>

5 de fev de 2017

[Crônica] PEDRO LUSO - Da Crueldade do Homem



        
   DA CRUELDADE DO HOMEM
         - PEDRO LUSO DE CARVALHO


Não se pode ter dúvida de que o homem é, dentre os outros animais, o único dotado de crueldade. O homem é o único que escraviza, o único que tortura. Não se pode dizer que o homem mata em sua própria defesa ou em defesa de terceiros. Há casos em que tal hipótese pode ser verdadeira. Mas não é a regra.
Se quisermos um homem exceção, aquele que não usa as armas convencionais para a defesa de seu povo, podemos tirar do fundo da História talvez um único homem com tal mérito: Mahatma Gandhi. Esse homem tornou-se respeitado por todo o mundo ao libertar a Índia, sem o uso da violência, do império Britânico.
Deixando de fora essa honrosa exceção, volto à regra, que é o comportamento do homem cruel. Escolho para isso o registro histórico da matança de mais de 60 milhões de pessoas, em todos os quadrantes do mundo, no tempo de cinco anos, entre os anos de 1939 a 1945, que foi o tempo da Segunda Guerra.
Com tantas mortes nesse conflito mundial, não se pode responsabilizar apenas a Alemanha, mesmo porque não é esse o objetivo desta crônica. Portanto, sendo o tema a crueldade do homem, basta que se escolha, dentre os participantes do conflito, apenas o modelo do que seja o homem cruel: Adolf Hitler.
Tempos atrás havia quem negasse a existência do Holocausto, o que é inconcebível. Lembro-me que cerca dez anos foi editado um livro aqui em Porto Alegre, cujo título já era a negativa do Holocausto. Medidas judiciais foram tomadas para evitar a divulgação do livro, o que felizmente aconteceu.
Hoje, não se pode negar os crimes cometidos pela Alemanha, entre outros países, na Segunda Guerra Mundial. Mais que centenas de livros sobre o Holocausto, existem também centenas de filmes no YouTube, filmados pelos soldados de Hitler, nos quais estão explícitas a crueldade do homem.



    *   *   *


35 comentários:

  1. Um capítulo da História que jamais deve ser esquecido e vigilância deve ser contínua para que nunca mais ocorra na proporção do holocausto, embora saibamos que ao longo de toda história da humanidade o processo de extermínio em guerra é uma constante e a crueldade é um fator condicionante de nossa realidade humana...vivemos assim em constante duelo entre o bem e o mal e muito longe de uma evolução espiritual coletiva.os fatores sempre são o Poder e ganância em nível político e individual de uns sobre os outros.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  2. Es increíble lo cruel que puede ser el ser humano.
    Cuando revisamos la historia nos espantamos.
    Lo bueno es que también existe la bondad.
    Un beso, Pedro

    ResponderExcluir
  3. La humanidad y su terrible crueldad... Un gusto leerte

    ResponderExcluir
  4. Realmente acrueldade dos humanos é incrível e assustadora...Seja por matanças, guerras, por "canetaços" que também podem matar! abraços, linda semana,chica

    ResponderExcluir
  5. Quando il Generale Dwight D. Eisenhower Comandante delle Forze alleate, entrò nei lager tedeschi disse: “Che si tenga il massimo della documentazione, che si facciano filmati, che si registrino i testimoni, perché, in qualche momento durante la storia, qualche idiota potrebbe sostenere che tutto questo non è mai successo".

    ResponderExcluir
  6. Sin ninguna duda el hombre es el ser más cruel y el que es capaz de matar sin que sea en defensa propia, y ahí tenemos a los terroristas actuales que van matando por doquier.
    Muy buena entrada para recordar la guerra que tantas muertes dejó, una parte de la historia negra que ojalá no se vuelva a repetir.
    Un abrazo y buena semana.

    ResponderExcluir
  7. Maravilhoso texto, porém tenso! São as realidades da vida. Adorei ler.

    Beijo e uma excelente semana.

