>

1 de mai de 2018

[Poesia] PEDRO LUSO - Um Canto Esquecido




UM CANTO ESQUECIDO
PEDRO LUSO DE CARVALHO



Não mais os ternos cantos de amor,
dor é inspiração do poeta,
no cruel tempo de sobrevivência.

um canto esquecido no peito,
calado canto de puro amor,
rosa sem vida no roseiral.

Este tempo pede outro cantar,
canto de denúncia, de esperança,
afagos do poeta a quem sofre.

Quem sabe amanhã seja melhor,
com gente honesta em todo lugar,
a alma renovada do Brasil.




*   *   *




46 comentários:

  1. Quiçá seja assim...Que amanhã,num futuro, o poeta possa voltar a falar de amor aqui no Brasil! Lindo canto!abraços, chica

    ResponderExcluir
  2. Bom dia. Lindo demais :))


    Hoje:- Vestes leves, agitadas pelo pensamento

    Bjos
    Votos de uma óptima Quarta - Feira

    ResponderExcluir
  3. "Este tempo pede outro cantar,
    canto de denúncia, de esperança,
    afagos do poeta a quem sofre."
    Magnífico poema, meu Amigo Pedro!
    Estes tempos são tão inquietantes que doem no peito de quem sente... Portinari tão inquietante também...
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  4. Hola Pedro, todos llevamos en el pecho un rinconcito dedicado al Amor, debemos no olvidarnos de ese hermoso rincón.
    Me ha encantado como lo has dicho.
    Feliz semana.
    Un gran abrazo

    ResponderExcluir
  5. Una lirica tristissima, e di denuncia, per le sofferenze d'un paese...
    Un caro saluto, Pedro,silvia

    ResponderExcluir
  6. Um 1o de Maio por todo o lado festejado, mas, para alguns ele só vem acentuar mais o sofrimento e a dor de nem sequer trabalho terem. Guerras por todo o lado, seres fugindo delas todos os dias e da fome por elas causada; morrem nos campos de batalha, morrem nas águas do Mediterrâneo, morrem mesmo quando pensam ter chegado " ao paraiso " ; já estão esquecidos, já não abrem os telejornais, já não aparecem em revistas; ainda contam com alguma solidariedade de pessoas atentas que os resgatam do mar, mas é muito pouco e quem poderia atenuar esse sofrimento, os poderosos do mundo, não têm vontade para resolver a questão. Para todos esses, Pedro, creio que não há esperança, mas para o nosso querido Brasil, há sim! Vamos sair dessa, com toda a certeza, embora pense que tens motivos para um poema de desalento, claro que o que se passa aí e no mundo inteiro não pode inspirar os poetas a cantarem o amor, a solidariedade e a alegria de viver, pois com certeza os versos seriam desprovidos de sentimento; escreve-se o que vai na alma, principalmente quem escreve poesia, como tu Pedro. E aqui, neste poema mostras todo o teu sentir. Obrigada, querido amigo. Um beijinho e tudo de bom.
    Emilia

    ResponderExcluir
  7. A guerra, a injustiça, a corrupção, a fome, a violência, não são flores que inspirem as almas sensíveis dos poetas.
    Abraço

    ResponderExcluir
  8. Boa tarde! Poema encantador!! Amei.


    Beijinhos e um dia feliz.

    ResponderExcluir
  9. Bello poema. Esperemos un futuro con ilusiones.
    Un fuerte abrazo.

    ResponderExcluir
  10. Uma linda poesia... Um dia, creio, no Brasil poderemos cantar o amor do nosso povo, as belezas do nosso país.
    Um abraço.
    Élys.

    ResponderExcluir
  11. Os poetas são seres sensíveis e neste poema deu para perceber essa sensibilidade, neste caso preocupante.

    Beijinho

    Fanny Costa

    ResponderExcluir
  12. os poetas não podem calar a sua voz e as suas palavras, Pedro !
    são fontes de esperança, são inspiração para muita gente:)
    abraço

    ResponderExcluir
  13. É difícil escrever versos de amor com um mundo em guerra, com fome, com crianças morrendo todos os dias, com uma corrupção gigante no nosso país, com 14 milhões de desempregados e com enorme falta de solidariedade entre as pessoas. Somos bombardeados diariamente com um quadro dos mais desumanos. Cadê a inspiração para isso?
    Belo poema, dolorido e mais atual do que nunca vemos a dor do poeta.

    "Este tempo pede outro cantar,
    canto de denúncia, de esperança,
    afagos do poeta a quem sofre."

    Beijinhos daqui do lado.

    ResponderExcluir
  14. El poeta sufre mucho más ya que tiene más inspiración y ve la injusticia del mundo, un abrazo.

    ResponderExcluir
  15. Me despierto cada mañana orar a mi Dios para fortalecer el Dr. James por sus buenas obras Que se está haciendo en todo el mundo. El personal era muy amable y servicial. El personal era muy amable y servicial. Contacto Dr. James vía (drjamesd3@gmail.com) o mediante el número +27737872215 whatsap al Dr. James gracias por la ayuda que me das.

