>

3 de fev de 2018

[Poesia] PEDRO LUSO – A Mãe




A MÃE
PEDRO LUSO DE CARVALHO



Este não é o quartinho,
onde meu filho embalei,
protesta a mãe, voz queixosa.

No breu desta fria cova
sugam-me o sangue morcegos,
lamenta-se a pobre mãe.

Este não é o quartinho
do meu filho que ninei,
queixa-se a mãe angustiada.

No foro, júri reunido,
diz à mãe um homem soturno:
o crime tem o seu preço.

A sentença fere a mãe:
o filho cumprirá pena
tão longe dela, e tão perto.




*   *   *





44 comentários:

  1. Pobre mae! Tristes versos...Tudo tao diferente do que ela certamente pra ele sonhou! Abraços e tudo de Bom, chica

    ResponderExcluir
  2. Amigo, uma poesia muito bem escrita para falar da dor de uma mãe ao ver seu filho condenado. Mas tem muitas més sofrendo pela condenação dos filhos e muitos não porque foram condenados por um juri, mas porque foram condenados por vícios das drogas e estão na sarjeta.Parabéns amigo, abraços

    ResponderExcluir
  3. Triste y doloroso poema, el dolor de una madre es inmenso.
    Un hijo duele muchísimo.Muy bien narrado.
    Feliz fin de semana Pedro.
    Abrazo.

    ResponderExcluir
  4. Forte e profundo! Amei!

    Beijo e bom fim de semana

    ResponderExcluir
  5. Un poema dolorido, desde el sentimiento de madre. De la madre que siento el dolor del hijo encarcelado. Aunque esa cárcel pueda ser cualquier forma de vida mala, en la cual muchos hijos se pierden...
    Saludos, amigo poeta.

    ResponderExcluir
  6. Essa dor é inexplicável para uma mãe; ela entenderá a lei e a força da justiça, até não contestará diante das circunstâncias, mas uma dor paralela sempre se fará presente. A dor que só mãe sente.
    Muito forte, mas lindo.
    Um beijinho daqui do lado.

    ResponderExcluir
  7. Un bello poema muy bien tratado en el dolor de una madre.
    Una madre sabe bien de la justicia, pero ella siempre perdona a los hijos, y le duele lo que le pase.
    Un abrazo y buen fin de semana.

    ResponderExcluir
  8. Filho nunca deixa de ser o menino de sua mãe. E mãe, tudo perdoa ao seu menino.
    Pedro, a intensa tristeza dos teus versos não ofusca a beleza do poema. Parabéns!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  9. oi.Pedro...um poema triste e comovente! para uma mãe um filho é sempre aquele que gerou em seu ventre e seja com for faz parte de si mesma para a alegria e para a dor...nela repercutem como ecos as lágrimas e os risos, o céu e o inferno.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  10. Dolore immenso di madre, molto ben delineato in versi eleganti
    Buona domenica e un saluto, Pedro,silvia

    ResponderExcluir
  11. Boa tarde. Maravilhosa homenagem aquela mulher que por destino é ... mãe.
    Muito bonito.
    .
    Escrito em três sextilhas:
    *Nós dois ... um só coração *
    .
    Votos de um dia feliz

    ResponderExcluir
  12. Um poema profundo, triste, mas muito belo.
    Um beijinho e bom domingo.
    Ailime

    ResponderExcluir
  13. Muy conmovedor y triste pero un hermoso e inmenso poema.
    Un beso.

    ResponderExcluir
  14. Grande poeta! O que era bom ficou ótimo - estás agora com um ritmo novo, amigo! A musicalidade ajuda o conteúdo a emocionar. Parabéns! A vida é uma longa lição de aprendizado e aperfeiçoamento. Como diria minha mãe: "o uso do cachimbo é que deixa a boca torta". O fazer faz o saber fazer mais primoroso e vejo que teus versos evoluíram bastante. Parabéns, amigo Pedro! Tudo de bom. Laerte.

    ResponderExcluir
  15. Olá Pedro! Passando para te cumprimentar e apreciar esta tua bela e triste criação. Nada se compara ao amor de mãe.

    Abraços e uma ótima semana para ti e para os teus.

    Furtado

    ResponderExcluir
  16. Mãe é a pior profissão do mundo. Não tem reforma, nem descanso, sofre mais do que é feliz, e nunca, deixa de amar mesmo quando o filho não é flor que se cheire.
    Gostei do poema, que soube descrever esse amor maternal.
    Abraço

    ResponderExcluir
  17. Las madres siempre permanecerán al lado de los hijos defendiéndolos con su propia vida si fuese preciso.
    Los aceptamos tal cual son pese a los disgustos que puedan darnos.
    Me ha encantado el cuadro que has elegido para enmarcar esta entrada.
    Cariños y buen comienzo de semana.
    kasioles

    ResponderExcluir
  18. Comovente e tão triste, este poema, meu Amigo Pedro. "Como cantava José Afonso: "Embora seja ladrão aquele que tenha mãe lá tem no meio da luta ternos afagos de alguém..." Só as mães são capazes de amar assim, em qualquer circunstância.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  19. Bello poema homenaje a las Madres, incluida la Madre Universal.
    Besos Pedro.

    ResponderExcluir
  20. Magnífico poema que define con una belleza extraordinaria la unión hasta el final de ese cordón umbilical entre madre e hijo.
    Felicitaciones, Pedro.

    ResponderExcluir
  21. Mãe é sempre mãe em todos os sentidos.
    Bela obra poética Pedro.
    Bjs,obrigada pela visita e uma ótima semana.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  22. El dolor de una madre frente a los problemas de los hijos es infinito, ellas todo lo perdonan.