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  8. Foram realmente tempos muito cruéis os que se passaram na Segunda Grande Guerra tanto horror e sofrimento para quê???? Que fique a lição para que a história não se repita, apesar de o planeta voltar a estar a ser governado por "pequenos" ditadores disfarçados de salvadores da pátria.
    Um abraço e boa semana.
    Andarilhar || Dedais de Francisco e Idalisa || Livros-Autografados

    ResponderExcluir
  9. O pior é que a crueldade é intrínseca ao ser humano. Se analisarmos a História da humanidade, vamos vendo sempre processos de tortura cada vez mais eficazes. Desde a Antiguidade até aos nossos dias o Homem vai sendo cada vez mais cruel quando tem oportunidade disso. E a mim parece-me que há um "ódio" por aí, só à espera de poder actuar...
    A sua crónica lembra tempos muito difíceis, mas parece que não aprendemos nada...
    Uma boa semana, meu amigo Pedro.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. recordar lo malo crea una sensación terrible
    Todos lo hacen yo prefiero ver lo bueno si es que podemos Un placer leerte

    ResponderExcluir
  11. Otros tiempos pero seguimos siendo crueles con hechos y palabras sin olvidar todos los atentados que suceden continuamente.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  12. Querido amigo Pedro, bom te ler, sim, o homem é de guerra, isso nem é de hoje como nos mostra em seu bem escrito conto, que pena que é assim!
    Acredito que isso não vai mudar ainda por muito tempo, pois até em casos familiares as pessoas brigam com motivos e sem motivos, amam uma boa briga, se vê o tempo todo em noticiários!
    A crueldade está em todos os lugares!
    Nossa, nem sabia que tempos atrás houve quem negasse a existência Holocausto?!
    Também foram cruéis demais os que seguiram o louco Hitler, se não tivessem tantas provas seria mesmo de se duvidar, olhe que isso faz pouco mais de meio século!
    Meu amigo, tens sensibilidade, isso é de me fazer te respeitar e gostar muito de te ler!
    Deixo aqui abraços bem apertados!

    ResponderExcluir
  13. Acho engraçado quando escuto alguém dizer que vivemos num mundo cão! Como mundo cão? Querem atribuir a crueldade dos humanos aos animais que só matam para saciarem a fome? Os que matam por prazer, os que se divertem torturando, os que negam comida e moradia aos desprovidos, os que fazem as guerras mais estúpidas do planeta e os que fizeram as experiências mais cruéis e inacreditáveis da Humanidade, não foram os animais! Por isso é inacreditável que nós, ditos humanizados, possamos ser tão cruéis.
    Essa foto acima lembra bem o Holocausto, o pior dor horrores. E Hiroshima e Nagasaki? E tantas outras atrocidades? E Stalin?
    Mas precisamos lembrar dos horrores da nossa História, ter em mente do que o Homem, o ser humano, é capaz para que os ‘responsáveis’ consigam frear seus ímpetos mais devastadores.

    Beijinho daqui, do gabinete do lado!

    ResponderExcluir
  14. Osservazioni intense, e di notevole lettura, sulla crudeltà e cinismo degli
    esseri umani, come ci insegna la storia
    Un caro saluto, Pedro,silvia

    ResponderExcluir
  15. Sempre bom relembrar!
    O Homem vai-se eliminando a si mesmo...
    Abraço

    ResponderExcluir
  16. Es terrible tanta crueldad. Nunca debería repetirse algo tan horrible.

    Muy bueno tu escrito.

    Un abrazo

    ResponderExcluir
  17. excelente trabalho, Pedro

    tema de grande interesse e oportunidade.
    de facto, as nossas sociedades vivem impregnadas de violência e crueldade que tantas vezes aceitamos sem um gesto protesto ou uma expressão de repugnância - uma espécie de "banalização do mal", de que falou Hanna Arendt.

