>

13 de mai. de 2020

[Poesia] PABLO NERUDA – O Vento na Ilha




Pedro Luso de Carvalho

PABLO NERUDA, cujo nome de registro civil era Neftalí Ricardo Reys Basoalto, nasceu a 12 de julho de 1904, em Parral, Chile. O poeta morreu na capital de seu país, Santiago, em 23 de setembro de 1973. A sua poesia se caracteriza pela invenção e reinvenção de temas profundamente ligados ao amor e à vida.
Neruda, sabidamente um dos mais importantes poetas dos tempos modernos, deixou uma extensa obra, com mais de 50 livros, que foram traduzidos para vários idiomas, tendo uma vendagem superior a um milhão de exemplares.
O intenso lirismo da poesia de Neruda e a sua criatividade prodigiosa, com cinco volumes de poesia publicados quando contava com apenas 22 anos, na década de 1920, contribuiu fortemente para firmar a sua reputação. O seu segundo livro, Vinte poemas de amor e Uma canção desesperada, logo se tornou popular e um clássico, em razão da elegância, doçura e profunda melancolia.
Quanto ser ou não comprometida a poesia de Neruda, a resposta correta é dada por José Miguel Ibañez Langlois, também chileno, nascido em Santiago, professor de Literatura da Universidade do Chile: “Neruda como poeta tem o compromisso imediato que a sensibilidade contrai ante o objeto que a estimula: o corpo da mulher, a paisagem, o espetáculo da fome ou da miséria. Não conhecemos outro compromisso de maior profundidade, de Neruda como poeta”.
No ano de 1940 Neruda começou a escrever um poema épico, para o qual levou elementos da flora, da fauna, da história, da mitologia e das lutas políticas da América Latina. O seu livro Alturas de Machu Picchu, inspirado nas civilizações pré-colombianas, viria tornar-se o centro do épico Canto geral (1950).
Em 1971, a Academia Sueca concedeu a Pablo Neruda o Prêmio Nobel de Literatura.
Segue o poema O vento na ilha, de Pablo Neruda (In Antologia Poética. Pablo Neruda. Tradução de Thiago de Mello. Rio de Janeiro: 1964 p. 70-71):


O VENTO NA ILHA
Pablo Neruda


O vento é um cavalo:
ouve como ele corre
pelo mar, pelo céu.

Quer me levar: escuta
como ele corre o mundo
para levar-me longe.
Esconde-me em teus braços
por esta noite erma,
enquanto a chuva rompe
contra o mar e a terra
sua boca inumerável.

Escuta como o vento
me chama galopando
para levar-me longe.

Com tua fronte na minha
tua boca em minha boca,
atados nossos corpos
ao amor que nos queima,
deixa que o vento passe
sem que possa levar-me.

Deixa que o vento corra
coroado de espuma,
que me chame e me busque
galopando na sombra,
enquanto eu, protegido
sob teus grandes olhos,
por esta noite só
descansarei, meu amor.


 * *

REFERÊNCIAS:
IBAÑEZ LANGLOIS, José Miguel. Rilki, Pound e Neruda: três mestres da poesia contemporânea. Tradução de Antônio José de Almeida Meirelles. São Paulo: Nerman, 1988, p. 137.
HOGAN, Colman/501 Grandes Escritores. Editor Geral Julian Patrick. Pablo Neruda. Tradução Livia Almeida e Pedro Jorgensen Junior. Rio de Janeiro: Sextante, p. 374.


*  *   *


40 comentários:

  1. Una speciale dedica poetica, rivolta ad un autore di fama internazionale.
    Articolo molto apprezzato.
    Buon mercoledì e un caro saluto, Pedro,silvia

    ResponderExcluir
  2. Gosto imenso de Pablo Neruda. Lembro-me bem da sua morte. Encontrava-me em Luanda, estávamos em plena guerra colonial, meu marido era militar.
    Tinha um amigo na Rádio que me deu a notícia que ele e chorei quando tive conhecimento da sua morte. Na época, o seu nome era murmurado e poucos se atreviam a dizer os seus poemas por medo da policia politica.
    Abraço e saúde

    ResponderExcluir
  3. Pablo Neruda es uno de mis poetas favoritos, pero solamente le conozco en su poesía romántica, como, veinte poemas de amor y una noche desesperada.
    Ha sido un gusto leer tu relato sobre él, y este poema que no conocía.
    Un abrazo Pedro.

    ResponderExcluir
  4. Bom dia:- Tendo Ricardo no nome só poderia ser uma grande poeta, lol
    .
    Saudações poéticos
    Proteja-se.