    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  23. Ser mãe é um privilégio e desafio!
    Fortes e profundos versos...
    Obrigada mais uma vez pela presença por lá.
    Abraço

    ResponderExcluir
  24. Caro amigo Pedro, que bela inspiração nesta triste relação afetiva de uma mãe e seu filho bandido ou não, diante do julgamento e da pena. O amor que cega e faz todo o sofrimento de uma mãe. É mesmo um parto ao contrário, que só as mães entendem e sofrem. E saber que tudo isto é real de seu poema amigo.
    Forte e perfeita construção da inspiração para emocionar.
    Meu terno abraço e boa semana para vocês.
    A tela de Portinari é a ilustração precisa desta dor que invade o poema.
    A literatura agradece esta partilha amigo.

    ResponderExcluir
  25. Siempre se habla, amigo Pedro, del amor incondicional de las madres por sus hijos. Lo representas muy bien en el poema y con el agregado de una ilustración notable.

    ResponderExcluir
  26. Belo poema de homenagem a esses grandes seres que são as mães.
    Um abraço e boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderExcluir
  27. Yo también sufro por un hijo que no veo desde hace más de 4 años. No ha habido enfados ni palabras feas, solo que su esposa no quiere nada conmigo ni con mi otro hijo. ¡Que le vamos a hacer!
    Un abrazo amigo Pedro he comprendido perfectamente tu poesía.

    ResponderExcluir
  28. Poema forte.
    E mãe é sempre mãe.
    Muito bom além de ser duro de ler.
    Parabéns!
    beijinhos
    :)

    ResponderExcluir
  29. Caro Pedro,
    Candido Portinari como suporte e, literalmente, no poema, uma mãe chorando. Fez-me lembrar a música O Guri, de Chico Buarque.
    O poema é de um vigor que nos tira da zona de conforto esta dura realidade.
    Muito bom o poeama!
    Forte abraço,

    ResponderExcluir
  30. Gostei do triste poema amigo. Aqui no Brasil atualmente devem existir muitas mães chorando por seus filhos. Afinal as balas perdidas estão achando-os.
    Abraço, Léah

    ResponderExcluir
  31. Pedro, el poema es demoledor por lo exacto. No hay mucho que añadir, .
    Quizá sólo, que aunque siempre se ha dicho que la peor pena es la muerte de un hijo, aquí el sufrimiento de la madre sería doble.

    ResponderExcluir
  32. Olá amigo(a)!

    Gostei do blog e já estou seguindo...

    Abraços!

    - tavaresplugado.blogspot.com

    ResponderExcluir
  33. Tudo o que de mau acontece a um filho é contranatural para a mãe...
    Excelente poema, parabéns.
    Continuação de boa semana, caro Pedro.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  34. El dolor de una madre por su hijo es el mayor de todos los dolores.

    mariarosa

    ResponderExcluir
  35. "tão longe dela, e tão perto."
    Mãe é das maiores fontes de inspiração. Tema inesgotável na dor e na alegria.
    Pedro, saio emocionada.
    Beijinho amigo.

    ResponderExcluir
  36. poema que mergulha no quotidiano com muita sensibilidade e talento...
    amor sem crime nem castigo, o amor das Mães.

    gostei muito, meu amigo

    forte abraço

    ResponderExcluir
  37. Ah, estas mães!
    Ah, estes filhos!
    Linda poesia!
    Também quero agradecer
    o teu constante carinho.
    abraço

    ResponderExcluir
  38. Um poema de uma excelência a abordar o tema do amor
    incondicional de uma mãe. E, Pedro, o mais admirável é
    perceber a sua competência na elaboração de arte primorosa
    deste poema; a estrutura emocional da história narrada com
    a precisão estética da linguagem, a nos conduzir inseridos
    no sentir desta mãe,que sofre com a sentença da vida deste
    filho aprisionada nos seus graves erros, junto com a vida dela,
    nos seus olhos (na alma...) com o coração no vínculo simbiótico,
    que o desfecho excepcional expressa:
    "A sentença fere a mãe:
    o filho cumprirá pena
    tão longe dela, e tão perto."
    Esta mãe com o seu amor imenso de transcender
    qualquer distância e tempo...
    A obra escolhida de Portinari perfeita para
    o excelente poema.
    Parabéns, meu amigo.
    Votos de um feliz feriado de carnaval para você e a Taís!
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  39. Por vezes os filhos dilaceram o coração dos pais.
    Um poema sublime.
    Um abraço
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderExcluir
  40. Pedro, meu amigo

    Muito obrigada pelos votos do meu aniversário!!

    Vocês dois são um casal de amigos muito querido...
    Um feliz feriado de carnaval na paz, harmonia e
    sossego para os dois!
    Um beijo.

    Ps: Diz para a Taís, que estou aguardar a crônica no
    espaço dela, nós, os leitores amigos e fãs, atentos
    para ela publicar...rss

    ResponderExcluir
  41. Bom dia. Tudo o que é poetizar a MÃE me comove. Gostei demais do poema.
    .
    * És ... Fragmentos da minha imaginação. *
    .
    Votos de um dia feliz.

    ResponderExcluir
  42. E o crime, leva a vida de tantos jovens...
    Uma realidade muito dura... e bem presente... que deve dilacerar o coração de qualquer mãe... e muito bem expressa neste seu tocante momento poético, Pedro!...
    Adorei cada palavra! Um grande abraço! Bom feriado de Carnaval!
    Ana

    ResponderExcluir
  43. Boa noite Pedro
    Um poema muito triste, infelismente é a realidade de muitas mães que ver seu filho com triste destino. Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  44. Grito de dolor de una madre que ve cómo su hijo toma un mal camino. ¡Cuánto dolor!
    Abraços.

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

PEDRO LUSO