>

12 de mai de 2017

(Poesia) PEDRO LUSO - Lembranças





LEMBRANÇAS
  – PEDRO LUSO DE CARVALHO


Música, sonoras notas lembram Bach
igreja, reflexão
e religiosidade,
minhas asas para o voo.


Verei da altura, do nublado céu, a cidade
natal, quase esquecida na serra,
São Joaquim
minha primeira objeção.

Dia santo de São Pedro, neve
na manhã
branca
a tecer tapete no chão.

Lembranças avivadas com a sonata
de Bach, som
e solo do violoncelo
aplanando meu caminho.



*   *   *



45 comentários:

  1. Muito belo!!

    Beijos e bom fim de semana

    ResponderExcluir
  2. Cai neve cai neve cai neve no jardim
    Kis :=}

    ResponderExcluir
  3. Lindas lembranças de uma nevasca na Serra! abração, ótimo fds! chica

    ResponderExcluir
  4. Adorei a foto também!!

    ResponderExcluir
  5. UNA TONADA MUY ARTÍSTICA.
    ABRAZOS

    ResponderExcluir
  6. Boa noite, Pedro,
    a foto é espetacular, belíssimo quadro tecido com suas lembranças de uma nevasca na serra de São Joaquim, ainda avivadas pelo som da sonata de Bach, tudo coube certinho em seu texto. Abraço!

    ResponderExcluir
  7. Viver as lembranças de São Joaquim, cidade mais fria do Brasil! Mas um menino nasceu, e sofreu com tanto frio, com tanta neve na rua que mais parecia um tapete branco! Foi assim que te vi no escritório, olhando para a foto e tendo a recordação de corpo gelado ao som de Bach, a sonata que esquentou um pouco tua gélida lembrança!
    Belo poema, emociona, sei o quanto o frio castiga num país tropical!

    Beijinho daqui do lado.

    ResponderExcluir
  8. Speciali ricordi del passato, che si rivivono in un giorno di gelida neve
    Sempre bello leggerti, Pedro, buon fine settimana e un saluto,silvia

    ResponderExcluir
  9. Bella! Felice weekend.
    Un abbraccio
    enrico

    ResponderExcluir
  10. Un bello retrato has hecho en versos de esas memorias, pintada en una estación y una música maravillosa.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  11. Bach y la nieve, emociones que llevan al camino del recuerdo.
    Precioso poema.
    saludos

    ResponderExcluir
  12. Belas lembranças.
    Num excelente poema, do qual gostei imenso.
    Bom fim de semana, caro Pedro.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  13. Não há nada como uma música especial para reavivar memórias...
    Fui localizar a sua cidade natal, deve estar a grande altitude.
    Estimado amigo, a sua expressão poética surpreende-me sempre pelo
    comedimento, delicadeza e graciosidade...
    Excelente, Pedro.
    ~~~ Abraço ~~~

    ResponderExcluir
  14. Oír este poema bajo la sonata Bach debe de ser doble placer.
    Feliz fin de semana.

    ResponderExcluir
  15. Belas e profundas palavras Pedro.
    Bjs e obrigada pela visita.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  16. Curioso, que hable usted de la iglesia que en su niñez le enseñó a volar la mente al son de Bach. En mi caso fue similar, en la iglesia de Santa Mª del Mar de Barcelona, gótico medieval junto al mar donde me desdoblaba agarrada a las notas del órgano y salía volando a través de los vitrales.
    Saludos

    ResponderExcluir
  17. Estupenda la foto y el texto que nos lleva a los tristes y largos días de invierno entibiados por la música Bach.
    Abrazos

    ResponderExcluir
  18. ¡Me gusta mucho BACH!

    ¡Muy buen homenaje!

    Besos

    ResponderExcluir
  19. Boa tarde, lembranças que se são uma constante, reflectidas no belo poema.
    AG

    ResponderExcluir
  20. Olá Pedro.
    Me pareceu que teve forte lembrança da cidade muito fria. Eu amo o sol, tolero o calor, mas frio assim com neve eu temo, não tolero muito o frio, fui ao encontro do meu Marido em São Paulo em 2005 e precisei ser hospitalizada. Ele levando na brincadeira me dizendo que já tinha ligado o aquecedor, e eu tremendo toda. Não tinha nada que me esquenta-se rsrs. Imagine se fosse como essa linda imagem na neve, lindo de ver e horrível de aguentar rsrs. Nunca mais viajei sem antes saber do clima de onde vou. Um lindo domingo e semana para vocês e dia das mães para a querida Tais e para as mães da família toda. Abraços.

    ResponderExcluir
  21. Pedro Luso
    O poema reflete bem a lembrança, para mim notícia porque desconhecia que também há neve no Brasil. Já que no sub-tropicalismo, é normal não haver neve. Demais com a profusão que a foto mostra. Nem no no sul de Portugal, incluindo Lisboa.
    Abraço

    ResponderExcluir
  22. Muy hermoso.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  23. Lindo poema!
    A ele eu associaria o Requiem de Mozart... mas Bach também está muito bem!
    Neve no Brasil? Às vezes interrogo-me sobre isso, mas dada a sua extensão, entendo que haja.
    Beijinho para ti e para a senhora do escritório ao lado

    ResponderExcluir
  24. Bellisimo, lo he traducido... precioso. un gran abrazo

    ResponderExcluir
  25. "Lembranças avivadas com a sonata
    de Bach, som
    e solo do violoncelo
    aplanando meu caminho."
    Que mais acrescentar a este belo poema?
    Uma boa semana, meu Amigo Pedro.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  26. Linda, a São Joaquim
    Gelada, branca, bem alva,
    Calçada sáxea calva
    Em visão que não tem fim.