    ResponderExcluir
  5. Neruda,maravilhoso e seu lirismo encanta!Bel poesia escolhida! Adorei ler! Estamos nós também numa ilha, sem poder nos locomover,né? Quando passará o nosso "barco" com SEGURANÇA??? abração, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  6. Pedro,
    Eu amo Neruda, seus versos
    e amo ler sobre sua vida e
    seus amores.
    Assisti e me encantei
    com filme o Carteiro e o Poeta.
    Muito obrigada por mais
    essa brilhante publicação.
    Bjins
    CatiahoAlc.

    ResponderExcluir
  7. Uma publicação soberba! Amei!!
    -
    Sou como um rio, tão cheia de nada

    Beijo e um excelente dia...

    ResponderExcluir
  8. Buen resumen de la biografía de ese gran autor.

    Con el Premio Nobel, se reconoció su gran valía y ahora su nombre circula por todo el mundo.

    Has escogido una gran poesía, como final de esta entrada.

    Besos

    ResponderExcluir
  9. Que prazer ler aqui, o belo poema escolhido e você falando sobre Neruda, adoro, assisti mais de duas vezes ao filme O Carteiro e o Poeta, que é referência sobre ele e amo ler seus poemas!
    Grande Pablo Neruda, deixou legado rico e você sensivelmente nos dá a lembrança aqui, que lindo isso!
    Abraços bem apertados querido amigo!

    ResponderExcluir
  10. Grande Neruda, um luxo de postagem!
    Poeta admirado internacionalmente recebeu a consagração definitiva com o Prêmio Nobel de Literatura em 1971. Nada lhe foi indiferente. Entregou-se ao ritmo da vida e foi seu intérprete. Amou e foi amado. Seus poemas de amor são um dos legados mais perfeitos, emocionaram e emocionam várias gerações. Atingiu um dos mais altos patamares da poesia do século XX. O poema acima, VENTO NA ILHA é belíssimo, ótima escolha!
    Beijinho daqui do lado!

    ResponderExcluir
  11. Un gran poeta.
    Me encantó este recuerdo tuyo.
    Excelente.
    Un beso.

    ResponderExcluir
  12. Me gustaba y me gusta Pablo Neruda. Cuánto disfruté con sus Versos del Capitán, Las manos del día, los Veinte poemas de amor... Gracias por traerlo a la memoria.
    Abrazos

    ResponderExcluir
  13. oi, Pedro...escrever, falar, declamar Neruda é sempre um encantamento! Um dos pilares da minha formação poética e eterno desde então,
    Um abraço

    ResponderExcluir
  14. "Confesso que vivi", diz Pablo Neruda, um poeta apaixonado e apaixonante.
    É sempre um prazer encontrar-me com Pablo Neruda.
    Os poemas passam a ser nossos, não é verdade, Pedro?

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  15. Um grande escritor, uma referência do século XX.
    Que vale a pena ler, reler e voltar a ler...
    Caro Pedro, um bom fim de semana.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  16. Pablo Neruda, um gigante da Literatura Universal...

    Bem Hajas, meu distinto amigo
    por trazer ao nosso convívio

    forte abraço, Pedro
    cuida-te. de ti e dos teus

    ResponderExcluir
  17. Poema maravilhoso, um galope aos ventos para quem lê.
    Abraço, Pedro, bom final de semana!

    ResponderExcluir
  18. Um autor sempre cativante e apaixonante! Gosto imenso de o ler! E tenho uma colectânea com os seus poemas mais emblemáticos!
    Adorei o formidável post, que me deu a conhecer mais detalhes deste genial poeta!...
    Beijinho! Votos de um excelente fim de semana, para todos, aí desse lado!
    Ana

    ResponderExcluir
  19. Cómo era este señor, Pedro, qué manera de escribir.
    Parece que oímos al caballo de viento y lluvia galopando por los cristales, traspasándolos. Madre mía!!

    ResponderExcluir
  20. Gracias por traer la figura del gran poeta y la belleza de sus poemas.
    Saludos.

