, embora sejam poucas as pessoas que ouviram ou ouvem a sua música.
Lembro-me de ter ouvido perguntas de médicos, advogados, entre outros, sobre este ou aquele poema de alguns de nossos poetas: "Este poema de Drummond é bom?". Ou então: "Não entendi bem este soneto de Bandeira, será bom mesmo?". Ou ainda: "É muito difícil este poema de João Cabral, ele é bom poeta?" Essas são dúvidas de pessoas adultas e cultas, que não estão habituadas a ler poemas.
Dentre os muitos leitores de outras áreas há ainda quem não tenha aprendido a ler poesia. Há quem ignore que a poesia enriquece nosso vocabulário, e que nos ensina ela, a poesia, a escrever de forma concisa, e também a explorar a cadência e a música das palavras. Essas pessoas, que não têm esse hábito, poderiam reservar um espaço no seu dia, por pequeno que seja, para a leitura da poesia.


    
    *    *    *




40 comentários:

  1. Muito bom!!! Eu diria que ao ler muita poesia aprendi a prestar atenção no ritmo, na harmonia, e na síntese do texto, muito necessária para expôr nossa ideia num espaço menor possível. Além disso poesia é sentir a ideia num outro patamar de sensibilidade. Só desvio um pouco do meu objetivo quando o poeta se vale de muitas metáforas. Mas aí vai do gosto do poeta. Lembro, como disse Mario Quintana, o difícil é escrever fácil. Veja Fernando Pessoa, Florbela Espanca, Drummond,Cecília Meireles, Adélia Prado, Pablo Neruda, Cruz e Sousa, Augusto dos Anjos, Manuel Bandeira e outros maravilhosos. A poesia nos envolve em sentimentos e nos dá suporte para uma escrita mais elegante.
    Bravo!
    Beijinhos, daqui do lado.

    ResponderExcluir
  2. Mais um texto maravilhoso! Adorei ler...

    Beijinhos de boa noite.
    Bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  3. Uma boa noite grande Pedro.
    Que maravilha esta cronica ode aos iluminados da poesia.Engraçado como estas perguntas aqui referenciadas se proliferam na sociedade e muitas vezes entre pessoas de certa cultura. Esta coisa é tão séria que muito se ouve dizer, que não se pode viver de escrever poesia. Como não? O poeta estará preocupado em quem compra ou não seus livros. A poesia é a vida dele ilustrada com palavras que carregam todo seu sentimento da vida, do mundo, do cotidiano. E muito se diz que o mundo precisa mais de poesias e este chamado para que se dedique um tempo para elas pode fazer toda diferença nos comportamentos de pessoas.
    Gostei amigo.
    Um bom fim semana com poesias nos olhos.
    Meu terno abraço de paz.

    ResponderExcluir
  4. Que legal,Pedro! Gosto de ler poesias e confesso, muitas vezes preciso ler e reler pra captar, entender. Mas vale a pena! abraços, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  5. É algo interessante acontece, há muitas pessoas que lêem muito, mas poucas pessoas realmente sabem ler. Quer dizer descobrir a técnica, sentido, jogo, ou seja, espaço de tempo.
    Beijos, Pedro.

    ResponderExcluir
  6. Querido amigo, sua crônica diz muito do que é a dificuldade de sentir a poesia, pois há pessoas que nem param para sentir suas próprias emoções.
    Amo ler, leio de tudo, gosto de escrever prosas e poemas, como bem sabes, amo mitologia, mas escrevo sem métrica, algumas vezes sem rimas, por isso eu dei o nome do meu blog de poemas de "sem peias", nada que me prenda ou me faça seguir algumas regras, somente o que está no momento sendo inspirado.
    Como diz sua linda esposa, também fujo de muitas metáforas, nem todos param para refletir o que o poeta quer dizer, outras vezes ele dá sorte de dizer o que a maioria sente e fica bem!
    Abraços apertados!

