>

4 de mai de 2015

[Poesia] PEDRO LUSO – Desilusão





[ESPAÇO DA POESIA]



DESILUSÃO

– PEDRO LUSO DE CARVALHO



João, pobre João! Preso a esse amor
intenso e sem tréguas, por Maria.
Tanta procura e tantos afagos!
(Beija-flor no ar saciando a sede.)

João, pobre João! Não vês os excessos?
Terás tu, João, o amor de Maria?
Volta de teus voos em escuras nuvens
e verás o rumo que tomou Maria.

Consola-te, João! Agora te resta deitar
na cama, no mesmo lugar que Maria dormia,
que algum calor terá sobrado do corpo
da amada, para aquecer tuas noites de frio.


*  *  *



16 comentários:

  1. Ah mas que desilusão enorme!
    Que consolo poderá João sentir ao deitar no mesmo lugar
    que Maria dormia?... Possivelmente tortura...
    Poema que expressa muito bem o sentimento de desilusão.
    Muito triste e muito belo!
    Boa semana, Pedro.
    xx

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde Pedro.
    Meus parabéns pelos seus poemas, sempre com sentimento e bela inspirações. Que dor intensa é a desilusão, coitado do João que terá que ficar sem a sua Maria, a sua paixão, dormir no mesmo lugar isso para mim é masoquismo, mas para muitos é ate um alivio, a esperança de sentir o cheiro do amor vivido rsrs. Uma linda semana meus amigos.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Esas noches de frío, son tan heladas, que por mucho rescoldo que quede en las sábanas jamás saciará al corazón que ama.
    ¡Pobre Juan! sufrir por amor, yo creo que es muy mala enfermedad.
    Triste es el poema, pero tú logras que llegue y emocione a quien lo lea.
    Cariños y buena semana.
    kasioles

    ResponderExcluir
  4. Adorei este teu João.
    Fiquei torcendo pra sua Maria voltar...

    Lindo!

    ResponderExcluir
  5. Un paseo poético y buenas tardes por este espacio, saludos.

    ResponderExcluir
  6. Pobre do João, isso que dá quando não há afinidades, quando um vê um sentido na vida que não faz parte do mundo do outro. Sempre um sai da relação meio baleado, e essa vez tocou pro João, coitado...
    Essas coisas são sempre tristes e não poderia ser diferente.
    Poema forte - tua marca registrada.
    Beijinho, Pedro!

    ResponderExcluir
  7. gracias por darnos tanta belleza

    ResponderExcluir
  8. Grande emozione nella intensa lettura dei tuoi notevoli versi...
    Buon mercoleì e un caro saluto,silvia

    ResponderExcluir
  9. Olá Pedro! Passando para agradecer a tua honrosa visita e gentil comentário, assim como apreciar este teu belo poema, com ênfase para o trecho abaixo:

    Consola-te, João!
    Agora te deita na cama,
    no mesmo lugar
    que Maria dormia
    – algum calor terá sobrado
    do corpo da amada
    para aquecer tuas noites de frio.

    Realmente, para quem ama com tamanha intensidade, já é um grande consolo. Rsrs.

    Abraços,

    Furtado.
    .

    ResponderExcluir
  10. UN TEXTO QUE ME DEJA MUY TRISTE.
    ABRAZOS

    ResponderExcluir
  11. Algo triste pero bellisimo.
    Buen fin de semana.
    Besos

    ResponderExcluir
  12. Boa tarde, Pedro, seu poema é forte e mexe com a gente.
    Há muitos Joãos e Marias iguais ao do seu poema.Os relacionamentos tendem a acabar
    e muitas vezes o outro não percebe que já findou e aí, passa a sofrer. A Arte imita a vida ou vice versa já não sei, mas seu poema é belo e emocionante. Abraço!

    ResponderExcluir
  13. Simplesmente maravilhoso! Faz-me lembrar João de Deus. Adorei.
    Um abraço
    Graça

    ResponderExcluir
  14. Un caro saluto e un complimento per la bella poesia! buon fine settimana Pedro e grazie della visita!

    ResponderExcluir
  15. Pobre João, vai ter que esquecer Maria...Isso acontece muito...
    Gostei, Pedro!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  16. Muy buen poema...versos entrelazan sentimientos y emociones de dolor y desencanto ...revelan alta sensibilidad del autor....
    Fuerte abrazo

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

PEDRO LUSO