    ResponderExcluir
  16. Eppure in questo mondo dove sembra vincere il male, il poeta trova rifugio...intensa bella e vera poesia, complimenti!

    ResponderExcluir
  17. Querido amigo poeta Pedro, as almas estão em estado de angústias, isso de tempos em tempos acontecem para nos sacudir, nos dar o verdadeiro valor e sentido da vida.
    Aqui nos mostra com sua sensibilidade o que há para se pensar e repensar, mas amo ser otimista, acredito na vida, acho que um dia ainda veremos mudanças, mas com certeza vai demorar, enquanto isso vamos escrevendo, como uma boa forma de desabafar, minha Sampa está "entregue às baratas", que pena!
    Abraços apertados!

    ResponderExcluir
  18. E há muita gente a precisar desses afagos...
    Excelente poema, parabéns.
    Continuação de boa semana, caro Pedro.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  19. Que no Brasil, possamos falar de cantos de igualdade, respeito, amor, justiça e crescimento. Belíssima poesia!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  20. ¡Con gente honesta en todo lugar!
    ¿Utopía, amigo Pedro?
    En todo caso un gran sueño...un inmenso anhelo.

    ResponderExcluir
  21. Pedro Luso
    Devo inferir que o poema, é uma boa peça literária de intervenção. A poesia também se presta a isso. O poeta jamais se deve alhear dos problemas da sociedade a que pertence.
    Abraço

    ResponderExcluir
  22. Boa noite Pedro
    Um tocante poema de um poeta sensível ao sofrimento humano. Precisamos de mais pessoas humanas e solidárias. Um lindo mês de Maio. Forte abraço. Lembrança a querida Taís.

    ResponderExcluir
  23. Tanto en prosa como en verso, los poetas y escritores de cada época, han tenido como fuente de inspiración los problemas sociales, ellos también criticaban a través de las letras, Lope de Vega, por ejemplo, lo hacía a través de su teatro en verso.
    Y tú, querido amigo, hoy lo haces desde esta entrada que llega al corazón del lector y tienes mi solidaridad.
    Cariños.
    kasioles

    ResponderExcluir
  24. Canto atroz, lançado ao canto
    Por não ser canto de amor.
    Canto de dor sem pudor
    Ouvido com assaz espanto

    Como blasfêmia a um santo
    Poeta que o pundonor
    Se foi e trouxe-lhe a dor,
    O amargor e o pranto.

    Quem sabe se em nova aurora
    O sol se ponha pra fora
    E traga um novo perfil

    Ao brio que o poeta adora
    E resplandeça ora
    Uma alma nova ao Brasil.

    Pedro, teu poema está belíssimo onde há poesia sem rima e este versejador contumaz, roubou tua inspiração para fazer um arremedo postiço de versos sem poesia e com rima. Grande abraço, amigo! Parabéns! Laerte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois ficou muito bom este teu exercício de versejador que és, deixando ao teu modo este meu poema. Muito bom, Laerte. Parabéns e obrigado pelo poético comentário.
      Bom final de semana.
      Pedro

      Excluir
  25. Que esse canto esquecido volte a renascer.
    Maravilhoso poema.
    Bom domingo
    Beijinhos
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderExcluir
  26. Mais um poema que traduz lindamente, o clima vivido no Brasil... ansiando-se por mudança, renovação... e esperança em dias melhores...
    Belíssimo e assertivo poema, Pedro!
    Um grande abraço! Votos de um óptimo domingo!
    Ana

    ResponderExcluir
  27. Os poetas são (também) o último reduto da Esperança, tens toda a razão Pedro.
    Cantaremos, sim, meu caro amigo, em breve, a "alma renovada" de tua amada Pátria!

    forte abraço

    ResponderExcluir
  28. El dolor es una gran fuente de inspiración, para todos los poetas. También puede ser fuente de inspiración la Felicidad, cuando esta se consigue.
    No todo en la vida es negro, ni todo en la vida es blanco. El sufrimiento y la Felicidad, se va alternando en la vida.

    Besos

    ResponderExcluir
  29. Quem sabe Pedro, quem sabe.
    Um belo poema com versos que faz um olhar para dentro, e esticar um olhar para toda esta confusa situação, que vivemos sem a minima chance de uma virada rápida, além do temor de uma intervenção.
    Um belo trabalho Pedro.
    Uma boa semana com paz.
    Meu terno abraço.

    ResponderExcluir
  30. Agradecida por tu contestación.
    Sí sabía que mis comentarios se reflejaban aquí, pero ignoraba que los recibieses en tu correo, tenía mis dudas ya que, siempre que te escribía recibía un correo en el que decía que no se podía enviar...
    Me alegro de que todo funcione bien.
    Cariños y buen comienzo de semana.
    kasioles

    ResponderExcluir
  31. Hay hambre de poesía amorosa, esperanzada.
    Aquí y ahora.
    Donde se bate el poeta contra la realidad.
    Él quiere.
    Y todo se alía para que no pueda.