    forte abraço, meu amigo

    ResponderExcluir
  18. Uma crueldade que parece não ter fim...
    Assistimos - há meio século - a um comportamento bárbaro insólito!
    O povo que foi vitimizado pelo holocausto, agora perpetra um horrível genocídio. Eles nem queimam, limitam-se a matar - há meio século.
    Continuam a construir em solo cisjordano, que foi reconhecido pela ONU como pertença dos dizimados e espoliados e até atacam navios de ajuda humanitária...
    E ninguém lhes faz frente... Foi mais fácil invadir o Iraque e saquear
    dos museus os tesouros da Mesopotamia.
    Quando ouvem pacifistas expressarem-se como eu, dizem que estão a ser vítimas de um novo antissemitismo. Eu sou lá antissemita! Eu sou pela paz, pelo ecumenismo, pela compaixão e misericórdia...
    A maior parte dos Israelitas não pratica o judaísmo e viciou-se na
    autocompaixão como forma de obter a comiseração internacional para os seus desmandos, ambição e vandalismo.
    São eles os grandes destabilizadores do Médio Oriente, fazendo-se de vítimas.
    Peço desculpa por me ter empolgado, Pedro
    A crueldade parece dificílima de erradicar. Anteontem foi o dia internacional contra a mutilação genital...
    ~~~ Um abraço desolado, amigo ~~~

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quero acrescentar que gostei da sua pertinente e justa e correta crónica.
      Porém, como a Taís sugere, ainda não vislumbramos um fim à barbaridade...
      Ótima semana, Pedro.
      ~~~~~~~~~~~~~~~

      Excluir
  19. Me toca muy de cerca este post, apreciado Pedro. Nací en Alemania y mis padres llegaron a Chile huyendo de los nazis, teniendo yo tres años de edad.De modo que debo "agradecerle" a Hitler el haber hecho mi vida en el extremo sur del mundo. Siempre pienso que de no haber sido por aquello nunca habría conocido a mi querida esposa ni tenido los hijos y nietos que tengo. Todo habría sido muy distinto.

    ResponderExcluir
  20. El hombre es capaz de lo mejor y de lo peor. Y la imaginación, al servicio del mal, resulta escalofriante.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  21. OI PEDRO!
    NÃO HÁ COMO NEGAR, OS DOCUMENTOS EXISTENTES FALAM POR SI.
    O PIOR É QUE MESMO DEPOIS DO HOLOCAUSTO, AINDA VEJAMOS ATOS DE MALDADE E TORTURAS CONTRA SERES, NA MAIORIA DAS VEZES EM SITUAÇÃO DE INFERIORIDADE, SEJA ESTA FÍSICA, ECONÔMICA, SOCIAL E POR AÍ VAI.
    ESPERO QUE UM DIA, OS SERES CONSIGAM VIVER EM HARMONIA COM A NATUREZA COM OS ANIMAIS E ENTRE ELES, MAS, SEI QUE ISSO SERIA O PARAÍSO E ESTÁ LONGE AINDA.
    MUITO LEGAL TUA CRÔNICA AMIGO, SEMPRE NOS FAZENDO REFLETIR.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  22. es mejor vivir el presente de recordad lo que no podemos cambiar un abrazo

    ResponderExcluir
  23. Si ya es triste tener que verse obligado a matar en legítima defensa (caso de determinadas guerras ante una invasión, etc,etc.) mucho más triste es matar a un prójimo que no ha ofendido, que tiene incluso la misma nacionalidad en muchos de los casos, tan solo porque no gusta su raza, sus creencias... Ciertamente el hombre puede ser terriblemente cruel y despiadado, sin una causa que lo justifique. Has puesto un claro ejemplo de ello.
    Recibe un cordial saludo.

    ResponderExcluir
  24. Como já nos dizia Agostinho de Hipona
    "O mal existe"... Obrigado pela visita... Um abraço!

    ResponderExcluir
  25. El ser humano es un verdadero depredador. Algunos animales matan para comer, nosotros tenemos la despensa llena y seguimos matando.
    Otros hacen oídos sordos. En la segunda guerra mundial yo era una niña y me enteraba de lo que ocurría en Alemania. Loa mayores tenían fotografías del Holocausto y las veían aunque los niños estábamos delante.
    Es muy penoso recordar esto. Luego decían los "mandamases" que no se enteraban...¡Ja!
    Un abrazo amigo Pedro