    ResponderExcluir
  7. Deveras, a poesia é a alma em busca do belo, e esse belo é som, é melodia, é compasso, é tempo, é forma... Abordaste muito bem, meu amigo, o Brasil vive há tempos um esvaziamento da obra em favor da fama do autor. É que citar o autor é status, mas conhecer-lhe a obra é cultura. Com pesar concluo que temos status mas bem pouca cultura; temos citações de algum trecho nos lábios pelos quais o todo do poema nunca passou. Uma pena, isto. Ainda temos excelentes poetas e poetisas, infelizmente mal lidos. Grande abraço

    ResponderExcluir
  8. Estoy de acuerdo con lo que dices en tu genial exposición, pero es que para leer poesía tiene que gustar desde la cuna. A mi particularmente nunca me gustó y sin embargo aunque muy tarde, comencé a tratar de hacerla, pero es porque me gusta mucho escribir y me entretiene, creo que nada más lo hago por eso. Así que entiendo perfectamente que no guste a la mayoría de las personas.
    Un placer la lectura.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  9. Pedro Luso
    Nos nossos países é complicado falar-se de poesia da distribuição de poesia, aliás de literatura, há inegavelmente, bons e apreciados poetas no Brasil. Porém é facto que o sector de distribuição têm privilegiado muito a poesia como, tratando-a "parente pobre da literatura". Pessoalmente, coloquei bastastes livros de poesia no Brasil, como o meu próximo livro SENHORA DO MAR, verdadeiramente lusófono, será distribuído no Brasil, pela Chiado Editora de São Paulo.
    Leia e comente BRASIL – O SORRISO DE DEUS
    Sergipe e as Unidades Federativas do Brasil
    http://amornaguerra.blogspot.pt/
    Abraço

    ResponderExcluir
  10. E' un vero peccato che i testi poetici non siano apprezzati come
    altri generi di scrittura, perchè la poesia è un linguaggio intenso
    e significativo, su cui porre intense riflessioni...
    Buona domenica e un saluto, Pedro,silvia

    ResponderExcluir
  11. A leitura seja ela de qualquer categoria, creio que deveria vir com o nosso nascimento. Eu gosto muito de poesia. Estou reformando minha estante e descobri que meu livro de poesias de Pablo Neruda desapareceu. Vi recentemente, um trabalho cientifico em que várias mulheres grávidas leram pra o feto e todos eles cresceram gostando de ler. No meu tempo de colégio, participei de jogral, coisa que hoje nenhum jovem conhece. Abraços!

    ResponderExcluir
  12. La poesía es muy bella. Transmitir sentimientos a través de ella es algo fantástico.

    Muy bueno tu escrito.

    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  13. UN TEMA DE MUCHO INTERÉS. LA CULTURA DE LEER EDUCA.
    ABRAZOS

    ResponderExcluir
  14. Como costumo dizer: não tenho jeito nenhum para poesia.
    Kis :={

    ResponderExcluir
  15. Quem tem medo de poesia tem medo de viver. Pois a poesia faz parte da vida, cada pessoa tem uma poesia dentro de si. Amo poesias. Parabéns pelo poster.Abraços

    ResponderExcluir
  16. Me ha encantado su reflexión.
    Ayer pasé por las Ramblas de Barcelona y me paré en la Fuente de Canaletas, allí donde se hacen corros de poetas y músicos, pintores y actores para debatir de poesía y cine, de música. Un gozo para el espíritu.
    De pronto ¡PLOF! Desperté.
    Lo que había, como siempre, eran grupos de hinchas de los diversos equipos de fútbol gritando los errores de un árbitro…

    ResponderExcluir
  17. Muitas pessoas têm de facto alguma dificuldade em sentir a poesia... que tantas vezes, nos obriga a pensar, a reflectir... a colocarmo-nos no papel de outro... em detrimento de leituras mais imediatas... onde tudo é descrito... sem que se necessite para o seu entendimento de grande esforço interpretativo...
    Confesso não ler muita poesia... mas sempre me habituei a pensar sobre tudo o que leio... pelo que poesia... não me assusta... antes me permite chegar um pouco mais longe... ao ver o mundo e as emoções, explicado através de outros sentires, no tempo e no espaço...
    Uma excelente crónica, Pedro, sobre uma temática de riqueza sem fim...
    Um grande abraço! Boa semana!
    Ana

    ResponderExcluir
  18. De acordo com o seu texto amigo Pedro e só me apetece dizer que o Mundo sem poesia seria cinzento.
    Um abraço e boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    Livros-Autografados

    ResponderExcluir
  19. Interesante recomendación, amigo Pedro.Trataré de tomarla en cuenta.Es cuestión de volver al hábito.