    Pero como bien dice: "Quién sabe. Quizá mañana será mejor..."

    ResponderExcluir
  32. Brillante grito de un poeta en medio de la oscuridad ambiente.Sufrimos contigo, amigo Pedro, las desventuras, esperanzas y anhelos de tu querido país.

    ResponderExcluir
  33. Olá, Pedro!
    Ainda vim a tempo de ler mais dum belo poema teu.
    Tempo que espero não te falte para gritares denúncias, tempo para cantares alvoradas à alma renovada do teu país.
    Haja esperança.
    Abraço, amigo.

    ResponderExcluir
  34. Paz, eso necesitamos todos los países de esta América del Sur que sufre día a día.

    mariarosa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, Maria Rosa, toda a América do Sul passa por sérias agruras, mas nenhum país (das Américas e do Mundo) teve governo como o de Lula e o de Dilma, que destruíram a economia do Brasil em apenas dezesseis (16) anos. A economia do Brasil levará no mínimo três (3) gerações para se recuperar do assalto sofrido.
      Um abraço.
      Pedro

      Excluir
  35. Boa tarde, Pedro,
    a tela de Portinari, por si só, já nos remete a uma séria reflexão sobre a situação do Brasil.
    Que bom que você é um poeta, e dos bons, pois sabe usar as letras para bramir em favor da nossa sociedade e contra os corruptos que, infelizmente acabaram com nossa Pátria.Caso fossem um pouco sensíveis, quem sabe já teriam entendido tantos recados em verso e prosa.
    Vale a tentativa, e a constância.
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  36. Hola Pedro, una triste y dolorosa poesía, que como bien dices, el poeta con su dolorido corazón la hace bella, dificiel situación la de tu tierra hermosa, ojalá y vaya resucitando a grandes zancadas.
    Te mando un fuerte abrazo con mi corazón.
    Felizfin de semana Pedro.
    Gracias siempre

    ResponderExcluir
  37. Um belo poema de revolta e ao mesmo tempo de esperança em melhores dias.
    A tela é de um grande dramatismo que ilustra muito bem o poema.
    Um abraço e bom fim-de-semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderExcluir
  38. Belissimo poema. Parabéns!

    Convidamos a ler o capítulo XIII do nosso conto escrito a várias mãos "Voar Sem Asas"
    https://contospartilhados.blogspot.pt/2018/05/voar-sem-asas-capitulo-xiii.html

    Votos de excelente fim-de-semana
    Saudações literárias

    ResponderExcluir
  39. Poema belíssimo, um porta voz no canto deste nosso
    País, um sentir comum nosso, tão distante de um encanto,
    por isso este canto profundo e dorido seja nosso:
    "Não mais os ternos cantos de amor,
    dor é inspiração do poeta,
    no cruel tempo de sobrevivência."

    Parabéns pela obra poética, meu caro amigo Pedro.

    Um feliz final de semana junto com a Taís e filhos no
    dia das mães.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  40. Quase tudo se conquista
    Abraço

    ResponderExcluir
  41. Meu caro Pedramigo

    Num Brasil que persiste em ser o país das confusões de toda a estirpe a revolta é uma exigência e os teus versos empolgantes apelam ao patriotismo dos teus compatriotas a um novo grito do Ipiranga.

    Cá deste lado do nosso Atlântico que nos separa mas também nos une sigo com a maior atenção o que aí se passa e não te escondo a tristeza e até o nojo que sinto.

    Continuo a amaldiçoar o Stefan Zweig que lançou sobre a tua pátria o desgraçado anátema O Brasil país do futuro. Mas que futuro? Se o presente está a ser o que é qual a esperança no porvir? Mais uma ditadura militar? Nunca!!! Então?

    Por isso gabo-te as palavras que transcrevo:

    Quem sabe se amanhã será melhor,
    com gente honesta em todo lugar,
    a alma renovada do Brasil


    Oxalá assim seja. Um dia assim será. Quando?

    Um abração deste teu amigo portuga
    Henrique, o Leãozão
    _________
    Na Nossa Travessa pode ler-se um artigo intitulado Do smartfone à sogra

    ResponderExcluir
  42. Grande Pedro, um bom domingo de paz e alegrias para vocês.
    Que possam fazer alegre a querida Taís neste dia como em todos os outros.
    Um feliz dia às mães de sua vida.
    Uma semana de paz e esperanças de boas novas para nós e o Brasil.
    Meu terno abraço amigo.

    ResponderExcluir
  43. Olá, Pedro!
    Nestes doridos versos vislumbro alguma esperança:
    «Quem sabe amanhã seja melhor,
    com gente honesta em todo lugar,
    a alma renovada do Brasil.»
    Abraço, meu amigo.

    ResponderExcluir
  44. Boa noite Pedro, quem sabe, teremos a sorte de termos um amanhã melhor. Deus te ouça.
    Fraterno abraço e boa semana.

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

PEDRO LUSO