    ResponderExcluir
  26. Hitler causou 60 milhões de mortes. Stalin, segundo muitos historiadores importantes, não terá matado meno60 milhões entre os soldados que morriam ou morriam na segunda guerra, somados aos seus Gulag espalhados por toda a União Soviética. Não menos que isso morreu, também, na 'África Negra', debaixo de ditadores crudelíssimos! As guerras do Islã chamado extremista matam milhões entre seu próprio povo e aqueles que barram sua expansão... A maior parte do mundo é pacífica a princípio, mas basta um líder cruel assumir o poder, e a cabeça das pessoas vira. Nenhum desses homens nunca lutou por seu país. Eles lutam por si mesmos, por seu interesse ou sua doença.
    Apenas penso não ser Gandhi a única exceção de pacifismo em meio à crueldade geral do Homem. Não poderia ser. Fosse esse o caso, o mundo não existiria mais, meu amigo.
    Um grande abraço

    ResponderExcluir
  27. Nunca podré entender tantas barbaridades cometidas, creo que el pueblo alemán tendrá que llevar un lastre que durará una eternidad, la historia queda escrita y, por mucho tiempo que transcurra, nadie la va a poder borrar.
    Homo homini lupus, decía la frase que popularizó Thomas Hobbes-
    El hombre lleva un animal salvaje dentro y cuando lo manifiesta, es para temerlo.
    Cariños.
    kasioles

    ResponderExcluir
  28. A crueldade dos humanos é um preço bem alto que pagamos por sermos "seres superiores"...
    Excelente crónica, parabéns.
    Caro amigo Pedro, continuação de boa semana.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  29. Caro Pedro, vi que me seguiu e sei que já tinha passado por aqui mas não conseguia descobrir o endereço do blogue. Pesquisei no Google e encontrei. Desse modo, consegui segui-lo de volta. Vou ficar atenta ao que se passa por aqui.

    ResponderExcluir
  30. É amigo, todo animal sabe o que lhe é salutar, menos o homem que é o único animal que não tem predador e sendo predador de si mesmo, mata e não come. Grande texto. Abraço. Laerte.

    ResponderExcluir
  31. Pedro Luso
    Da minha pequena biblioteca, cerca de 30 obras são sobre os vários aspetos da Segunda Guerra Mundial. Desses livros o que mais me marcou, foi o JULGAMENTO DE NUREMBERGA, pelo ridiculo dos depoimentos de defesa dos grandes criminosos, em julgamento. Curiosamente, dias antes da nossa revolução, tive uma noite em casa, nem no carro deixei, um álbum fotos de todos os últimos governantes Nazistas. Tal as recomendações sobre as mesmas, que achei por bem assistir à reprodução das fotos e de seguida as devolver. Pertenciam ao chefe da então policia politica.
    Alem de muito outros, houve também um aspecto que me marcou muito, foi o modo como Hitler negociou, como o próprio, a morte de ROMEL, "a raposa do deserto".
    Enfim...
    Obrigado pelos comentárioSs ao BRASIL - SORRISO DE DEUS.
    Abraços

    ResponderExcluir
  32. E no entanto... 72 anos depois, constroem-se muros, e promove-se a discriminação... o que prova que para além de cruel... o homem é burro... por convicção (os burros de condição, são criaturas inocentes... quer sejam os de 2 ou 4 patas, por força das circunstâncias da vida).
    72 anos depois... não aprendemos nada... temos a memória fraca... cometemos os mesmos erros... como que preparados, para continuar a aplicar as soluções de sempre... no limite, guerra... como solução!
    Cá em Portugal, tivemos um herói... Aristides de Sousa Mendes... em 15 dias, salvou milhares de pessoas, por ocasião da Segunda Guerra Mundial... vale a pena conhecer a história, deste corajoso diplomata!...
    Adorei sua brilhante crónica, Pedro, com sempre com um excepcional suporte informativo.
    Abraço! Bom fim de semana!
    Ana

    ResponderExcluir
  33. EXCELENTE ARTICULO. MUY SENSATO TU POST.
    ABRAZOS

    ResponderExcluir
  34. Uma cronica perfeita e leve sobre esta triste particularidade do homem e sua crueldade sem limites.Esta é cada vez mais enfática e visível. O Holocausto é outra mancha da historia da Humanidade como as escravidões e ainda hoje muitos trabalhos escravos escondidos nestes cantos de país.Vi alguns filmes sobre a Segunda Grande Guerra e nos deixa indignados com a crueldade humana, assim como os relatos e filmes da guerra burra no Vietname.
    Um abração amigo e que Deus nos proteja.

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

PEDRO LUSO