    ResponderExcluir
  21. Olá Pedro
    Neruda um ícone da literatura. Um poeta universal que nos envolve na excepcionalidade da sua poética
    Beijinhos no coração meu amigo

    ResponderExcluir
  22. Pablo Neruda, o poeta que todos os que gostam de poesia admiram… Eu gostava de ter escrito como ele todos os imensos poemas de amor que fez. Foi bom encontra-lo aqui.
    Um bom fim de semana, com saúde, meu Amigo Pedro.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  23. Gosto muito de Pablo Neruda, a sua poesia me encanta pela entrega intensa em cada verso! Simplesmente apaixonante!Magnifico texto!
    Otimo final de semana!
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  24. Bom dia Pedro,
    Gostei imenso de saber mais sobre Pablo Netuda,um poeta que tanto admiro.
    O poema que partilha é fabuloso.
    Obrigada.
    Beijinhos e bom domingo, com saúde.
    Ailime

    ResponderExcluir
  25. Um texto brilhante, um poema sublime, como o são todos de Pablo Neruda.
    Fique bem, em segurança e com saúde
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  26. Um poeta realmente encantador! Valiosas informações podemos encontrar por aqui Pedro! Acabo de chegar e já me encantei!!! Vou puxar uma cadeira para tomar um café!

    Lindo trabalho!

    ResponderExcluir
  27. Boa Tarde de paz e esperança, Pedro!
    Só suspiro rememorando suas poesias apaixonada. Ele encanta e deixa a alma mais enamorada.
    Que bons ventos nos venham!
    Tenha dias abençoados!
    Abraços fraternos de paz e bem

    ResponderExcluir
  28. Neruda é um mestre. Cada verso dele é uma lição de sensibilidade e encantamento. Você teve uma boa escolha. Grato por compartilhar. Paz e poesia..

    ResponderExcluir
  29. Pablo Neruda é um Poeta Maior, gosto de tudo o que li dele.
    Este poema foi uma escolha perfeita.
    Beijinhos
    :)
    http://olharemtonsdemaresia.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  30. Li "Vinte Poemas de Amor e uma Canção Desesperada" há muitos anos atrás e vi "O Carteiro de Pablo Neruda", um filme de grande ternura.

    Saudaçóes

    ResponderExcluir
  31. Passei para ver as novidades.
    Aproveito para lhe desejar a continuação de uma boa semana.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  32. Caro Pedro

    Mais um Autor dos Grandes, neste seu post. Pablo Neruda!
    E os seus poemas são tão lindos, apaixonados, diz tudo com o coração ao pé
    da boca.

    Não conhecia o Poema que aqui nos oferece. Faz jus ao Poeta.

    Abraço

    Olinda

    sentimo-nos tão bem a lê-los

    ResponderExcluir
  33. Um poeta arrebatador como sua publicação é.

    ResponderExcluir
  34. O vento na minha Ilha
    Chegou com moral e brilho
    Trazendo na asa um filho
    Do meu amigo que brilha
    Conforme o pai, nessa trilha
    Dos bons, evidentemente.
    Ele é dos nossos, se sente
    Como um fruto que cai perto
    Da árvore mãe e é certo
    Que vai dar boa semente!

    Regozijamo-nos! Abraços! Laerte e Sandra (quem viu primeiro).

    ResponderExcluir
  35. Uma agradabilíssima surpresa me faz o o casal amigo LAERTE e SANDRA, com este poema da lavra do poeta, que se inicia com estes versos, que me encheram de alegria:

    "O vento na minha Ilha
    Chegou com moral e brilho
    Trazendo na asa um filho
    Do meu amigo que brilha [...]"

    Resta-me agradecer ao Laerte e sua esposa Sandra, também em nome do Alexandre e da Taís.

    Um abraço ao distinto casal Laerte e Sandra.
    Pedro

    ResponderExcluir
  36. «porque te quiero, amor, a sangre y fuego.»

    Também aprecio a poesia de Poeta chileno, nunca me canso de o ler e também gosto de o celebrar...
    Que descanse numa esfera de paz profunda, livre de paixões políticas e amorosas...
    Que os poetas do mundo se dediquem a continuar a sua obra de total incentivo à Paz!
    Gostei bastante da sua homenagem, Pedro.
    Votos sorridentes de dias bons em retiro forçado...
    Abraço, amigo.
    ~~~~

    ResponderExcluir
  37. Creo Pablo que el viento me trae a tu portal de versos después de muchísimo tiempo, me he alegrado muchísimo volver y leerte, un abrazo

    ResponderExcluir
  38. Perdona por el error de tu nombre Pedro

    ResponderExcluir
  39. Belo trabalho Pedro.
    Neruda é um poeta muito admirado e sempre foi coerente com o seu tempo.
    Bom reler este poema aqui.
    Uma geração que fez muito pela literatura.
    Sempre será visto como inspirador.
    Abraços amigo.
    Bom sempre passar por aqui e encontrar uma postagem rica culturalmente.
    Grato

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

Pedro Luso de Carvalho