    Abrazo.

    ResponderExcluir
  20. Como tem razão, meu Amigo Pedro! É verdade que a maioria das pessoas não lê poesia. Quanto a mim não é medo, mas preguiça de ler com atenção o que diz o poeta. Como disse o poeta surrealista argentino, Aldo Pellegrini "a poesia só pretende cumprir uma tarefa: que este mundo não seja habitável só para os imbecis"...
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  21. Escribo poesía desde siempre, así que te doy la razón.

    MOITO obligada pelas suas amáveis palavras o meu blog (Meditaciones en Haifa- estación 1)

    ResponderExcluir
  22. (fiquei emocionada)

    ResponderExcluir
  23. La poesía es hermosa, pero en Buenos Aires como en Brasil, se vende muy poco. ¿Por qué? No lo sé. Debe ser la crisis económica que asola los bolsillos y los lectores evitan gastar dinero.

    mararosa

    ResponderExcluir
  24. Pedro, estou completamente de acordo com a sua crónica.
    A poesia aprende-se a gostar e para isso é preciso divulgá-la mais.
    Está provado, como já escrevi no meu blogue, que ler poesia é uma excelente terapia.

    Um beijinho

    O Toque do coração

    ResponderExcluir
  25. Sí y siendo que la poesía es lo más lindo del género literario y de la vida.
    Un abrazo grande para ti querido amigo.
    mar

    ResponderExcluir
  26. Pedro:
    Al igual que los nutricionistas aconsejan comer cinco piezas de fruta al día, habría que leer, si no, cinco, por lo menos un poema cada día.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  27. Pedro aprendi a gostar de poesia quando fazia o curso ginasial, a professora de português, nos fazia declamar em público, (no auditório da escola) uma vez por mês,diante de todas as turmas do colégio, para vencermos a timidez e aprendermos a nosso próprio idioma. Resultado continuo tímida mas amo poesia.
    Abraços, Léah

    ResponderExcluir
  28. Oi Pedro ainda em tempo, amei sua cronica.
    Uma boa Pascoa junto a sua família, com muita paz e harmonia.
    abraços, Léah

    ResponderExcluir
  29. ¡Hola, Pedro!!!

    Muy interesante tu texto, leer ya es importante sea poesía o filosofía... Un buen libro nos enseña nos instruye, es un buen alimento para nuestra mente. A mí en particular me gusta, los libros de los de esos viejos poetas, igual que escuchar la música de Mozart o Beethoven sin menos preciar los poetas y músicos jóvenes, que también los hay muy buenos. Pero esto tiene que gustar! Puesto que hay personas que no le hables de poesía, porqué le suena a cartón, o sea que nada de nada. La lectura debe empezar en la niñez, como habito, leer un poco cada día. Y hoy es triste, los niños y jóvenes están enganchados al móvil y a otras tecnologías aparcando una buena lectura. ¡Así está puesta la vida!.

    Ha sido un placer, un abrazo, mi gratitud y estima.

    Feliz Semana Santa. Y Pascua de Resurrección .

    ResponderExcluir
  30. Oi, Pedro...penso que se pode pensar em poesia pelo seu aspecto de harmonia formal mas também na sua visão de mundo e na sua conexão com o mais profundo do real. Assim poesia não se explica nem se explicita. Intui-se na alma...Há textos poéticos sem estarem em formas de enquadramento e há poesias verdadeiras joias de ourivesaria...Entender um texto poético é um privilégio!
    Um abraço

    ResponderExcluir
  31. O meu amigo Marcos Konder Reis é que dizia que o poeta só é reconhecido quando fechar a empresa - depois da morte. Eu creio que bons poetas como Fernando Pessoa, Castro Alves, Augusto dos Anjos... escrevem ou escreveram para si mesmo ou para Deus. São místicos ou dotados de uma alma, no mínimo, misteriosa, pois escrevem sem querer arquibancadas. Como dizia o Fernando, jogo os meus versos no ar. Isto é se alguém quiser apanhar, muito que bem e se não, o que se há de fazer? Porém a força da poesia é tão grande que um poema vale por mil textos. Vejamos o Navio Negreiro de Castro Alves; A Mensagem de Fernando; Os Lusíadas de Camões... Mas que poucos lêem poesia, e que livreto de poemas é para se dar de graça, não resta dúvidas. Conheço amigos cultíssimos que cometem o erro de dizer que não lêem poesia por serem herméticas e suas mentes não alcançam a mensagem.