    Quem nasceu num gelo assim
    Nunca apodrece e se salva
    Com o chimarrão, chá de malva,
    Lã, fogo, carne, aipim,

    Paçoca, frescal e o vinho
    Que é meu fraco e caminho
    Para me aquecer num já.

    Lembro-me de estar sozinho
    Bebendo no meu cantinho
    Eu passei um inverno lá.

    "Meu Prezado" meu primeiro emprego e função como engenheiro recém-formado foi fiscalizar a construção do Sistema de Abastecimento de Água de São Joaquim - tenho diversas fotos. Abraços. Laerte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado amigão, pelo belo poema, tua homenagem a São Joaquim, que conheces tão bem, lugar que convida ao vinho e bons pratos. Sem falar nas frutas, maçãs, que são exportadas, e uva (e bom vinho), além da hospitalidade do joaquinense.
      Um grande abraço.

      Excluir
  27. Todo muy bello, Pedro. El poema, la nieve y un subyacente homenaje a la naturaleza y a la vida.

    Abrazo austral.

    ResponderExcluir
  28. Muy bello!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Cariños para ti.
    mar

    ResponderExcluir
  29. Não foi novidade para mim a neve em S. Joaquim, foi sim uma agradável surpresa ver essa cidade tão bem cantada neste belo poema. Não tive vontade de te acompanhar nesse teu " voo" mesmo não conhecendo a tua terra, porque não gosto de frio e neve por aqui temos muita. Lindas paisagens nos proporciona ela e também poesia se faz com o branco que cobre casas, campos e igrejas transformando as cidades em autênticos presépios. E aqui está a prova, Pedro, este poema lindo inspirado na terra onde nasceste e na neve que lá cai para encanto de muitos. Um beijinho e
    parabéns.
    Emilia

    ResponderExcluir
  30. Ah, pero ¿en Brasil nieva? Si es así qué ilusos somos los que nos la imaginamos siempre luciendo a la luz del sol y de las playas, de las selvas húmedas.
    Enhorabuena por tan hermosa poema.
    Un abrazo

    ResponderExcluir
  31. Pedro:
    con la música de Bach parece que uno echa a volar como un pájaro, como una nota musical, como la luz.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  32. Nada melhor para acompanhar nossas lembranças que a ouvir Bach.
    Um belíssimo poema.
    Um abraço e boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    Livros-Autografados

    ResponderExcluir
  33. ¡Hola, Pedro!!!

    Muy bello poema, que refleja algo inédito como ver la nieve en Brasil. Tengo ahí familia y cuentan que en ocasiones, llueve torrencialmente, mas solo unos momentos, pero no hablan de que nieva. Claro que ese País es muy grande y dependerá de donde estén cada cual.
    Bueno, con la música de los grandes maestros y entre muchos Bach, vuela cualquiera, amigo Pedro.

    Ha sido un placer pasar a leerte, te dejo mi gratitud y estima.
    Un abrazo y se muy .muy feliz.

    ResponderExcluir
  34. La nieve no debe ser una visita frecuente en la vida de los brasileños. Lo mismo sucede en la zona de España donde yo vivo. La nieve es una estraña maravilla y cuando llega siempre se lanzan los niños a jugar a la calle y yo escribo algún verso...

    Es un recuerdo grato al corazón los blancos copos arropan la imaginación y nos deja con un sabor agriculce a queja por el frío pero con el temblor de perder su belleza.

    Gracias por los amables comentarios dejados en mi blog. Un abrazo. Franziska

    ResponderExcluir
  35. Bajo la influencia de la música de Bach, tan apropiada para la reflexión, se avivan los recuerdos y volvemos a sentir el frío de esa nieve que la ciudad tapizó.
    ¡Bello y sentido poema!
    Cariños.
    kasioles

    ResponderExcluir
  36. Gostei, gostei mesmo muito.

    Abraço com votos de bom resto de semana

    ResponderExcluir
  37. Com BACH as palavras são para ouvir

    ResponderExcluir
  38. a imagem em total sintonia com o poema
    melodioso
    bem estruturado
    gostei!
    beijinhos
    :)

    ResponderExcluir
  39. Oi, Pedro...não sei se sou otimista incorrigível mas não senti frio em seu poema...ao som de Bach senti o calor da saudade, a nostalgia de uma lembrança perdida, um momento de algo que nunca se esqueceu...talvez um ninho.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  40. Sublime! Gostei muito meu amigo!
    Essa foto é de que ano? Gostei muito dela! Imagem fantástica.
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa foto, Rui, é do ano passado, 2016. Em são Joaquim e em algumas cidades de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul, neva todos os anos. Graças a neve, o turismo nesses locais é incrementado.
      Um abraço.

      Excluir
  41. Lembranças... o passado sempre nos deixa tantas respostas... para as perguntas do presente...
    Convém pois, ter as nossas as nossas lembranças e raízes, sempre presentes...
    Uma belíssima inspiração, Pedro!
    Abraço! Bom domingo!
    Ana

    ResponderExcluir
  42. E são as lembranças em dias assim, que tecem os versos e fazem este lindo poetizar carregado de saudades.
    Aplausos amigo.
    Abraços

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

PEDRO LUSO