    Eu sou um louco de hospício, pois sou tarado por poesia - se não entendo, minha sensibilidade anímica me faz feliz quando as leio.

    Excelente texto, Pedro. Parabéns! Boa Páscoa a ti e aos teus. Meu abraço fraterno. Laerte.

    ResponderExcluir
  32. Uma reflexão importante, Pedro! Há veredas poéticas que nunca abandonamos porque um dia nos tocaram de forma especial e decidimos ir por ai ... E, a verdade, é que caminhamos muito mais felizes, sem vislumbrarmos sinais de proibição.
    Abraço poético e boa Páscoa.

    ResponderExcluir
  33. Então,Pedro, quero te contar minha experiência com jovens: provoquei poesia. Não sabemos, responderam. Eu insisti, sabem, sim!! Distribuí papel em branco e canetas.
    E nasceram algumas poesias fabulosas!

    ResponderExcluir
  34. A poesia é a linguagem da alma...
    Lindo o seu texto.
    Santa Páscoa
    Alexandra

    ResponderExcluir
  35. Boa tarde Pedro.
    Excelente crónica. Eu gosto muito de ler poesia. Só não muito me agrada onde há muita metáfora pois as vezes nem compreendo rsrs. Mas acho os poetas tem uma sensibilidade mas apurada. Uma feliz Páscoa meu amigo e para a querida Tais e toda família. Abraços.

    ResponderExcluir
  36. Uma bela crônica,pois é assim mesmo que acontece.Creio que para qualquer leitura existe a necessidade de se colocar ativa a atenção e não se ler sem o interesse necessário. Infelizmente isto acontece muito com quem le poesia, talvez um hábito não adquirido.
    A poesia é a vóz da alma buscando mostrar o seu pensamento, naquele momento em que o seu ser é pura entrega ao seu mais sublime sentimento.

    Tenha um pácoa muito abençoada, junto com a sua família.
    Élys

    ResponderExcluir
  37. PEdro
    gostei muito desta crónica, e agradeço a você por a ter escrito.
    a poesia será sempre a irmã pobre da literatura, e eu acho que a poesia é um bálsamo para a alma e para a mente.
    quero desejar uma Santa Páscoa para si e a sua família.
    beijinhos
    :)

    ResponderExcluir
  38. Em Portugal o problema é o mesmo. A poesia é lida e compreendida por um número restrito de pessoas. Por isso, não há nenhum poeta rico... rsrsrs... Mas eles vão teimando, apenas porque gostam de fazer poesia. E isso basta.
    Uma excelente crónica. Gostei muito.
    Votos de uma Páscoa Feliz, extensivos à família, caro Pedro.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  39. Leo machísimo pero todo en prosa, cosa curiosa aunque admiro a los poetas compro pocos libros de poesía.
    Será por eso, porque los admiro tanto y soy incapaz de imitarlos.
    Espero que estés pasando una buena Semana Santa.
    Recibe un fuerte abrazo desde Madrid.

    ResponderExcluir
  40. Boa noite, Pedro, gostei muito do seu tema,
    parece impossível,mas é verdade, muitos conhecem apenas os nomes de poetas, mas nada conhecem de suas poesias. Tão belas, tão românticas. Realmente, não aprendemos a ler, as belas poesias. Talvez tenha nos faltado a oportunidade de trabalharmos mais com elas nos bancos escolares, eu as lia , mas confesso que foram poucas, hoje leio por conhecer.Sempre ouço que a música é o alimento da alma, então com certeza, a poesia também o é.
    Desejo a você e família uma abençoada Páscoa! Abraço!

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

PEDRO LUSO